APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMA (PBL): UMA INOVAÇÃO EDUCACIONAL?

Braz da Silva Ferraz Filho, Aline Coêlho dos Santos, Renata Oliveira da Silva, William Bittencourt, Régis Nepomuceno Peixoto, Roderval Marcelino

Resumo


O presente artigo trata de uma discussão acerca de Aprendizagem Baseada em Problema (PBL) e Inovação Educacional, buscando estabelecer relações significativas entre essas duas variáveis, a fim de identificar se há ou não inovação quanto à aplicação da PBL no processo de ensino. O arcabouço desta construção tem como objeto de reflexão a atual situação do ensino nas suas diferentes modalidades, que nos últimos anos sofrem com críticas negativas a respeito de sua qualidade e eficácia. Essa pesquisa trata-se de uma revisão sistemática da literatura, caracterizada como qualitativa de cunho exploratório descritivo. Para sua efetivação, foi realizada uma análise descritiva e bibliométrica em 21 artigos da base de dados SCOPUS. Evidenciou-se que a PBL, apesar de não ser atual, propõe um repensar os métodos tradicionais de ensino, bem como sugere inovação nas práticas-pedagógicas, desde que, esta esteja planejada dentro dos critérios norteadores já pré-estabelecidos para área, ou seja, que atendam à indicadores de inovação educacional, e que estejam em concordância com o contexto aplicado.

Palavras-chave


Aprendizagem Baseada em Problema; Inovação Educacional; Tecnologias Educacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, M. V.; VASCONCELOS, C. Educação para o Desenvolvimento Sustentável em espaços de educação não formal: a aprendizagem baseada na resolução de problemas na formação contínua de professores de Ciências. Interacções, v. 11, n. 39, p. 355-367, 2015.

ARAÚJO, R. F.; ALVARENGA, L. A Bibliometria na pesquisa científica da Pós-graduação brasileira de 1987 a 2007 10.5007/1518-2924.2011v16n31p51. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 16, n. 31, p. 51-70, maio 2011.

ARRUDA, M. P. de; LISBOA, M. D. Construindo competências para o século XXI: Dilemas e reflexões do professor pesquisador. In: EHLERS, A. C. S. T.; TEIXEIRA, C. S.; SOUZA, M. V. de. Educação fora da caixa: tendência para a educação no século XXI. Florianópolis, SC: Bookess, 2015.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia da educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 2, n. 2, p. 139-154, fev. 1998.

CHAN, Z. C. Y. Role-playing in the problem-based learning class. Nurse Education In Practice, v. 12, n. 1, p. 21-27, jan. 2012.

CHRISTENSEN, C.; HORN, M.; JOHNSON, C. Inovação na sala de aula: como a inovação disruptiva muda a forma de aprender. Porto Alegre: Bookman, 2009.

NUNES, C. S.; KEIKONAKAYAMA, M.; SILVEIRA, R. A.; STEFANI, C.; CALEGARI, D. Critérios e Indicadores de Inovação na Educação. In: EHLERS, A. C. S. T.; TEIXEIRA, C. S.; SOUZA, M. V. de. Educação fora da caixa: tendência para a educação no século XXI. Florianópolis, SC: Bookess, 2015.

ELDREDGE, J. D; HESKETT, K. M.; HENNER, T.; TAN, J. P. Current practices in library/informatics instruction in academic libraries serving medical schools in the western United States: a three-phase action research study. Bmc Medical Education, v. 13, n. 1, p.119-130, 4 set. 2013.

FONSECA, E. D. (Org). Bibliometria: teoria e prática. São Paulo: Cultrix; Ed. da USP, 1986.

FREEMAN, A.; BECKER, A. S.; HALL, C. NMC Technology Outlook for Brazilian Universities: A Horizon Project Regional Report. Austin: The New Media Consortium, 2015.

HADGRAFT, R.; HOLECEK, D. Viewpoint: towards total quality using problem-based learning. International Journal of Engineering Education, v. 11, n. 1, p. 8-13, 1995.

JAEGER, A.; MAYRHOFER, W.; KUHLANG, P.; MATYAS, K.; SIHN, W. Total immersion: Hands and heads-on training in a learning factory for comprehensive industrial engineering education. International Journal of Engineering Education, v. 29, n. 1, p. 23–32, 2013.

JAMES, H.; AL KHAJA, K. A.; SEQUEIRA, R. P. Effective use of real-life events as tools for teaching-learning clinical pharmacology in a problem-based learning curriculum. Indian Journal of Pharmacology, v. 47, n. 3, p. 316-321, jun. 2015.

