AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE BETERRABAS ORGÂNICAS NÃO CONFORMES À COMERCIALIZAÇÃO NA PRODUÇÃO DE FARINHAS: MODELO DE SUSTENTABILIDADE PARA AGROINDÚSTRIA FAMILIAR RURAL, RS, BRASIL

Claimeri Pasa, Patrícia Braga Lovatto, Michele Hoeltz, Bruno Engel, Ana Lúcia Becker Rohlfes, Eduardo Alcayaga Lobo

Resumo


Considerando a quantidade de vegetais não conformes à comercialização desperdiçados em entrepostos e feiras livres, configurando perdas nutricionais e de renda, bem como a destinação final inadequada no ambiente, a pesquisa objetivou avaliar a eficiência da reutilização da beterraba orgânica não conforme na produção de farinha. Realizou-se a análise da composição centesimal da beterraba conforme e não conforme, para tempos de secagem (2h, 5h, 7h e 9h), a 75 ºC. O tempo de 2h resultou o mais adequado, considerando os custos para uma agroindústria familiar, tendo apresentado valores de umidade conforme os padrões. Houve um aumento nos teores de fibras, proteínas e cinzas, caracterizando uma farinha de alto valor nutritivo. A análise da palatabilidade da massa com 25% de farinha de beterraba não conforme, adicionada à farinha de trigo, revelou um elevado grau de aceitabilidade. A reutilização de resíduos vegetais orgânicos não conformes pode se tornar uma fonte de renda, além de contribuir para sustentabilidade.

Palavras-chave


Agroindústria familiar rural; Reaproveitamento de alimentos; Valor nutricional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n1p127-143

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.