Alterações fisiopatológicas no período gestacional, relacionadas à ocupação das gestantes do "Lar Prevenção da Vida" no município de Maringá no ano de 2002

Halina Camargo Senhorinho, Nádia Pastoril Carreira de Souza, Cibelle Hedviges Sousa, Carla Cristina Torres Gabriel

Resumo


O "Lar Prevenção da Vida" é uma instituição mantida por doações e abriga gestantes de baixa renda. As gestantes têm acesso restrito a serviços de saúde e, quando ingressam no Lar, passam a trabalhar como fiandeiras durante 6 a 8 horas por dia. É um trabalho desgastante, pois exige longos períodos na posição sentada, realizando um mesmo movimento. Essas mulheres receberam pouca ou nenhuma orientação, tanto em relação à gestação, quanto ao trabalho. Devido à precariedade do local e as atividades, elas apresentam uma série de distúrbios osteomusculares e circulatórios, alguns comuns na gravidez, porém reforçados pela posição inadequada do trabalho, outros excessivos, podendo vir a comprometer a saúde da mãe no futuro, Objetivou-se avaliar as gestantes de forma holística a fim de determinar as principais queixas e alterações em nível postural, para com isso traçar medidas para uma gestação saudável e ao longo da vida e analisar o ambiente, para a detecção de alterações ergonômicas e melhorá-las com a utilização de materiais do próprio Lar ou doações. Para este fim, foram realizados: questionário estruturado, aberto e fechado, avaliação postural e músculo-esquelético, testes espaciais, dentre eles: teste de diástase do reto abdominal e teste de trendelemburg para varizes, com 100% das gestantes que habitam no Lar, e a avaliação do ambiente, para a detecção de alterações ergonômicas que possam intervir na qualidade de vida das futuras mães. No cotidiano das gestantes analisadas, as patologias são freqüentes e muitas vezes tornam-se recidivas. Dentre 100% das gestantes analisadas, 60% apresentam lombalgia como principal queixa, 20% apresentam dor abdominal, enquanto as 20% restantes se dividem entre varizes e paresias/parestesias. Dentre as alterações posturais encontradas, a hiperlordose, assimetria da cintura escapular, cifose e profusão de ombros são as mais prevalentes, acometendo 100%, 80%, 50% das gestantes, respectivamente. Da análise das inadequações posturais na realização do trabalho e afazeres domésticos, a postura inadequada foi prevalente em 100% das gestantes, e da análise das condições de itens de estrutura física do local, foi obtido em torno de 60% de alterações ergonômicas. A partir dos dados levantados e parametrizados, foram realizadas adaptações com materiais do próprio "Lar" dentre eles: madeira, listas telefônicas, sacos de espuma, almofadas; e as doações de cadeiras e mesas melhoraram 80% as condições iniciais da Instituição. Para as inadequações posturais durante a rotina das gestantes, queixas principais e secundárias e alterações físicas encontradas, foram dadas orientações, aulas de alongamento e exercícios para as gestantes, com melhora referida por 100% destas.

Palavras-chave


gestação; fisiopatologia gestacional; fisioterapia

Texto completo:

Artigo_pdf


Iniciação Científica Cesumar
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9192 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1518-1243 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.