Hábitos alimentares e estilo de vida de adolescentes estudantes na rede pública de ensino da cidade de Maringá-PR

Angela Andréia França, Daniele de Pinho Freitas Kneube, Alice Maria de Souza-Kaneshima

Resumo


Este trabalho teve como objetivo conhecer as preferências alimentares e estilo de vida de adolescentes matriculados em uma escola pública da cidade de Maringá, PR. As informações referentes ao nível socioeconômico, estilo de vida, atividades físicas, hábitos alimentares e freqüência alimentar foram obtidas junto aos adolescentes mediante a aplicação de um questionário. Foi avaliado um total de 100 adolescentes, sendo 56% do sexo feminino e 44% do sexo masculino. Observaram-se os seguintes resultados: 85% dos adolescentes fazem entre duas e quatro refeições ao dia; o lanche da manhã e a ceia foram as refeições mais omitidas, sendo praticados por apenas 16% e 27% dos entrevistados, respectivamente. Também foi constatado que 65% dos entrevistados não levam lanche para a escola, 23% dos adolescentes compram lanche na cantina de três a quatro vezes na semana e 12% o fazem diariamente. Os lanches mais consumidos pelos adolescentes foram os salgadinhos industrializados e os fritos, correspondendo a 53% e 23%, respectivamente. Verificou-se que o hábito de assistir televisão é comum entre os adolescentes entrevistados, dos quais 61% relataram que o fazem de duas a quatro horas diárias. Deve ser salientado que a maioria das refeições realizadas por eles é feita em frente à televisão. A prática de atividades físicas foi mencionada por 79% dos alunos. O consumo de alguns alimentos ocorreu com menor freqüência, como é o caso das hortaliças e frutas, em que, respectivamente, 41% e 49% dos entrevistados não ingerem diariamente tais alimentos. Cerca de 59% consomem de uma a duas porções diárias de carnes e 74% de uma a duas porções de leguminosas. Com relação ao leite e derivados, 60% ingerem uma a duas porções ao dia. O consumo de açúcares, doces, óleos e gorduras foi relatado por 57% dos adolescentes entrevistados, sendo os mais consumidos refrigerantes, chicletes, balas, chocolate, coxinha e pastel. Com base nos resultados obtidos, verifica-se a necessidade de uma intervenção nos hábitos alimentares destes adolescentes, seja pelo desenvolvimento de projetos educacionais seja mediante orientações nutricionais que visem à modificação das práticas alimentares dos adolescentes. Além disso, também é necessário orientar os donos ou responsáveis pelas cantinas das escolas para que seja ampliada a variedade e, principalmente, a qualidade dos alimentos ofertados aos adolescentes.

Palavras-chave


Adolescente; hábitos alimentares; estilo de vida

Texto completo:

Artigo_pdf


Iniciação Científica Cesumar
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9192 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1518-1243 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.