No Meio do Caminho Tinha... A Ortografia!

Márcia Adriana Dias Kraemer

Resumo


Pressupondo que as práticas relacionadas à língua materna, especificamente as desenvolvidas em sala de aula, estabelecem um intercâmbio contínuo e dialético com as demais práticas sociais historicamente delimitadas, defendemos que a organização de conteúdos, o planejamento e a implantação de atividades, a escolha de material e dos recursos didáticos, assim como a avaliação do ensino e da aprendizagem, são resultantes das concepções dos agentes engajados no processo de ensino e das escolhas que delas decorrem. Dessa forma, o presente artigo tem como intuito relacionar a concepção interacionista de linguagem e a questão de ensinar e de aprender gramática por meio de gêneros discursivos, uma vez que a prática de análise e de reflexão sobre a língua, por essa via, pode ser fundamental para a expansão da capacidade de interpretar e de produzir textos. A partir dela, é possível explicitar saberes implícitos dos alunos, abrindo espaço à sua reelaboração (no caso da escrita), ou à discussão sobre diferentes sentidos atribuídos ao texto, no caso da leitura, e ainda sobre elementos discursivos que validam ou não essas atribuições de sentido. Essa prática promove uma atividade constante de formulação e verificação de hipóteses sobre o funcionamento da linguagem, por exemplo, na observação de regularidades – tanto no sistema de escrita quanto nos aspectos ortográficos ou gramaticais.

Palavras-chave


Linguagem; Ensino; Gramática; Ortografia; Language; Education; Grammar; Orthography.

Texto completo:

Artigo_Pdf


Revista Cesumar – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9176 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1516-2664 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.