JOHNSON, E. O.; CHARCHANTI, A. V.; TROUPIS, T. G. Modernization of an anatomy class: From conceptualization to implementation. A case for integrated multimodal-multidisciplinary teaching. Anatomical Sciences Education, v. 5, n. 6, p. 354–366, Nov. 2012.

KILGOUR, J. M.; GRUNDY, L.; MONROUXE, L. V. A Rapid Review of the Factors Affecting Healthcare Students’ Satisfaction with Small-Group, Active Learning Methods. Teaching and Learning in Medicine, v. 28, n. 1, p. 15–25, jan. 2016.

MCFALLS, M. Integration of Problem-based Learning and Innovative Technology Into a Self-Care Course. American Journal of Pharmaceutical Education, v. 77, n. 6, p. 127-131, ago. 2013.

MCLAUGHLIN, J. E.; ROTH, M. T.; GLATT, D. M.; GHARKHOLONAREHE, N.; DAVIDSON, C. A.; GRIFFIN, L. M.; ESSERMAN, D. A.; MUMPER, R. J. The Flipped classroom: A course redesign to foster learning and engagement in a health professions school. Academic Medicine, v. 89, n. 2, p. 236–243, fev. 2014.

NADERSHAHI, N. A.; BENDER, D. J.; BECK, L., LYON, C.; BLASEIO, A. An Overview of case-based and problem-based learning methodologies for dental education. Journal of Dental Education, v. 77, n. 10, p. 1300–1305, out. 2013.

OLIVARES, S.; SAIZ, C.; RIVAS, S. F. Encouragement for thinking critically. Electronic Journal of Research in Educational Psychology, v. 11, n. 2, p. 367-394, set. 2013.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Manual de Oslo: Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. Paris: OCDE, 2005.

ORTEGA, P.; RAMÍREZ, M.; TORRES, J.; LÓPEZ, A.; YACAPANTLI, C.; SUÁREZ, L.; RUIZ, B. Modelo de innovación educativa. Un marco para la formación y el desarrollo de una cultura de la innovación. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, v. 10, n. 1, p. 145-173, 2007.

PADILHA, M. Inovação Tecnoeducativa: um olhar para projetos brasileiros. São Paulo: Fundação Telefônica e Organização dos Estados Ibero-americanos, 2012.

POON, S. K.; REED, S.; TANG, C. Problem-based learning in distance Education: a case study. Proceedings of the 5th International Conference on Modern Industrial Training, Jinan, China, 1997. p. 593-600.

RIBEIRO, L. R. C. Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL): uma experiência no ensino superior. São Paulo: EdUFSCar, 2008.

ROBLEDO, P.; FIDALGO, R.; ARIAS, O.; ÁLVAREZ, L. Percepción de losestudiantes sobre eldesarrollo de competencias a través de diferentes metodologíasactivas. Revista de Investigación Educativa, v. 33, n. 2, p. 369–383, 2015.

SAKAI, M. H.; LIMA, G.Z. PBL: Uma visão geral do método. Olho Mágico, Londrina, v. 2, n. 5/6, n. esp., 1996.

SCOPUS. Search for an author profile. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2017.

SOARES M. A.; ARAÚJO A. M. P.; LEAL E. A. Evidências Empíricas da Aplicação do Método Problem-based Learning (PBL) na Disciplina de Contabilidade Intermediária do Curso de Ciências Contábeis. Rio de Janeiro: Enanpad, 2008.

TIBÉRIO, I. F. L.; ATTA, J. A.; LICHTENSTEIN, A. O aprendizado baseado em problemas - PBL. Revista de Medicina, São Paulo, v. 82, n. 1-4, p. 78-80, jan./dez 2003.

VIEIRA, A. T. Sistemas de Informação e comunicação: apoio à aprendizagem coletiva na escola. In: VIEIRA, A. T., ALMEIDA, M. E. B.; ALONSO, M. (Org.). Gestão Educacional e Tecnologia. São Paulo: Avercamp, 2003.

VILA, L. E.; PEREZ, P. J.; MORILLAS, F. G. Higher educationand the development of competencies for innovation in the workplace. Management Decision, v. 50, n. 9, p. 1634-1648, out. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1516-2664.2017v22n2p403-424

Revista Cesumar - Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil

Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1516-2664 Impressa
ISSN 2176-9176 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.