O POTENCIAL PRODUTIVO BRASILEIRO: UMA ANÁLISE HISTÓRICA DA PRODUÇÃO DE MILHO

Felipe Dalzotto Artuzo, Cristian Rogério Foguesatto, João Armando Dessimon Machado, Letícia de Oliveira, Ângela Rozane Leal de Souza

Resumo


O milho é o cereal mais produzido no mundo, possuindo relevante papel no agronegócio brasileiro, como na geração de renda e emprego em todas as regiões do país. Dessa forma, o artigo tem por objetivo analisar a evolução da área cultivada, produção, produtividade e a estabilidade produtiva do milho nas diferentes regiões do Brasil. Os dados de produção, produtividade e área foram obtidos junto aos dados históricos da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB). Os dados analisados compreendem os anos de 1977 a 2017, sendo divididos em três períodos: i) 1977 a 1990; ii) 1991 a 2004; e iii) 2005 a 2017. A estabilidade da produtividade foi estimada pelo coeficiente de variação (CV). Os resultados destacam as mudanças que ocorreram no período, como: i) a expansão de 49,08% da área destinada ao cultivo de milho; ii) o aumento da produção, a partir do aumento da área e da produtividade; iii) o aumento da produtividade ao longo dos três períodos, com destaque para os Estados do Sul, Centro-Oeste e Sudeste; e iv) a instabilidade da produtividade ao longo dos anos e nas diferentes regiões.

Palavras-chave


Agronegócio; Área cultivada; Commodity; Produtividade

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, A. W.; SANTOS, J. R.; REIS, L. S. Plantas de cobertura e adubação nitrogenada na produção de milho em sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental-Agriambi, v. 17, n. 7, p. 721-726, 2013.

ALMEIDA, A. M. M.; MENDES FILHO, P. F.; GARCIA, K. G. V.; GOMES, V. F. F.; ALMEIDA, C. L. Densidade, caracterização e eficiência de bactérias fixadoras de Nitrogênio em áreas de caatinga degradada. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 13, n. 1, p. 16-21, 2018.

ALVES, H. C. R.; AMARAL, R. F. Produção, área colhida e produtividade do milho no Nordeste. Banco do Nordeste. Fortaleza: Informe Rural Etene, 2011.

ARAUS, J. L.; SERRET, M. D.; EDMEADES, G. Phenotyping maize for adaptation to drought. Frontiers in physiology, v. 3, p. 305, 2012.

ARTUZO, F. D. Análise da eficiência técnica e econômica da agricultura de precisão a taxa variável de fertilizantes na cultura da soja no RS. 113 f. Dissertação (Mestrado-Agronegócios). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

ARTUZO, F. D.; FOGUESATTO, C. R.; SILVA, L. X. Agricultura de precisão: inovação para a produção mundial de alimentos e otimização de insumos agrícolas. Revista Tecnologia e Sociedade, v. 13, n. 29, p. 146-161, 2017.

ASSEFA, T.; MEUWISSEN, M.; LANSINK, A.; OUDE, J. M. G. Price risk perceptions and management strategies in selected European food supply chains: An exploratory approach. NJAS-Wageningen Journal of Life Sciences, v. 80, p. 15-26, 2017.

ÁVILA, D. F.; GRIEBELER, M. P. D.; BRUM, A. L. Inovação: a Modernização da Agricultura no Planalto Gaúcho (Brasil). UNOPAR Científica Ciências Jurídicas e Empresariais, v. 16, n. 2, p. 156-164, 2015.

BERGAMASCHI, H.; DALMAGO, G. A.; BERGONCI, J. I.; BIANCHI, C. A. M.; MÜLLER, A. G.; COMIRAN, F.; HECKLER, B. M. M. Distribuição hídrica no período crítico do milho e produção de grãos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 39, n. 9, p. 831-839, 2004.

CALDARELLI, C. E.; BACCHI, M. R. P. Fatores de influência no preço do milho no Brasil. Nova Economia, v. 22, n. 1, p. 141-164, 2012.

COELHO, A. M.; CRUZ, J. C.; PEREIRA, F. I. A. Rendimento do milho no Brasil: chegamos ao máximo. Informações Agronômicas, v. 101, p. 1-12, 2003. Encarte técnico.

CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Séries históricas. 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2018.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. 7ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Cultivo do milho: clima e solo. Embrapa Milho e Sorgo. Comunicado técnico, 2002.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Centro Nacional de Pesquisa de Solos: Rio de Janeiro, 2013.

FAVRO, J.; CARAVIERI, A. M. M.; MARCONATO, M.; NASCIMENTO, S. P.; CAMARA, M. R. G.; CALDARELLI, E. Análise da Evolução da Produtividade do Milho em Estados Selecionados no Brasil nos Anos de 2001 e 2011. Economia e Região, v. 3, n. 2, p. 25-45, 2015.

FAOSTAT - FOOD AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS. Comparação de dados. Produção. 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2018.

GARCIA, J. C.; MATTOSO, M. J.; DUARTE, J. O. Importância do milho em Minas Gerais. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 27, n. 233, p. 7-12, 2006.

GASQUES, J. G.; BASTOS, E. T.; VALDES, C.; BACCHI, M. R. P. Produtividade da agricultura brasileira e os efeitos de algumas políticas. Revista de Política Agrícola, v. 21, n. 3, p. 83-92, 2012.

