A PRODUÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: OS PERSISTENTES DESAFIOS SOCIOAMBIENTAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA

Waldir da Silva Filho, Frederico Fonseca da Silva, José Carlos de Jesus Lopes, Paula da Silva Santos

Resumo


A preocupação com a gestão dos resíduos sólidos urbanos (RSU) começou a se tornar relevante à medida que a crescente população urbana começou a aumentar o nível de consumo e, consequentemente, a crescente necessidade de descarte, de forma ecologicamente correta, em espaços urbanos cada vez mais aglomerados. De forma complementar, o impacto ambiental provocado pelo descarte indevido dos RSU, ao longo de décadas, nas áreas urbanas, passou a se tornar objeto de preocupação não apenas da gestão pública municipal, mas, igualmente, de toda a sociedade brasileira. Os órgãos públicos, legalmente, responsáveis pela gestão dos RSU, por mais esforços técnicos, financeiros e políticos empregados na minimização dos conflitos gerados, parecem conviver com crescentes e complexos desafios socioambientais. Assim, o objetivo geral desta pesquisa é analisar os desafios da administração pública, com relação à gestão dos RSU, na região metropolitana de Curitiba (RMC), tendo como locus dois aterros sanitários construídos. Por conta da metodologia empregada, evidenciou-se que o problema da gestão dos RSU é complexo, em escala global e local. Conclui-se que ainda há dificuldades dos municípios brasileiros de se adequarem à lei nº 12.305/10, que impôs diferentes prazos legais para a construção de aterros sanitários em todos os municípios. Mesmo com alguns avanços, ainda restam muitos desafios socioambientais a serem superados, tanto pelos gestores públicos, quanto pela sociedade contemporânea.

Palavras-chave


Gestão pública. Sustentabilidade. Resíduos sólidos urbanos. Manejos tecnológicos. Aterros sanitários

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10004:2004 de 31/05/2004. 3 definições - 3.1 resíduos sólidos. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.

ANDRADES, S. A. Estre Ambiental S.A - CGR Iguaçu. Entrevista realizada com a responsável técnica do empreendimento visitado. Fazenda Rio Grande (PR), março, 2016.

BIDONE, F.R.A.; POVINELLI, J. Conceitos básicos de resíduos sólidos. São Carlos: EESC/USP, 1999.

BRASIL. Lei nº 11.445 - Planalto. 2007a. Disponível em: . Acesso em: 12.03.2016.

BRASIL. Decreto nº 6017 - Planalto. 2007b. Disponível no endereço eletrônico: . Acesso em: 12.03.2016.

BRASIL. Lei Nº 11.107, de 6 de abril de 2005. Disponível em: . Acesso em: 12.03.2016.

BRASIL. A Lei nº 12.305/10 - Política Nacional de Resíduos Sólidos. 2010a. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

BRASIL. Decreto Nº 7.404, de 23 de Dezembro de 2010. Presidência da República. 2010b. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

BRASIL. Decreto nº 7217 - Planalto. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

BRASIL. Política Nacional de Resíduos Sólidos completa 3 anos. 2013. Disponível em . Acesso em: 12 mar. 2016.

CANTO, R. Política Nacional do Eterno Adiamento. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

CARDOSO, M. Chorume. INFOESCOLA. 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2016.

CEMA - Resolução CEMA nº 94/2014. 2014. Disponível em: . Acesso: em 28 de março, 2016.

CERVO, A.L.; BERVIAN, P.A.; SILVA, R. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CRESWELL, J.W. Projeto de Pesquisa. Métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre, Artmed, 2000.

EINSENHARDT, K.M. Building theories from Case Study Research. Academy of Management. The Academy of Management Review, Oct 1989. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=5W6WAs46xecC&oi=fnd&pg=PA65&dq=building+theories+from+case+study+research&ots=_E0FuoDrVL&sig=Tf5cwRBZ8qhM_xZs6Z2WO9yIjEk#v=onepage&q=building%20theories%20from%20case%20study%20research&f=false>. Capturado em ago_2015.FÉLIX, R. Projeto inédito ajuda a dar vida ao aterro da Caximba. Jornal Gazeta do Povo. 2013.

