AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO BULLYING DE ACADÊMICOS DO CURSO DE PEDAGOGIA

Karen de Azevedo Coutinho, Solange Franci Raimundo Yaegashi, Luciane Guimarães Batistella Bianchini, Rute Grossi Milani, Regiane da Silva Macuch

Resumo


O presente estudo teve como objetivo compreender as representações sociais sobre o bullying, compartilhadas pelos acadêmicos do curso de Pedagogia de uma universidade pública do Paraná. Justificamos este estudo pela necessidade de compreender a conceituação do bullying pelos acadêmicos desse curso, futuros professores, visando contribuir com a formação dos novos profissionais da Educação na ampliação de conhecimentos relativos à temática. Como suporte teórico-metodológico, foi adotada a Teoria das Representações Sociais (TRS), a qual permite investigar como se forma o funcionamento dos sistemas de referência utilizados para classificar pessoas e grupos e para interpretar os acontecimentos da realidade cotidiana. Participaram do estudo 12 turmas do curso de Pedagogia, totalizando 261 participantes. Além da investigação proposta, baseada num sistema de classificação do método, também foi utilizado o instrumento denominado Teste de Associação Livre de Palavras, para a validação dos objetos representados pela população investigada, com a criação das categorias, via OME (Ordem Média de Evocações) e frequência de evocações (f). Os resultados das duas evocações: “Bullying é” e “Bullying pode levar a vítima a” revelaram que os participantes da pesquisa conceituam bullying ancorando seus conhecimentos sobre o tema na mídia e no senso comum, ou seja, para eles o bullying é uma forma de agressão (física, verbal ou moral) que se utiliza de maldade e crueldade com o intuito de desrespeitar, humilhar e excluir outros mais fracos. Foi possível compreender, por meio da identificação das representações sociais dos acadêmicos de Pedagogia que se faz necessária a conscientização/sensibilização dos mesmos, por meio de palestras, Workshops, cursos nas escolas, nas universidades e em centros de apoio à criança, a fim de promover discussões acerca do assunto, de maneira que essas discussões podem estar vinculadas a outras áreas de ensino como Psicologia, Medicina e Enfermagem, já que este fenômeno acarreta prejuízos físicos e psicológicos. Sugere-se, ainda, a realização de trabalhos em grupo (com a finalidade de aproximar os pares), bem como o trabalho com o teatro, por meio do lúdico, pode-se possibilitar à criança expressar simbolicamente o que foi reprimido, expor seus sentimentos, a insegurança, a frustração e a agressividade, permitindo, assim, a conscientização deste ato de violência.

Palavras-chave


Representações Sociais; Senso Comum; Bullying; Saúde escolar; Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A.S.P.; OLIVEIRA, D.C. (Orgs.). Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB, 1998. p. 27-38.

ABRIC, J. C. Las representaciones sociales: Aspectos Teóricos. In: ABRIC, J. C. (Org.). Práticas sociales y representaciones. Trad. José Dacosta Chevrel y Fátima Flores Palacíos. Ediciones Coyoacán, México, 2001, p. 11-32.

ALMEIDA, L. S. LISBOA, C. Habilidades sociais e bullying: uma revisão sistemática. Contextos clínicos. São Leopoldo, v. 7, n. 1, p. 62 – 75. jan – jun. 2014

ANTUNES, D.C. Bullying: razão instrumental e preconceito. São Paulo. Casa do Psicólogo, 2010.

BINSFELD, A.R.; LISBOA, C.S.M. 2010. Bullying: um estudo sobre papéis sociais, ansiedade e depressão no contexto escolar do Sul do Brasil. Interpersona: an International Journal on Personal Relationships, 4(1):74-105.

CONSTANTINI, Alessandro. Bullying: Como combatê-lo? Prevenir e enfrentar a violência entre jovens. Tradução: Eugênio Vinci de Moraes. São Paulo: Itália Nova Editora, 2004.

CORTES JUNIOR, L. P. As representações sociais de “Química Ambiental”: contribuições para a formação de bacharéis e professores de química. São Paulo, 2008. Dissertação de Mestrado – Instituto de Química, Física e Biociência e Faculdade de Educação, da Universidade de São Paulo.

CORTES JUNIOR, L. P. FERNANDEZ, C. A educação ambiental na formação de professores de Química: Estudo diagnóstico e representações sociais. Revista Química Nova, São Paulo, v. 39, n. 6, p. 748-756, jul. 2016. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/qn/v39n6/0100-4042-qn-39-06-0748.pdf > Acesso em 02 ago 2016.

