CLASSIFICAÇÃO AMBIENTAL DOS FRAGMENTOS FLORESTAIS DA ÁREA RURAL DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR, BRASIL: PRIMEIRAS ETAPAS

André Cesar Furlaneto Sampaio, Paulo José Moraes Monteiro e Teixeira Germano, Bruno Luiz Domingos De Angelis, Maicon José Nocchi

Resumo


O Estado do Paraná sofreu grande degradação de suas florestas, sendo a Floresta Estacional Semidecidual a mais afetada. Essa degradação ocasionou uma fragmentação florestal que causa prejuízos para a biodiversidade e o equilíbrio ambiental. O presente artigo demonstra a metodologia e os resultados das primeiras etapas de um protocolo para avaliar a qualidade dos remanescentes florestais nativos na área rural do município de Maringá-PR, Brasil. O protocolo visa ser uma ferramenta para determinações de políticas públicas de conservação ambiental, classificando os remanescentes florestais (fragmentos) em níveis de importância para conservação ambiental. No presente trabalho, se quantificou e qualificou por meio de sensoriamento remoto, cálculo de índices e métricas da paisagem, e avaliação de atributos físicos e biológicos todos os fragmentos. Verificou-se uma área rural com cobertura florestal de 9,81%, constituída por 161 fragmentos, sendo a maioria pequenos (menores que 50 ha) e com baixa conectividade.

Palavras-chave


Fragmentação florestal; Floresta Estacional Semidecidual; Ecologia da Paisagem; Maringá

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2018v11n1p253-276

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.