VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ENERGIA SOLAR NA UNIVASF - CAMPUS JUAZEIRO (BA)

Lucas Di Paula Gama dos Santos, Francisco Ricardo Duarte, Vivianni Marques Leite dos Santos

Resumo


O mundo vive uma nova fase tecnológica e para acompanhar este avanço, as fontes de energia convencionais já não são suficientes para manter o progresso. São necessárias fontes alternativas que complementem as matrizes energéticas. Essas fontes alternativas deverão focar na produção mais limpa e na sustentabilidade. Assim, neste cenário cada vez mais caótico de degradação ambiental, o termo sustentabilidade passou a ser um ponto chave para o desenvolvimento das empresas e está deixando de ser apenas um diferencial competitivo para ser incorporado à filosofia das empresas, constituindo uma questão de sobrevivência organizacional. No Nordeste, há alta incidência solar, a qual é geradora da maioria das outras fontes enérgicas. A Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), campus Juazeiro (BA), constituindo-se como uma instituição federal recente, onde funcionam diversos cursos de engenharia e local de desenvolvimento deste estudo, tem se mostrado como uma mola propulsora do desenvolvimento regional, sendo responsável pela geração de emprego e renda na região do Vale do São Francisco, bem como formando profissionais altamente qualificados em diferentes áreas. Sendo assim, neste artigo adotou-se uma metodologia que permitiu análise técnica e econômica da utilização da energia solar através de um sistema fotovoltaico nas instalações da UNIVASF, campus Juazeiro, que supra 100% da demanda energética. Concluiu-se pela viabilidade técnica e econômica a médio prazo, com benefícios ambientais, sociais e econômicos para a instituição e para a região.

Palavras-chave


Fontes renováveis; Sistemas fotovoltaicos; Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. NBR 16145: Sistemas fotovoltaicos (FV) - características de interface de conexão com a rede elétrica de distribuição - procedimento de ensaio de conformidade. Rio de Janeiro: ABNT, 2013a.

ABNT. NBR 16149: Sistemas fotovoltaicos (FV) - características de interface de conexão com a rede elétrica de distribuição. Rio de Janeiro: ABNT, 2013b.

ABNT. NBR 16274: Sistemas fotovoltaicos conectados à rede - requisitos mínimos para documentação, ensaios de comissionamento, inspeção e avaliação de desempenho. Rio de Janeiro: ABNT, 2014.

ABNT. NBR IEC 62116: Procedimento de ensaio de anti-ilhamento para inversores de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica. Rio de Janeiro: ABNT, 2012b.

AGÊNCIA BRASIL. Em oito anos, 1,2 milhão de residências vão gerar sua própria energia. 2016. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/noticias/infraestrutura/2016/03/em-oito-anos-1-2-milhao-de-residencias-vao-gerar-sua-propria-energia-1. Acesso em: 5 abr. 2017.

ANEEL. Resolução normativa nº 482, de 17 de abril de 2012. Estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia elétrica, e dá outras providências. 2012. Disponível em: http://www2.aneel.gov.br/cedoc/bren2012482.pdf. Acesso em: 20 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Economia. Conselho Nacional de Política Fazendária. Ajuste SINIEF 2, de 22 de abril de 2015. Dispõe sobre os procedimentos relativos às operações de circulação de energia elétrica, sujeitas a faturamento sob o Sistema de Compensação de Energia Elétrica de que trata a Resolução Normativa nº 482, de 2012, da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. 2015. Disponível em: https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/ajustes/2015/AJ_002_15#wrapper. Acesso em: 25 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Educação a Distância. Programa Nacional de Formação em Administração Pública. Projeto pedagógico do curso bacharelado em administração pública modalidade a distância. Petrolina: MEC, 2013. Disponível em: http://www.sead.univasf.edu.br/administrator/arquivos/BACHARELADO%20EM%20ADM%20PUBLICA_PCC.pdf. Acesso em: 27 abr. 2018.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 10: Segurança em instalações e serviços em eletricidade. 2004. Disponível em: https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-10.pdf. Acesso em: 5 maio. 2018.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 11: Transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais. 1978a. Disponível em: http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR11.pdf. Acesso em: 5 maio. 2018.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 15: Atividades e operações insalubres. 1978b. Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr15.htm. Acesso em: 5 maio. 2018.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 35: Trabalho em altura. 2012. Disponível em: http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr35.htm. Acesso em: 5 maio. 2018.

BRITO, P. O. B. de. Dimensionamento de sistemas fotovoltaicos conectados à rede de distribuição: estudo de caso. 2016. 82 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Elétrica) - Universidade Federal do Vale do São Francisco, Juazeiro, 2016.

