Qualidade de vida e padrão alimentar de idosos institucionalizados na cidade de Maringá-PR

Arethuza Sass, Claudia Ferreira Marin, Cristina Hattanda, Karen Akemi Semprebom, Roberta Quesada Zibordi, Edilson Nobuyoshi Kaneshima, Alice Maria de Souza-Kaneshima

Resumo


Fora do âmbito familiar, as instituições constituem a modalidade mais antiga e universal de atendimento ao idoso. No entanto, essas instituições favorecem o isolamento e a inatividade física e mental de pessoas idosas, acarretando inúmeras conseqüências negativas para a qualidade de vida. Durante o processo de envelhecimento também ocorrem diversas alterações anatômicas e fisiológicas e que podem afetar as condições nutricionais dos idosos. Neste trabalho, o principal objetivo foi conhecer a qualidade de vida e o padrão alimentar de idosos institucionalizados na cidade de Maringá-PR. Foram entrevistados 40 idosos, sendo 22 do sexo masculino e 18 do sexo feminino, todas as informações foram coletadas por meio de entrevistas e preenchimento de questionários contendo perguntas específicas. O dia a dia dos idosos residentes segue sempre a mesma rotina; Destas a inatividade física, o sedentarismo e a ociosidade fazem parte. Durante a entrevista, os idosos residentes manifestaram-se satisfeitos com relação ao horário das refeições e à maneira como os alimentos eram servidos, mas insatisfeitos com o tipo de alimentação e o tipo de preparo oferecido, principalmente com relação ao sabor das refeições. Embora a base para uma alimentação adequada seja a mesma, deve-se lembrar que cada fase da vida merece cuidados especiais. Assim, a alimentação do idoso deve estar voltada para a minimização das alterações fisiológicas que ocorrem no organismo. Nos idosos podem ser comuns as alterações do paladar e do olfato, com redução da percepção dos sabores. Essa redução pode afetar diretamente o prazer de comer e levar ao decréscimo do apetite e consequentemente também ao quadro de deficiência nutricional. Na instituição asilar em estudo, pode-se evidenciar grande necessidade da prática de exercícios físicos e também da reeducação alimentar de idosos residentes, a fim de garantir-lhes maior longevidade e qualidade de vida.

Palavras-chave


idoso; nutrição;qualidade de vida

Texto completo:

Artigo_pdf


Iniciação Científica Cesumar
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9192 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1518-1243 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.