GASQUES, J. G.; BASTOS, E. T.; VALDES, C.; BACCHI, M. R. P. Produtividade da agricultura: reSultado para o Brasil e estados selecionados. Revista de Política Agrícola, v. 23, n. 3, p. 87-98, 2014.

GOMES, M. S.; VON PINHO, R. G.; OLIVEIRA, J. S.; VIANA, A. C. Avaliação de cultivares de milho para a produção de silagem: parâmetros genéticos e interação genótipos por ambientes. In: Congresso Brasileiro de Melhoramento de Plantas. Anais... Goiânia, 2002.

GONG, F.; WU, X.; ZHANG, H.; CHEN, Y.; WANG, W. Making better maize plants for sustainable grain production in a changing climate. Frontiers in Plant Science, v. 6, 835.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTTÍSTICA. Mapas de Bioma e de Vegetação. 2004. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2016.

IMEA - INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÁRIO. Entendendo o mercado do milho. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 fev. 2016.

KANEKO, F. H.; HERNANDEZ, F. B. T.; SHIMADA, M. M.; FERREIRA, J. P. Estudo de caso-Análise econômica da fertirrigação e adubação tratorizada em pivos centrais considerando a cultura do milho. Agrarian, v. 5, n. 16, p. 161-165, 2012.

KÖPPEN, W. Classificação de Köppen: significado dos símbolos e critérios para classificações. In: VIANELLO, R. L.; ALVES, A. R. Meteorologia básica e aplicações. Viçosa: Editora da UFV, 2004. 449 p.

LANGEMEIER, M.; LUNIK, E. International Benchmarks for Corn Production. Purdue Agriculture Center for Commercial Agriculture, June 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2016.

MANZATTO, C. V.; FREITAS JUNIOR, E.; PERES, J. R. R. Uso agrícola dos solos brasileiros. Embrapa, 2002.

MATOS, P. F.; PESSÔA, V. L. S. A modernização da agricultura no Brasil e os novos usos do território. GeoUerj, v. 2, n. 22, p. 290-322, 2011.

MAROUELLI, R. P. O desenvolvimento sustentável da agricultura no cerrado brasileiro. Brasília: ISAE FGV/Ecobusiness School, 2003.

MOLIN, J. P.; AMARAL, L. R.; COLAÇO, A. Agricultura de precisão. São Paulo: Oficina de Textos, 2015.

NABINGER, C.; FERREIRA, E. T.; FREITAS, A. K.; CARVALHO, P. C. F.; SANT’ANNA, D. M. Produção animal com base no campo nativo: aplicações de resultado de pesquisa. Campos Sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2009.

NOGARA NETO, F.; ROLOFF, G.; DIECKOW, J.; MOTTA, A. C. V. Atributos de solo e cultura espacialmente distribuídos relacionados ao rendimento do milho. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 35, n. 3, p. 1025-1036, 2011.

PATERNIANI, E. Agricultura sustentável nos trópicos. Estudos avançados, v. 15, n. 43, p. 303-326, 2001.

PEDROSO, I. L. P. B. Meio ambiente, agroindústria e ocupação dos cerrados: o caso do município do Rio Verde no sudoeste de Goiás. Revista Urutágua, v. 6, p. 1-10, 2004.

PEEL, M. C.; FINLAYSON, B. L.; MCMAHON, T. A. Mapa do mundo atualizada do Köppen-Geiger Classificação climática. Hydrology and Earth System Sciences, v. 11, p. 1633-1644, 2007.

PONCIANO, N. J.; SOUZA, P. M.; REZENDE, A. M. Entraves da Comercialização à Competitividade do Milho Brasileiro. Revista Paranaense de Desenvolvimento, n. 104, p. 23-40, 2003.

RELINGER, R. NAFTA and US cornsubsidies: Explaining the displacement of Mexico’s corn farmers. Prospect Journal of International Affairs at UCSD, 2010. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2016.

SCHMITZ, T. G.; SCHMITZ, A.; MOSS, C. B. The economic impact of Star Link corn. Agribusiness, v. 21, n. 3, p. 391-407, 2005.

SOUZA, R. O.; TEIXEIRA, S. M. Produtividade Total dos Fatores na Agricultura Goiana: Uma Análise para as Culturas de Cana-de-açúcar, Milho e Soja. Revista de Economia e Agronegócio-REA, v. 11, n. 2, p. 211-234, 2015.

VALOIS, A. C. C. Importância dos transgênicos para a agricultura. Cadernos de Ciência e Tecnologia, v. 18, n. 1, p. 27-53, 2001.

VILLORIA, N. B.; CHEN, B. Yield risks in global maize markets: Historical evidence and projections in key regions of the world. Weather and Climate Extremes, v. 19, p. 42-48, 2018.

WILHELM, W. W.; WORTMANN, C. S. Tillage and rotation interactions for corn and soybean grain yield as affected by precipitation and air temperature. Agronomy Journal, v. 96, n. 2, p. 425-432, 2004.

YAN, W.; ZHONG, Y.; SHANGGUAN, Z. Evaluation of physiological traits of summer maize under drought stress. Acta Agricultura e Scandinavica, Section B - Soil & Plant Science, v. 66, n. 2, p. 133-140, 2016.

ZINSELMEIER, C.; WESTGATE, W. E.; JONES, R. J. Kernel Set at Low Water Potential Does Not Vary with Source/Sink Ration in Maize. Crop Science, v. 35, n. 1, p. 158-163, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2019v12n2p515-540

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.