CONFRONTO DE GIGANTES: OS DEBATES PRESIDENCIAIS E AS BUSCAS DOS INTERNAUTAS ESTADUNIDENSES EM 2016

Thiago Perez Bernardes de Moraes

Resumo


Debates eleitorais são considerados nos Estados unidos como eventos de grande impacto. Diferente de outros formatos de comunicação política, neste, os estadunidenses têm a oportunidade de conferir um “confronto direto” entre os candidatos. Neste ponto, o objetivo deste trabalho é aferir se nas eleições de 2016, os debates presidenciais influenciaram os internautas a buscarem mais informações sobre os candidatos. Trabalhamos com três hipóteses: (I) considerando a grande audiência dos debates, presumivelmente, Trump e Clinton, tiveram a visibilidade aumentada na internet por conta dos debates. (II) é crível que os debates não elevam o interesse dos internautas pelos vices. (III) visto que as pesquisas pós-debate apontaram que Clinton “venceu” os três debates, ela, mais do que Trump, pode ter sua visibilidade aumentada na internet por conta dos debates. Os resultados mostram que ¼ das buscas realizadas pelos internautas por candidatos à presidência podem ser atribuídas como consequência dos debates, o que corrobora a primeira hipótese. Aferiu-se também que não há correlação matemática entre as buscas realizadas pelos debates e a procura pelos candidatos a vice, o que confirma a segunda hipótese. Igualmente, a terceira hipótese foi conjuntamente aderente, ponderando que o efeito do debate (enquanto variável independente) foi levemente mais significante em auxiliar a ascensão das buscas dos internautas pela candidata Hillary Clinton.

Palavras-chave


Debates presidenciais; Eleições 2016; Donald Trump; Hillary Clinton; Internet.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWITZ, A. I. The impact of a presidential debate on voter rationality. American Journal of Political Science, p. 680-690, 1978. Disponível em: Acesso em: 13 out. 2016.

ANDRÉ, J. G. 2016: A longa caminhada: das eleições primárias à sucessão de Obama. Relações Internacionais (R: I), n. 51, p. 27-41, 2016. Disponível em: Acesso em 12 Dez. 2016.

CHERKAOUI, M. Clinton versus Trump: Two-Distant Visions for America. Al Jazeera Centre For Studies, p.17, 2016. Disponível em: Acesso em 07 Dez. 2016.

DESAI, A. R. Social Background Of Indian Nationalism. Popular Prakashan, 2005.

ELIOPOULOS, G. M. et al. The use and interpretation of quasi-experimental studies in infectious diseases. Clinical Infectious Diseases, v. 38, n. 11, p. 1586-1591, 2004. Disponível em: Acesso em 19 Nov. 2016.

ELRICK, K. Ironic feminism: Rhetorical critique in satirical news. 2016. Tese de Doutorado. Clemson University. Disponível em: Acesso em 13 Jan. 2017.

KOLLANYI, B.; HOWARD, P. N.; WOOLLEY, S. C. Bots and automation over Twitter during the first US Presidential debate. COMPROP Data Memo, 2016. Disponível em: < https://assets.documentcloud.org/documents/3144967/Trump-Clinton-Bots-Data.pdf > Acesso em 14 Nov. 2016.

KRAUS, S. Televised presidential debates and public policy. Routledge, 2013.

LEE, J.; LIM, Y. Gendered campaign tweets: The cases of Hillary Clinton and Donald Trump. Public Relations Review, v. 42, n. 5, p. 849-855, 2016. Disponível em: < http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0363811116302053 > Acesso em 12 Dez. 2016.

LIEVEN, A. Clinton and Trump: Two Faces of American Nationalism. Survival, v. 58, n. 5, p. 7-22, 2016. Disponível em: < https://www.iiss.org/-/media/silos/survival/2016/survival--global-politics-and-strategy-october-november-2016/58-5-02-lieven/58-5-02-lieven.pdf> Acesso em 18 Dez. 2016.

MAGDY, W.; DARWISH, K. Trump vs. Hillary Analyzing Viral Tweets during US Presidential Elections 2016. arXiv preprint arXiv:1610.01655, 2016. Disponível em: < https://arxiv.org/pdf/1610.01655> Acesso em 12 Dez. 2016.

MATHER, R. D.; JEFFERSON, K. W. The Authoritarian Voter? The Psychology and Values of Donald Trump and Bernie Sanders Support. Journal of Scientific Psychology, p. 1-8, 2016. Disponível em: Acesso em 13 Out. 2016.