CASTELLANELLI, M.; SOUZA, S. N. M.; SILVA, S. L.; KAILER, E. K. Desempenho de motor ciclo diesel em bancada dinamométrica utilizando misturas diesel/biodiesel. Engenharia Agrícola, v. 28, n. 1, p. 145-153, fev. 2008.

CENTRO DE REFERÊNCIA PARA AS ENERGIAS SOLAR E EÓLICA SÉRGIO DE S. BRITO. Tutorial da energia solar fotovoltaica. 2008. Disponível em: http://www.cresesb.cepel.br/index.php?section=com_content&cid=tutorial_solar. Acesso em: 15 jun. 2016.

CLARO, P. B. de O.; CLARO, D. P.; AMÂNCIO, R. Entendendo o conceito de sustentabilidade nas organizações. Revista Administração, v. 43, n. 4, p. 289-300, set. 2008.

COELBA. Reajuste tarifário. 2016. Disponível em: http://www.coelba.com.br/Noticias/Pages/reajuste.aspx. Acesso em: 21 mar. 2017.

DRUMM, F. C.; GERHARDT, A. E.; FERNANDES, G. D.; CHAGAS, P.; SUCOLOTTIS, M. S.; KEMERICH, P. D. da C. Poluição atmosférica proveniente da queima de combustíveis derivados do petróleo em veículos automotores. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 18, n. 1, p. 66-78, abr. 2014.

FERREIRA, R. R.; SILVA FILHO, P. C. da. Energia solar FV: geração de energia limpa. 2009. Disponível em: http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010/paper/viewFile/1828/1058. Acesso em: 25 maio. 2016.

GANGA, G. M. D. Trabalho de conclusão de curso (TCC) na engenharia de produção: um guia prático de conteúdo e forma. São Paulo: Ed. Atlas, 2012.

INMETRO. Portaria nº 004, de 04 de janeiro de 2011. Dispõe sobre requisitos de avaliação da conformidade para sistemas e equipamentos para energia fotovoltaica (módulo, controlador de carga, inversor e bateria). 2011. Disponível em: http://www.inmetro.gov.br/legislacao/rtac/pdf/RTAC001652.pdf. Acesso em: 28 jul. 2018.

LIZOTE, S. A.; ANDRADE, D. A. de; SILVA, F.; PEREIRA, R. da S.; PEREIRA, W. da S. Análise de investimentos: um estudo aplicado em uma empresa do ramo alimentício. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 11., 2014, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Faculdades Dom Bosco, 2014. p. 1-14.

MOTTA, R. R.; GONÇALVES, A.; NEVES, C. das; CALÔBA, G.; NAKAGAWA, M; COSTA, R. P. da. Engenharia econômica e finanças. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2009.

NOGUEIRA, L. A. H. A crise do setor energético e a síndrome de país rico. [Entrevista cedida a] ECODEBATE. 2014. Disponível em: https://www.ecodebate.com.br/2014/06/20/a-crise-do-setor-energetico-e-a-sindrome-de-pais-rico-entrevista-com-luiz-augusto-horta-nogueira/. Acesso em: 20 fev. 2017.

SANPOWER. Proposta técnica comercial: sistema fotovoltaico on grid. [Petrolina]: [Sanpower], 2017.

SANTOS, Lucas di Paula Gama dos; SANTOS, Vivianni Marques Leite dos; DUARTE, Francisco Ricardo. Viabilidade da utilização de energia solar na Univasf - Campus Juazeiro-BA, Juazeiro: Univasf, 2017. 26 slides, color.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO. Relatório de gestão do exercício de 2013. Petrolina: UNIVASF, 2014. Disponível em: http://www.univasf.edu.br/acessoainformacao/arquivos/relatorio_de_gestao_UNIVASF_2013.pdf. Acesso em: 5 jun. 2016.

URTADO, Ed. S.; SANTO, V. da S.; QUINTAIROS, P. C. R.; OLIVEIRA, A. de A. Q. Aplicação do método do valor presente líquido (VPL) na análise da viabilidade econômica de projetos na indústria metal mecânica: um estudo de caso. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 13., ENCONTRO LATINO AMERICANO DE PÓS-GRADUAÇÃO, 9., ENCONTRO LATINO AMERICANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA JÚNIOR, 3., 2009, São José dos Campos. Anais [...]. São José dos Campos: UNIVAP, 2009. p. 1-4.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2019v12n4p1227-1249

Revista em Agronegócio e Meio Ambiente


Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 2176-9168 On-line
ISSN 1981-9951 Versão impressa interrompida em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.