LINHA BÁSICA DE SUSCETIBILIDADE DA LAGARTA MILITAR A INSETICIDAS POR INGESTÃO NA CULTURA DO MILHO

Gustavo Storch, Alci Enimar Loeck, Deivid Araújo Magano, Mateus Batista Remor

Resumo


Dentre os cereais cultivados no Brasil, o milho é o mais expressivo, já obtendo áreas com produtividades superiores a 16 toneladas por hectare. No entanto, essa expressão do seu potencial tem sido reduzida em consequência de severos ataques de pragas, dentre as quais se destaca a lagarta militar, que promove sérios danos à cultura. O objetivo desse trabalho foi estudar a linha básica de suscetibilidade aos inseticidas (lufenurom, novalurom, methoxifenizida e espinosade) sobre a população de lagartas de Spodoptera frugiperda. Foram realizados bioensaios para a obtenção das curvas de concentração-resposta para lagartas de terceiro instar, onde cubos de dieta (1,5 x 2,5 cm), artificial descrita por Greene et al. (1976), foram submersos na calda com cada inseticida durante um segundo e imediatamente colocados em tubos de vidro de 2,5 x 8,5 cm previamente esterilizados. Logo após as lagartas foram individualizadas nos mesmos tubos, os quais foram tamponados com algodão hidrófugo, e mantidos em câmara climatizada tipo BOD à temperatura de 25 ºC e fotofase de 14 horas, até a pupação. Os dados de mortalidade foram registrados diariamente até o estágio pupal. As curvas foram determinadas através da análise de Probit. Desse modo, foi possível observar que o inseticida lufenurom apresentou CL50 = 0,265 ppm, novalurom CL50 = 0,066 ppm, metoxifenozida CL50 = 4,544 ppm e espinosade CL50 = 0,970 ppm.

Palavras-chave


Controle químico; Pesticidas; Zea mays

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n1p71-82

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.