Análise Filosófica sobre o Princípio da Dignidade Humana como uma Nova Teoria de Justiça

Cleide Aparecida Gomes Rodrigues Fermentão

Resumo


A análise da Justiça como valor essencial e a dignidade humana como uma nova teoria de justiça, é o que propõe o presente artigo. Para isso far-se-á uma pesquisa filosófica sobre as teorias da justiça defendidas por John Rawls, e por Serge-Christophe Kolm, e a análise da justiça como igualdade e liberdade. O vínculo essencial para a vida com liberdade e dignidade humana, se desenvolve entre o direito e os fatos sociais, sob a influência da vida social, que de forma dinâmica acrescenta a cada dia novos valores, e a pessoa humana é protegida pelo Princípio da dignidade humana em seus direitos personalíssimos, que lhe garante justiça. Dentre todos os valores que fincam a pessoa humana à vida, a justiça, a dignidade, e a liberdade se apresentam como necessários para nortear os pensamentos e proporcionar condições para que o homem se conheça, se estruture e tenha como tutela os seus valores interiores, e o direito como essencialidade. O princípio da dignidade humana, diante da crise dos valores morais, sociais e éticos. tem sido a garantia de justiça

Palavras-chave


Justiça, igualdade, liberdade, dignidade humana

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, Robert. Dignidade humana, direitos sociais e não-positivismo inclusivo. Florianópolis, SC: Qualis, 2015.

ANDORNO, Roberto. Bioética Y dignidad de la persona. Madrid: Tecnos, 2012.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 3. ed. Tradução Edson Bini. Bauru, SP: Edipro, 2009.

BOBBIO, Norberto. Direito e Estado no pensamento de Emanuel Kant. São Paulo: Mandarim, 2000.

BOBBIO, Norberto. Igualdade e liberdade. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

DENNIS LLOYD, Barom. A ideia de lei. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

TREVISOL, Maria Tereza Ceron. A construção de valores na escola. 2004.

DWORKIN, Ronald. Levando os direitos a sério. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FELIPPE, Mário Sotelo. Razão jurídica e dignidade humana. São Paulo: Max Limonad, 1996.

FERMENTÃO, Cleide Aparecida Gomes Rodrigues. Direito a liberdade: por um paradigma de essencialidade que tutele o direito personalíssimo da liberdade. Curitiba, PR: Juruá, 2009.

GUERRA, Sidney; MERÇON, Gustavo. Direito constitucional aplicado à função legislativa. Rio de Janeiro: América Jurídica, 2002.

KELSEN, Hans. O que é Justiça? a justiça, o direito e a política no espelho da ciência. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

KELSEN, Hans. Teoria Geral do Direito e do Estado. São Paulo. Martins Fontes, 1998.

KELSEN, Hans. O problema da Justiça. São Paulo: Martins Fontes,1998.

KOLM, Serge-Christophe. Teorias modernas da justiça. São Paulo. Martins Fontes.2000.

PERELMAN, Chaim. Ética e Direito. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

PILON, Almir José. Liberdade e justiça: uma introdução à filosofia do direito em Kant e Rawls. Porto Alegre: Sérgio Antonio Fabris, 2002.

RAWLS, John. Uma Teoria da Justiça. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

RAWLS, John. Justiça como equidade: uma reformulação. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ROSSEAU. J. J. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. São Paulo. Martins Fontes, 1999.

SANTOS, Maria Celeste Cordeiro Leite. Transplante de órgãos e eutanásia. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2001.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos Direitos constitucionais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

VOLTAIRE. O preço da justiça. São Paulo: Martins Fontes, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9184.2016v16n3p877-896

Indexado
REDIB; Sumários.Org; DOAJ; Ulrich’s International Periodicals Directory; Latindex; RVBI

Revista Jurídica Cesumar - Mestrado
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1677-6402 Impressa
ISSN 2176-9184 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.