LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO COMO FERTILIZANTE NO CULTIVO DE FUMO E AVEIA

Jessica Alberton Zomer, Cyntia Ely, Rossano Umberto Comelli, Maurício Vicente Alves, Everton Skoronski

Resumo


Este artigo teve como objetivo estudar a valorização de lodo de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) como fertilizante no cultivo de fumo e aveia. Foram realizados três tratamentos para cada cultura, sendo que o primeiro não utilizou fertilizante, o segundo utilizou como fertilizante o lodo de ETE e o terceiro recebeu adubo mineral. Foram acompanhados nas culturas parâmetros como desenvolvimento das plantas, aspectos sanitários, aspectos nutricionais e presença de metais. Os resultados demonstraram-se positivos com relação ao uso do lodo de ETE como fertilizante nas culturas testadas. Na cultura da aveia a utilização do lodo de ETE apresentou resultados semelhantes à adubação mineral nos aspectos de crescimento, desenvolvimento e produtividade. Em relação aos aspectos nutricionais da aveia, o maior teor de proteína total foi encontrado naquela sem adubação e o maior teor de fibra bruta foi na aveia com adubação mineral. A cultura não apresentou contaminação por coliformes e salmonela-tradicional. Na cultura do fumo, as plantas com adubação mineral e lodo de ETE apresentaram desenvolvimento semelhante, com plantas saudáveis, ao contrário das plantas sem adubação, que se desenvolveram de forma inferior, com menor crescimento das plantas. Desta forma, o lodo de ETE apresenta elevado potencial como fertilizante para as culturas de fumo e aveia.

Palavras-chave


Gerenciamento de resíduos; Saneamento; Aveia (Avena strigosa Schereb); Fumo (Nicotiana tabacum L.); Lodo de estação de tratamento de esgoto.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2018v11n1p185-201

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.