AGRONEGÓCIO DA AGRICULTURA FAMILIAR COM A CULTURA DE MANGA NO DISTRITO MANIÇOBA EM JUAZEIRO (BA)

Marcelo Dantas Matos da Paz, Denes Dantas Vieira

Resumo


O desenvolvimento das áreas irrigadas tem possibilitado que regiões interioranas, a exemplo do sertão nordestino, destaquem-se na produção, comercialização e geração de renda relacionada ao trabalho com cultivo de frutas tropicais. O presente artigo tem como objetivo analisar a experiência de construção e desenvolvimento do agronegócio, a partir do trabalho de agricultores familiares na produção e comercialização da manga no Vale do São Francisco. Para a realização da pesquisa foi feito um estudo de caso com agricultores da Associação de Produtores Rurais de Campos, no perímetro irrigado do distrito de Maniçoba no município de Juazeiro (BA). Foram utilizados os conceitos teóricos e metodológicos de habitus, campo e capital do sociólogo francês Pierre Bourdieu. Através do estudo das trajetórias sociais e do campo de relações de dois produtores, os resultados apontam para construção de estratégias de produção, comercialização e gestão diferenciadas na forma como esses produtores realizam o agronegócio, isto é revelado através das complexas e desiguais maneiras como esses produtores rurais acumularam, ao longo de suas trajetórias, capital econômico, social e cultural.

Palavras-chave


Agronegócio; Capital; Manga; Trajetória social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2017v10nEd.esp.p33-49

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1981-9951 Impressa
ISSN 2176-9168 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.