Manejo dos Dejetos de Suínos Através do Sistema de Compostagem

Andrei Bonamigo, Milton José Melz, Simone Sehnem, César Augustus Winck

Resumo


A cadeia produtiva da suinocultura está concentrando sua produção em função da redução do número de produtores na atividade e também pela necessidade de aumento da produção de alimentos. Através de um estudo de caso in loco analisou-se o funcionamento do sistema de compostagem adotado pela Granja Barra Grande, localizada em Iporã do Oeste (SC). Além disso, procurou-se verificar o volume de dejetos produzido mensalmente na granja suína; descrever o sistema de compostagem vigente na granja; e fazer um plano de ação baseado na ferramenta 5W2H para apresentar as melhorias que precisam ser efetuadas na granja, prospectando o crescimento da mesma, o aumento de dejetos gerados e uma destinação sustentável dos mesmos. O referencial teórico relata as características do sistema de compostagem e sua contribuição para a redução dos impactos. Foi constatado que a Granja Barra Grande possui produção mensal de dejetos de 728,12 m³, ou seja, 24,27 m³ diários. Desse total, 34,07% é utilizado no sistema de compostagem, resultando em uma aplicação anual de 2.976,82 m³. Como um metro cúbico de composto concentra 3.816,43 litros de dejetos, o sistema na granja em estudo produz anualmente 780 m³ de composto. Conclui-se que através da adequação do processo de compostagem o produtor obtém ganhos, eliminam-se odores e permite uma fertilização do solo eficiente. Do ponto de vista sustentável, conclui-se que o processo de compostagem é um grande passo para tornar o sistema intensivo de criação suinícola viável não somente na granja em estudo, mas em qualquer região produtora, primeiramente pela onerosidade da distribuição dos dejetos em função de sua baixa densidade, e segundo pelo seu potencial poluidor.

Palavras-chave


Agronegócios; Manejo de Dejetos; Suinocultura

Texto completo:

659-681


Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.