Emissão de Óxido Nitroso em Solos com Diferentes Usos e Manejos: Uma Revisão

Risely Ferraz de Almeida, Emmanuel Rezende Naves, Camila Haddad Silveira, Beno Wendling

Resumo


A agricultura é um dos principais setores que contribui para as emissões do óxido nitroso (N2O), sendo este gás um dos responsáveis pelo efeito estufa na atmosfera. A escolha do sistema de manejo e uso do solo utilizado na agricultura influencia no fluxo deste gás. O solo influencia no ciclo do nitrogênio através da disponibilidade de nitrato, temperatura, pH, umidade, presença de NH4+ (íon de amônio) e conteúdo de compostos oxidantes que são utilizados como receptores de elétrons para a degradação da matéria orgânica do solo. Contudo, dentre as condições do solo citadas, o fator dominante que regula a formação e emissão do óxido nitroso é o espaço poroso ocupado por água (PPA) aliado à temperatura. Assim, solos aerados que apresentem um PPA de 35 a 60% têm formação de óxido nitroso como um subproduto da nitrificação. E dentre os sistemas de cultivo utilizados no Brasil, o plantio direto – PD e o plantio convencional – PC ainda necessitam de maiores estudos para verificar a influência destes nos processos de produção e emissão de óxido nitroso dos solos. Diante do exposto, devem-se intensificar trabalhos e pesquisas realizadas com gases de efeito estufa – GEE, em diferentes manejos e usos do solo na agricultura, tendo a necessidade de alternativas ambientalmente corretas para mitigar a sua emissão para a atmosfera.

Palavras-chave


Agricultura; Atmosfera; Gases de efeito estufa; Nitrogênio

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2015v8n2p441-461

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.