Microbacia do Igarapé do Gigante: Unidade de Planejamento para a Gestão da Bacia do Tarumã

Kellem Andrezza de Araújo Freitas Braga, Frederico Fonseca da Silva, Valter Roberto Schaffrath

Resumo


A microbacia do igarapé do Gigante, localizada na porção sudoeste de Manaus (Amazonas - Brasil), constitui-se no principal tributário da macrobacia do Tarumã, considerado uma bacia hidrográfica mista, pois parte encontra-se na área urbana e parte na área rural. Este atributo poderia conferir condições ideais para uma melhor qualidade de vida às comunidades locais; no entanto, esta bacia tem sido tratada com descaso, ocasionando alterações ambientais significativas em todo o seu curso d’água. O objetivo principal desta pesquisa consiste em analisar a microbacia do Gigante enquanto unidade de planejamento para a gestão da bacia do Tarumã. Para tanto, o estudo fundamenta-se na revisão de literatura sobre o panorama dos recursos hídricos na sociedade contemporânea, analisando-os à luz da legislação e relacionando-os aos modelos de gestão existentes, tendo por finalidade nortear o estudo de caso sobre a microbacia do Gigante, com suas peculiaridades socioeconômicas e ambientais. Com isso identificaram-se alterações na qualidade das águas da microbacia, no uso e ocupação irregular do solo, na infraestrutura sanitária e nos remanescentes florestais. Por fim, concluiu-se que o diagnóstico ambiental da microbacia do Gigante tem papel fundamental na elaboração do plano da bacia, contribuindo para a criação de eficientes políticas públicas de gerenciamento dos recursos hídricos.

Palavras-chave


Gestão dos Recursos; Hídricos; Microbacia do Gigante; Planejamento de Águas.

Texto completo:

Artigo_PDF


Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.