ADOÇÃO DA VARIEDADE DE MILHO MATUBA PELOS PEQUENOS PRODUTORES DO DISTRITO DE SUSSUNDENGA, MOÇAMBIQUE

Sérgio Feliciano Come, José Ambrósio Ferreira Neto

Resumo


O estudo analisou a adoção da variedade melhorada de milho Matuba pelos pequenos produtores agrários do distrito de Sussundenga. Os dados foram coletados através da administração de entrevistas semiestruturadas a 160 pequenos produtores no mês de julho de 2014. O modelo de regressão Logit foi usado para determinar as variáveis com efeito significativo na adoção da variedade Matuba. Um conjunto de variáveis socioeconômicas e institucionais foi usado para compor as variáveis explicativas no modelo em referência. Os resultados mostram que apenas cerca de 40% dos produtores adotaram o milho Matuba. As variáveis estatisticamente significativas na adoção de milho Matuba foram o nível escolar, o sexo do chefe do agregado familiar e a prática de outras atividades diferentes da agricultura. Por outro lado, o acesso aos serviços de extensão agrária, o acesso ao crédito agrário, a idade do chefe do agregado familiar, o tamanho do agregado familiar e a pertença a uma associação ou grupo de produtores não foram significativos na adoção de Matuba.

Palavras-chave


Pequenos produtores; Tecnologias agrárias; Milho Matuba

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, R. Paradigmas do Capitalismo Agrário em questão. São Paulo, Unicamp, Hucitec, 1992. “Uma nova extensão para a agricultura familiar”. In: Seminário Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural, 1997. Anais... Brasília, 1997. p. 29 (texto para discussão).

ALENE, A.; POONYTH D.; HASSAN, R. Determinants of Adoption and Intensity of Use of Improved Maize Varieties in the Central Highlands of Ethiopia: A Tobit Analysis. Agrekon, v. 4, p. 633-643, 2000.

BESHIR, B.; WEGARY, D. Determinants of smallholder farmers’ hybrid maize adoption in the drought prone Central Rift Valley of Ethiopia, African Journal of Agricultural Research, v. 9, n.17, p. 1334-1343, 2014.

CASTIGO, P. Análise da produção agrícola no distrito de Sussundenga. 2000. 49f. Monografia (Graduação em Geografia) - Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 2000.

CAVANE, E.; DONOVAN, C. Farmers’ attitude and adoption of improved maize varieties and chemical fertilizers in Mozambique. Journal of International Agricultural and Extension Education, v. 18, n. 3, p. 5-21, 2011.

CHIRWA, E, Adoption of fertilize and hybrid seeds by smallholder maize farmers in southern Malawi. Develop. South Africa, v. 22, p. 1-12, 2005.

COME, S.; CAVANE, E. A extensão rural pública: percepções dos produ­tores das associações agrícolas de Manhiça Sede, Moçambique. Revista de Extensão e Estudos Rurais, Viçosa. v. 3, n. 1, p. 123-153, 2014.

CUNGUARA, B.; GARRET, J. O Sector Agrário em Moçambique: Análise situacional, constrangimentos e oportunidades para o crescimento agrário. In: Diálogo sobre a Promoção de Crescimento Agrário em Moçambique, Maputo. 2011.

DPAM - Direcção Provincial da Agricultura de Manica. Balanço das campanhas agrícolas 2011/12 e 2012/13. 2013. Não publicado.

Governo do Distrito de Sussundenga. Relatório Trimestral das Actividades Desenvolvidas pela Rede de Extensão: 2º Trimestre de 2014. Sussundenga, (Não publicado), 2014.

GPM - Governo da Província de Manica. Plano Económico e Social, Chimoio, (Não publicado), 2013.

Instituto Nacional de Estatística - INE. Censo Agro-Pecuário 2009-2010: Resultados Definitivos, Maputo. 2011.

KAFLE, B. Determinants of adoption of improved maize varieties in developing countries: a review. International Research Journal of Applied and Basic Sciences, v.1, n.1, p. 1-7, 2010.

KALIBA A.; HUGO, V.; WILFRED, I. Factors Affecting Adoption of Improved Maize Seeds and Use of Inorganic Fertilizer for Maize Production in the Intermediate and Lowland Zones of Tanzania, Journal of Agricultural and Applied Economics, v. 32, n. 1, 2000.

KALINDA. T.; TEMBO. E.; KANTASHULA, E. Adoption of Improved Maize Seed Varieties in Southern Zambia. Asian Journal of Agricultural Sciences, v. 6, n. 1, p. 33-39, 2014.

LOPES, H. Adoption of improved maize and common bean

varieties in Mozambique. 2010. Dissertação (Mestrado em Agriculture, Food and Resources Economic) - Michigan State University, 2010.

MAE - Ministério da Administração Estatal. Perfil do distrito de Sussundenga, Província de Manica, 2005. Disponível em: . Acesso em: jul. 2015.

MINAG - Ministério da Agricultura. Plano Estratégico Para o Desenvolvimento do Sector Agrário 2010-2019, Maputo, 2010.

MUGISHA, J.; DIIRO, G. Explaining the Adoption of Improved Maize Varieties and its Effects on Yields among Smallholder Maize Farmers in Eastern and Central Uganda, Middle-East Journal of Scientific Research. v. 5, n. 1, p. 6-13, 2010.

NWAKOR et al., Socio-economic factors affecting adoption of improved cassava varieties among farmers in Abia State. Journal of Agriculture and Social Research, Nigeria, v. 11, n.1, p 63-71, 2011.

PENG. C.; LEE, K.; INGRESOLL, G. An Introduction to Logistic Regression Analysis and Reporting. Indiana University-Bloomington. Journal of Education Research, v. 96, n. 1, p. 2-14, 2002.

ROGERS, E. Diffusion of innovations. 5th Edition. Nova York: Free Press, 2003.

SALIFU, H.; SALIFU, K. Determinants of Farmers Adoption of Improved Maize Varieties in the Wa Municipality, American International Journal of Contemporary Research, v. 5, n. 4, p. 27-35, 2015.

SÁNCHEZ, et al. Milho: uma cultura de boa nutrição e de muita energia. Maputo, 2011.

SITOE, T. A Extensão Agrícola e as Escolas na Machamba do Camponês em Moçambique: O caso da Produção Hortícola nas Zonas Verdes da Cidade de Maputo. Revista UNIARA, v. 13, n. 2, p. 50-69, 2010.

UAIENE, R. Determinantes para a Adopção de Tecnologias Agrícolas em Moçambique. Maputo. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n4p977-994

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.