Rabelais: satirizando o velho mundo

Gislene Miotto Catolino Raymundo

Resumo


Este texto constitui o resultado das reflexões realizadas sobre a educação para Rabelais, especificamente em sua obra "Gargantua e Pantagruel". A análise de sua obra nos possibilitou compreender de maneira mais sensível os séculos XVI e XVII, de efervescentes acontecimentos, em que os homens acreditavam em seu poder de ação e de transformação da realidade. Portanto, em comum e em vigor surge uma nova forma de perceber o homem, diferentemente da concepção da Idade Média. Também uma nova prática, que não apresenta características da filosofia escolástica. Considerando que Rabelais é aceito como legítimo representante do pensamento moderno, principalmente no que diz respeito à educação, recolhemos de sua obra críticas feitas à escolástica quanto ao conteúdo e a forma de ensinar, sugestões e princípios para um ensino bem sucedido e questões necessárias para a formação do homem moderno.

Palavras-chave


educação; homem; modernidade

Texto completo:

Artigo_pdf


Revista Cesumar – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9176 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1516-2664 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.