COMÉRCIO ELETRÔNICO: O VAREJO VIRTUAL BRASILEIRO

Simone Cardoso, Márcia Hiroko Kawamoto, Ely Mitie Massuda

Resumo


O comércio eletrônico tem se expandido no mundo nos mais diversos segmentos e o Brasil segue essa mesma tendência. Apesar do crescimento mundial do comércio eletrônico, poucos estudos são realizados, em especial sobre o Brasil. Como objetivo descrever evolução e características do varejo virtual brasileiro, a pesquisa foi realizada por meio de acesso aos periódicos científicos nas bases de dados do portal de periódicos da Capes, Emerald, EBSCO, Scopus, Scielo e Proquest, sem delimitação de data de publicação e em português. Também foram utilizados os relatórios que foram popularizados como Webshoppers. Verificou-se que as empresas de comércio eletrônico se concentram na região Sudeste e as categorias mais vendidas são dos setores de saúde, cosméticos e perfumaria além de moda e acessórios. Houve aumento nas vendas do varejo online mesmo em período de crise e instabilidade econômica.

Palavras-chave


Vendas online; E-commerce; Business to Consumer.

Texto completo:

PDF

Referências


BE, R. Inovação é potência motriz que move o e-commerce. 2018. Disponível em: https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/inovacao-e-potencia-motriz-que-move-o-e-commerce/. Acesso em: 21 jun. 2019.

ABIHPEC. Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. Anuário ABIHPEC 2018. São Paulo: ABIHPEC, 2018. Disponível em: https://abihpec.org.br/anuario-2018-flip/mobile/index.html#p=6. Acesso em: 21 jun. 2019.

ALBERTIN, A. L. Pesquisa FGV-EAESP de comércio eletrônico no mercado brasileiro. 18. ed. Fundação Getúlio Vargas: Rio de Janeiro, 2016.

ALBERTIN, A. L. Comércio eletrônico: modelo, aspectos e contribuições de sua aplicação. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BERTAGLIA, P. R. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

CATALANI, L. et al. E-commerce. 1. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

CERIBELI, H. B.; MERLO, E. M.; CÂNDIDO, A. Uma proposta de segmentação dos consumidores no comércio eletrônico. Nucleus, Ituverava, v. 11, n. 1, 2014.

COELHO, L. D. S.; OLIVEIRA, R. C.; ALMÉRI, T. M. O crescimento do e-commerce e os problemas que o acompanham: a identificação da oportunidade de melhoria em uma rede de comércio eletrônico na visão do cliente. Revista de Administração do Centro Universitário Salesiano de São Paulo- UNISAL, Campinas, v. 3, p. 63-85, Jan/Abr 2013.

EBIT. Webshoppers. 34. ed. São Paulo, 2016.

EBIT. Webshoppers. 35. ed. São Paulo, 2017.

EBIT. Webshoppers. 36. ed. São Paulo, 2018.

FEE. Fundação de Economia e Estatística. Atualização de valores. 2017. Disponivel em: http://www.fee.rs.gov.br/servicos/atualizacao-valores/. Acesso em: 20 fevereiro 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PIB, 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/explica/pib.php. Acesso em: 21 jun. 2019.

IPEA. Instituto de pesquisa econômica aplicada. Desemprego de longo prazo cresce 42,4% entre 2015 e 2019. 2019. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-06/desemprego-de-longo-prazo-cresce-424-entre-2015-e-2019. Acesso em: 21 jun.2019.

KALAKOTA, R.; WHINSTON, A. Eletronic commerce: a manager’s guide. New York: Addison-Wesley, 1997.

KOTLER, P.; KARTAJAYA, H.; SETIAWAN, I. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

LAS CASAS, A. L.; PINHEIRO, W. Correlação entre produção científica e pesquisa de mercado sobre o comércio eletrônico no Brasil. Universitas Gestão e TI, Brasília, v. 3, n. 2, p. 43-51, ju-dez 2013.

NASCIMENTO, R. M. D. E-commerce no Brasil: perfil do mercado do e-consumidor brasileiro. 1. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2011.

SCANDIUZZI, F.; OLIVEIRA, M. M. B.; ARAÚJO, G. J. F. D. A logística no Comércio eletrônico B2C: um estudo nacional multicasos. Revista de Estudos do CEPE, Santa Cruz do Sul, v. 34, p. 231-241, Jul-Dez 2011.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. 3ª pesquisa nacional de varejo online. SEBRAE e E-commerce Brasil: Brasília, 2016.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Mercado de cosméticos. 2019. Disponível em: http://www.sebraemercados.com.br/mercado-de-cosmeticos/. Acesso em: 21 jun. 2019.

TOMÉ, L. M. Comércio eletrônico. Caderno Seytoriaç. Banco do Nordeste. Ano 3, n. 43, set. 2018. Disponível em: https://www.bnb.gov.br/documents/80223/4049480/43_Ecommerce_2018.pdf/2ad80a68-847f-cda8-34b4-4f3f27496339. Acesso em: 21 jun. 2019.

VENETIANER, T. Como vender seu peixe na internet: um guia prático de marketing e comércio eletrônico. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

WORLD BANK. 2016 International Bank for Reconstruction and Development. Washington DC, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1516-2664.2019v24n1p117-134

Revista Cesumar – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9176 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1516-2664 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.