MORAES, T. P. B. et al. Mulheres, política e sub-representação. Um estudo sobre a correlação entre qualidade da democracia, ideologia e mulheres nos parlamentos. Derecho y Cambio Social, v. 11, n. 36, p. 32, 2014. Disponível em: < https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5472577.pdf > Acesso em 15 Out. 2016.

MORAES, T. P. B. Newspapers and Elections: An Empirical Study on the Relationship Between Electoral Interest and Newspapers in Brazil (2004-2014). Revista Cesumar–Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, v. 21, n. 1, p. 45-59, 2016. Disponível em: Acesso em 18 Out. 2016.

MORAES, T. P. B.; SANTOS, R. M. Caça ao terrorismo e corrida eleitoral. Um estudo sobre o impacto do interesse regional pela morte de Osama bin Laden e a relação com os votos nas eleições presidenciais de 2012 nos Estados Unidos. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 37, n. 1, p. 13, 2015. Disponível em: < http://eduem.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHumanSocSci/article/viewFile/24281/pdf_39> Acesso em 22 Dez. 2016.

MORAES, T. P. B.; SANTOS, R. M. Do# ForaDilma ao# ForaTemer–as duas faces antagônicas de Jano. Pauta Geral-Estudos em Jornalismo, v. 3, n. 2, p. 66-82, 2016a. Disponível em: Acesso em 19 Dez. 2016.

MORAES, T. P. B.; SANTOS, R. M. Charlie Hebdo: Polémica, religião e o interesse dos usuários de Internet franceses. Comunicação Pública, v. 11, n. 20, 2016b. Disponível em: Acesso em 17 Dez. 2016.

MORAES, T. P. B.; SANTOS, R. M. Os protestos no Brasil: Um estudo sobre as pesquisas na web, e o caso da Primavera Brasileira. Revista internacional de investigación en ciencias sociales, v. 9, n. 2, p. 193-206, 2013. Disponível em: < https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/4713950.pdf > Acesso em 12 Dez. 2016.

MORAES, T. P. B.; QUADROS, D. G. de. Dos holofotes para o Youtube: debates e eleição presidencial de 2014. In: Congresso Internacional de Comunicação Política e Estratégias de Campanha, 5., 2016, Buenos Aires. Ponências. Buenos Aires: Asociación Lationoamericana de Investigadores En Campañas Electorales, 2016. p. 1 - 13. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2016.

PARIGI, P.; SANTANA, J. J.; COOK, K. S. Online Field Experiments: Studying Social Interactions in Context. Social Psychology Quarterly, v. 80, n. 1, p. 1-19, 2017. Disponível em: < http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0190272516680842 >Acesso em 13 Jan. 2017.

PREIS, T.; MOAT, H. S.; STANLEY, H. E. Quantifying Trading Behavior in Financial Markets Using Google Trends. Scientific Reports, v. 3, p. 1684, 2013. Disponível em: < http://www.uvm.edu/~pdodds/research/papers/files/2013/preis2013a.pdf > Acesso em 14 Dez. 2016.

REUNING, K.; DIETRICH, N. Donald Trump has nothing left to gain from media coverage. Washington Post, v. 15, 2016. Disponível em: Acesso em 11 Dez. 2016.

SONG, T. M. et al. Psychological and social factors affecting Internet searches on suicide in Korea: a big data analysis of Google search trends. Yonsei medical journal, v. 55, n. 1, p. 254-263, 2014. Disponível em: < https://synapse.koreamed.org/DOIx.php?id=10.3349/ymj.2014.55.1.254> Acesso em 12 Dez. 2016.

TORRES, E. C. Debates presidenciais na televisão: à procura de interesse, avaliação e efeitos. in Lobo, MC, Magalhães, P. orgs. As Eleições Legislativas e Presidenciais, v. 2006, p. 75-103, 2005. Disponível em: Acesso em 18 Out. 2016.

TORRES, E. C. A televisão e o serviço público. Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2016.

WANG, Y.; LI, Y.; LUO, J. Deciphering the 2016 US Presidential Campaign in the Twitter Sphere: A Comparison of the Trumpists and Clintonists. In: Tenth International AAAI Conference on Web and Social Media. 2016. Disponível em: < https://arxiv.org/pdf/1603.03097> Acesso em 12 nov. 2016.

WINNEG, K.; JAMIESON, K. H. Learning From the 2016 US General Election Presidential Debates. American Behavioral Scientist, p. 276-270, 2017. Disponível em: < http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0002764217702770 > Acesso em 12 Jan. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1516-2664.2017v22n1p39-60

Revista Cesumar - Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil

Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1516-2664 Impressa
ISSN 2176-9176 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.