Prevalência de Fungos em Água para Consumo Humano de Asilos e Creches em Maringá - PR

Belise Nunzio, Mirian Ueda Yamaguchi

Resumo


A água é indispensável à sobrevivência humana e seu uso mundial é estimado em cerca de 4 mil quilômetros cúbicos por ano. Apesar de sua importância, pode abrigar diversos tipos de patógenos, como: bactérias, vírus, protozoários, helmintos e fungos. Os fungos são microorganismos de caráter ubiquitário, sobrevivendo em faixas de pH e temperatura extremas, constituindo um risco para a população, especialmente para aquela imunologicamente comprometida. Neste trabalho objetivou-se verificar a prevalência de fungos em água destinada ao consumo humano de asilos e creches, por meio da utilização da técnica de membrana filtrante e do kit comercial API 20C AUX. Foram analisadas 43 amostras de água, sendo 28 provenientes de creches e 15 de asilos, observando-se a presença de fungos em 40 (93,0%). Das amostras positivas, verificou-se a presença de fungos filamentosos em 12 (30,0%), de leveduras em 17 (42,5%) e de ambos em 11 (27,5%) amostras. O gênero mais prevalente das leveduras isoladas foi Rhodotorula sp. (67,8%), seguido de Cryptococcus sp. (42,8%), Candida sp. (39,3%) e Geotrichum sp. (3,6%). Estes resultados permitem demonstrar que a água é um reservatório de fungos, os quais representam um potencial risco para a saúde da população, principalmente para a imunocomprometida.

Palavras-chave


Água; Predominância; Identificação; Fungos; Instituições.

Texto completo:

Artigo_Pdf


Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.