COUTINHO, Karen de Azevedo. Bullying e dificuldades de aprendizagem: consequências de uma violência velada. 47 f. Monografia (Especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional) – Universidade Estadual de Maringá.

COUTINHO, Karen de Azevedo. As representações sociais de acadêmicos do curso de Pedagogia acerca de bullying. 212 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá.

FANTE, Cleo; PEDRA, J. A. Bullying escolar: perguntas e respostas. Porto Alegre: Artmed, 2008.

GONÇALVES, Helenice Maia. Subjetividade e representações sociais: Estado da arte da produção nacional 2000-2010. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2016.

JODELET, Denise. La Representation Social: Fenômenos, Concepto y Teoría. In: MOSCOVICI, Serge (Org.). Psicologia Social. Barcelona: Paidós, 1984. p. 469-494.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Os contextos do saber: representações, comunidade e cultura. Trad. Pedrinho Guareschi. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Representações sociais: para uma fenomenologia dos saberes Sociais. Revista Psicologia & Sociedade, v. 10 n.1 p.54-68; jan./jun.1998. Disponível em: abrapso.org.br/.../images/.../P_e_S_volume%20_10_numero_1_1998.do.. > Acesso em: 20 abr. de 2016

JOVCHELOVITCH, Sandra. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e Representações Sociais. In: GUARESCHI, P.; JOVICHELOVTCH, S. (Org.) Textos em Representações Sociais. 14 ed. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 53-72.

LEMOS, A. C. M. Uma visão psicopedagógica do bullying escolar. Revista Psicopedagogia, 24(73), 2007, pp. 68-75.

LYRA, L. R.; BAUMER, G. C. Bullying e filhos de presidiários no ensino fundamental: algumas reflexões. Colóquio Internacional de Educação e Seminário sobre Indicadores de Qualidade do ensino fundamental, v. 1, p. 609-618, 2011.

MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. O.; TOMANIK, E. A. Representações sociais e direcionamento para a educação ambiental na Reserva Biológica das Perobas, Paraná. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 227-248, 2012.

MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. O.; TOMANIK, E. A. Representações sociais de subsídios para a formação continuada de professores. Ciências e Educação, Bauru, v. 19, n. 1, p. 181-199, 2013.

MENIN, M. S. S.; SHIMIZU, A. M.; LIMA, C. M. A Teoria das Representações Sociais nos estudo sobre representações de professores. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 137, maio/ago. 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/cp/v39n137/v39n137a11.pdf > Acesso em: 05 de ago de 2015.

MIDDELTOM-MOZ, J.; ZAWADSKI, M. L. Bullying: estratégias de sobrevivência para crianças e adultos. Tradução: Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2007.

MOSCOVICI, Serge. A psicanálise, sua imagem e seu público. Trad. Sonia Fuhrmann. Petrópolis: Vozes, 2012.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. Trad. Pedrinho A. Guareschi. 11ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

NAIFF, D. G. M. NAIFF, L. A. M. SOUZA, M. A. As representações sociais de estudantes universitários a respeito das cotas para negros e pardos nas universidades públicas brasileiras. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 216-229, 2009. Disponível em:< http://www.revispsi.uerj.br/v9n1/artigos/pdf/v9n1a17.pdf> Acesso em 10 de jun. 2016.

OLIVEIRA, D. C.; FISCHER, F. M.; TEIXEIRA, M. C. T. V.; SÁ, C. P.; GOMES, A. M. T. Representações sociais do trabalho: uma análise comparativa entre jovens trabalhadores e não trabalhadores. Ciências e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3 p. 763-773, 2010.

PULLIN, E. M. P. PRYJMA, L. C. Representações sociais da leitura: núcleo central e periferia dessas representações entre professores. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 6, n. 2, 2011, p. 207-222.

SÁ, C. P. A Construção do Objeto de Pesquisa em Representações Sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

SÁ, C.P. Núcleo Central das Representações Sociais. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

SPINK, M. J. P. O estudo empírico das Representações Sociais. In: SPINK, M. J. O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Editora Brasiliense, 1993,. p. 85-108.

WEISS, Maria Lúcia L. Psicopedagogia Clínica: uma visão diagnóstica dos problemas de aprendizagem escolar. Rio de Janeiro: DP&A Editora.

ZARZI, L. Z. As implicações do bullying escolar na aprendizagem dos alunos: um olhar do professor. In: XI Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, Curitiba, 2013. Acesso em: 20 de jun. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1516-2664.2017v22n2p265-293

Revista Cesumar - Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil

Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1516-2664 Impressa
ISSN 2176-9176 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.