FELIX, G. C. Análise da gestão de resíduos sólidos urbanos no Rio de Janeiro frente à política nacional de resíduos sólidos. 2013. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

FRUET, G. Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Curitiba - PGIRS, 118 pag. Disponível em: . Acesso em: Curitiba - 2015.

GAIESKI, A.A. Curitiba o Gerenciamento dos Resíduos Sólidos Passado, Presente e Perspectivas. UFSC - Programa de Pós Graduação em Geografia. Dissertação de mestrado. Florianópolis (SC), 1991.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

IAP - Instituto Ambiental do Paraná. Portaria IAP nº 259/2014. 2014. Disponível em: . Acesso em: 28. mar. 2016.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População de Curitiba. 2015. Cidades. Disponível em: . Acesso em: 10.02.2016.

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasil precisa erradicar 2906 lixões até 2014. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10.02.2016.

ISWA - Internacional Solid Waste Association. WASTED HEALTH - the tragic case of dumpsites. This report has been prepared as a part of ISWA’s Scientific and Technical Committee Work-Program 2014-2015.

JARDIM, A.; YOSHIDA, C.; MACHADO FILHO, J.V. Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos - 342.151, exemplar 802236. Editora Manole, 2012.

LOPES, J.C.J. Resíduos Sólidos Urbanos: consensos, conflitos e desafios na gestão institucional da Região Metropolitana de Curitiba - Tese de Doutorado. UFPR-Curitiba, 2007.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Metodologia do Trabalho Científico. Procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicação e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de pesquisa. Planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MAROS, A.; BREMBATTI, K. Justiça leva 14 anos para julgar poluição na Caximba. Jornal Gazeta do Povo. 14. set. 2015.

MOORE, C. Expedição giro do Pacífico Norte. 2014. Disponível em: http://www.algalita.org/. Acesso em: 10 fev. 2016.

OLIVEIRA, N.A.S. A produção e gerenciamento dos resíduos sólidos em Curitiba (PR) e as alternativas de contribuição com o meio ambiente. Revista Eletrônica Geografar, Curitiba, v.2, n.2, p.124-138, jul./dez. 2007.

PARANAEXTRA. Aterro da Caximba recupera biodiversidade e vira referência ambiental, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 jan. 2016.

PHILIPPI JR, A. Saneamento, Saúde e Ambiente. Fundamentos para um desenvolvimento sustentável. Barueri, SP: Manole, 2005. (Coleção Ambiental; 2).

PREFEITURA DE CURITIBA. Conhecendo Curitiba - Centro Cívico. 2016.Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2016.

PREFEITURA DE CURITIBA. Cambio verde. 2015a. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2016.

PREFEITURA DE CURITIBA. População da Região Metropolitana de Curitiba. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2016. 2015b.

PREFEITURA DE CURITIBA. Limpeza Pública, Aterro Sanitário de Curitiba. 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

PREFEITURA DE CURITIBA. Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Legislação Municipal. 2013a. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

PREFEITURA DE CURITIBA. Plano municipal de saneamento de Curitiba. 2013b. Volume V - Gestão integrada de resíduos sólidos urbanos. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.

PREFEITURA DE CURITIBA. Plano Municipal de Controle Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. Versão completa - V. 1. Junho/2008 - Prefeitura Municipal de Curitiba. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2016.

PREFEITURA DE CURITIBA. Leis municipais. Lei Ordinária 699/1953. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

RIBEIRO, I.L. Análise de risco a saúde humana por ingestão à água subterrânea - Aterro da Lamenha Pequena, Curitiba - PR. Monografia de Especialização em Análise Ambiental – UFPR, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

SALOMÃO, L. Senado aprova prorrogar por 2 anos extinção de lixões, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

SILVA, L.; CHRISTIAN, R.M.O.; JOSÉLIA, R.B.C.; VLÁDIA, R.F.S.; LUCIANO, B.A.H. A Cadeia de Biogás e a sustentabilidade local: uma análise socioeconômica ambiental da energia de resíduos sólidos urbanos do aterro da Caximba em Curitiba. Revista Innovare, v. 19, n. 34, 2009.

STEINER, A; NEWMAN, D. Global Waste Management Outlook (GWMO). 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2016.

WALDMAN, M. Lixo Domiciliar Brasileiro: Modelos de Gestão e Impactos Ambientais. USP - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10n4p1271-1294

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.