EFEITO DA TEMPERATURA E DO pH NO TRATAMENTO DO CALDO DE SORGO SACARINO

Gustavo Henrique Gravatim Costa, Jorge Otávio Missima, Vitor Teixeira, Miguel Angelo Mutton, Márcia Justino Rossini Mutton

Resumo


Objetivou-se neste estudo avaliar os efeitos de diferentes faixas de temperaturas e pH no tratamento do caldo de sorgo sacarino. O delineamento experimental foi em parcelas sub-subdivididas. Os tratamentos principais foram constituídos por diferentes genótipos de sorgo (BRS509, CV568 e BRS511); os tratamentos secundários por diferentes faixas de pH (6,0, 6,5 e 7,0); e os terciários pelas faixas de temperatura 65˚C, 80˚C e 100˚C. Avaliaram-se as características químico-tecnológicas dos caldos extraído e clarificado. Observou-se que os genótipos BRS 509 e BRS511 apresentam maiores quantidades de açúcar do que o CV568. O tratamento de caldo a pH 6,0 promove menor remoção de açúcares e não açúcares do caldo. O aquecimento do caldo a temperaturas inferiores a 100˚C resulta em flotação do lodo, assim como a remoção do amido presente, em detrimento ao aquecimento a 100˚C, em que se verificou sedimentação do lodo e não remoção de amido, que poderá ser metabolizado pela levedura, quando previamente hidrolisado por enzimas amilolíticas. Conclui-se que o tratamento de caldo a pH 6,0 e temperatura a 100˚C é o mais adequado para o sorgo sacarino.

Palavras-chave


Bioenergia; Caleagem simples; Setor sucroenergético; Sorghum bicolor

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2018v11n1p53-70

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.