SUSTENTABILIDADE DA PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR EM USINAS NO ESTADO DE SÃO PAULO

Fernando Rodrigues de Amorim, Marco Tulio Ospina Patino, Gilson Rogério Marcomini

Resumo


O Brasil é um país que se destaca na produção de cana-de-açúcar por apresentar efetivos rendimentos agrícolas e eficiência industrial, se comparada a outras culturas que também servem para a produção de etanol, como o milho e a beterraba. Entretanto o setor tem apresentado quedas na produção e, consequentemente, no desempenho financeiro das empresas. Este trabalho comparou a estratégia de gestão agrícola de usinas exportadoras e não exportadoras do Estado de São Paulo. Caracteriza-se como uma pesquisa exploratória, com coleta de dados estruturada na técnica de multicasos, ênfase na análise quantitativa e análise da correlação de variáveis integrantes dos aspectos econômico, social e ambiental. O resultado relacionado ao aspecto econômico mostrou que há um melhor desempenho financeiro nas empresas que exportam seus produtos. Em relação ao âmbito social, não se diferem os benefícios das empresas exportadoras de seus subprodutos das que não exportam e também não se difere a quantidade de tonelada de cana-de-açúcar que um trabalhador executa. Em relação ao aspecto ambiental, a impermeabilização dos canais de vinhaça no período da safra das empresas exportadoras não é executada, assim como a incorporação do fertilizante nitrogênio. No entanto, as usinas exportadoras relatam menores problemas com erosão do solo.

Palavras-chave


Ambiental; Econômico; Social.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, F. Por que morrem os cortadores de cana? Saúde e Sociedade, v. 15, n. 3, p. 90-98, 2006. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/sausoc/article/view/7496/9009. Acesso em: 31 mar. 2016.

BACCARIN, J. G.; ALVES, F. J. C.; GOMES, L. F. C. Emprego e condições de trabalho dos canavieiros no Centro-Sul do Brasil, entre 1995 e 2007. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE

BRASILEIRA DE ECONOMIA, 46., 2008, Rio Branco. Anais... Rio Branco: SOBER, 2008. p. 1-21. Disponível em: http://www.sober.org.br/palestra/9/569.pdf. Acesso em: 26 mar. 2016.

BRANDÃO, N. Z.; SOFIATTI, V.; SANA, S. R.; RESENDE, V. A.; MEDEIROS, C. J. Suplementação nitrogenada para o algodoeiro usando dados hiperespectrais obtidos por espectrorradiometria e imagens do sensor AWiFs do ResourseSat -1. p. 338-346. In: BERNARDI, C. C. A.; NAIME, M. J.; RESENDE, V. A.; BASSOI, H. L.; INAMASU, Y. R. Agricultura de Precisão: Resultados de um novo olhar. Brasília. Embrapa. 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2015.

BRASIL. Valor da produção de 2016 fecha em R$ 527,9 bilhões. 2017. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/noticias/valor-da-producao-de-2016-fecha-em-r-527-9-bilhoes/vpb-principais-produtos.pdf . Acesso em: 12 out. 2017.

BIOMASSABIONERGIA. Sustentabilidade é a chave. n. 1. Ed. 11. 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2016.

BHINGE, R.; MOSER, R.; MOSER, E.; LANZA, G.; DORNFELD, D. Sustainability optimatization for global supply chain decision-making. Procedia CIRP, v. 26, p. 323-328, 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2016.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. (CETESB) 2006. Normas técnicas. Vinhaça - critérios e procedimentos para aplicação no solo agrícola. Disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br/wp-content/uploads/sites/11/2014/12/DD-045-2015-C.pdf. Acesso em: 16 maio 2016.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. CONAB. 2017. Indicadores da Agropecuária, ano XXVI, n. 09, set. 2017. Disponível em: http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1522&t=. Acesso em: 13 out. 2017.

FERRAUDO, A. S. Técnicas de Análise Multivariada: uma introdução. Apostila técnica. Curso Análise Exploratória de Dados - Estatística Multivariada, Universidade Estadual Paulista - UNESP, 2014.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

NOVACANA. As usinas de açúcar e etanol do Brasil. 2016a. Disponível em: https://www.novacana.com/usinas-brasil/. Acesso em: 26 abr. 2016.

NOVACANA. O destino está praticamente selado para as 85 usinas em recuperação judicial no Brasil. 2016b. Disponível em: https://www.novacana.com/n/industria/usinas/destino-selado-85-usinas-recuperacao-judicial-brasil-280116/. Acesso em: 09 maio 2016.

PIACENTE, F. J. Agroindústria canavieira e o sistema de gestão ambiental: o caso das usinas localizadas nas bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Dissertação (mestrado em economia) - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2005. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2016.

SPAROVEK, G.; BARRETTO, A. K. I.; PAPP, L.; LINO, J. A revisão do código florestal brasileiro. Novos Estudos, v. 89, p. 111-135, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002011000100007. Acesso em: 14 maio 2016.

SILVA, A. F.; BARROS, G. S. C.; FACHINELLO, A. L.; CASTRO, N. R. Perfil do agronegócio paulista e sua participação em âmbito nacional. 2015. p. 97-113. In: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/RPA%204%202015.pdf. Acesso em: 20 maio 2016.

SOUZA, J. K. C.; MESQUITA, F. O.; SOUZA, M. M. A.; FARIAS, C. H. A.; MENDES, H. C.; NUNES, M. A. Fertirrigação com vinhaça na produção de cana-de-açúcar. ACSA. v. 11, n. 2, p. 7-12, 2015. Disponível em: http://revistas.ufcg.edu.br/acsa/index.php/ACSA/article/view/532. Acesso em: 16 maio 2016.

TREVIZOLI, M. R.; NEVES, M. F. Gestão da inovação em empresas da indústria sucroenergética. Revista de Administração da Fatea, Lorena, v. 10, n. 10, p. 6-21, 2015. Disponível em: http://publicacoes.fatea.br/index.php/raf/article/viewArticle/1330. Acesso em: 10 abr. 2016.

UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR. UNICA 2015. Mais de 100 usinas estão aptas a exportar para os Estados Unidos. [São Paulo, 2015a]. Disponível em: http://www.unica.com.br/noticia/51056092036979688/mais-de-100-usinas-brasileiras-ja-estao-aptas-a-exportar-etanol-para-os-eua/. Acesso em: 29 nov. 2015.

UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR. UNICA. UNICA 2015b. Moagem de cana-de-açúcar e produção de açúcar e etanol - safra 2014-2015. Disponível em: http://www.unicadata.com.br/historico-de-producao-e-moagem.php?idMn=31&tipoHistorico=2&acao=visualizar&idTabela=1802. Acesso em: 11 maio 2016.

VOLPATO, G. L. O método lógico para redação científica. Reciis, v. 9, n. 1, p. 1-14, 2015. Disponível em: http://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/932. Acesso em: 27 abr. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2018v11n4p1133-1145

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.