EM DEFESA DA CIDADANIA: A DESOBEDIÊNCIA CIVIL COMO CAUSA SUPRALEGAL DE EXCLUSÃO DA CULPABILIDADE

Luan Guilherme Dias, Zaiden Geraige Neto

Resumo


O presente estudo tem por objetivo analisar a possibilidade de a desobediência civil, enquanto espécie do direito de resistência, atuar como causa de exclusão da culpabilidade na seara penal, em razão da inexigibilidade de conduta diversa por parte dos agentes desobedientes. Por meio do método dedutivo, a partir da análise de dados qualitativos, a pesquisa inicia investigando a teoria da desobediência civil, reconstruindo sua legitimidade histórica e constitucional, explorando também duas características que lhe são geralmente atribuídas: não violência e aceitação voluntária das sanções. Em seguida, analisam-se as nuances da culpabilidade na área criminal e a ação desobediente como uma dirimente supralegal, capaz de afastar a responsabilidade penal do agente desobediente. Conclui-se, ao final, que a desobediência civil pode ser considerada como causa de exclusão da culpabilidade, em determinados casos, pois não se pode exigir uma conduta diversa do agente desobediente que empenha esforços pela efetivação ou defesa de um direito, o que nada mais é que o exercício pleno da cidadania.

Palavras-chave


Desobediência civil; Cidadania; Exclusão da culpabilidade; Inexigibilidade de conduta diversa.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. Crises da república.São Paulo: Perspectiva, 1973.

BATISTA, Nilo. Introdução Crítica ao Direito Penal Brasileiro. Rio de Janeiro: Revan, 2007.

BARRETO, Luciana Augusto. FARIAS, Paloma Leite Diniz. Desobediência Civil enquanto causa supralegal de exclusão de culpabilidade. Disponível em:. Acesso em 12 jan. 2015.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. 10. ed. Brasília: UNB, 1997. v1.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Tribunal Pleno. Inquérito 3218 RR. Relator Min. Gilmar Mendes, julgamento em 21 mar. 2013. Disponível em: . Acesso em 19 set. 2015.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. 5ª Turma. HC 16.865/PE. Rel. Min. Felix Fisher. j.09.10.2001. Disponível em:. Acesso em: 19 set. 2015.

BUSATO, Paulo César. Direito Penal: Parte geral. São Paulo: Atlas, 2013.

BUZANELLO, José Carlos. Direito de Resistência Constitucional.2. ed. Rio de Janeiro: Lumem Juris, 2006.

COELHO, Roberta Werlang. Direito de Resistência e Desobediência Civil:Causas Supralegais de Exclusão da Infração Penal. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2015.

COSTA, Nelson Nery. Teoria e realidade da desobediência civil. Rio de Janeiro: Forense, 2000.

DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO DE 1789. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2016.

DIETER, Maurício Stegemann. A inexigibilidade de comportamento adequado à norma penal e as situações supralegais de exculpação. 2008. 192f. Dissertação (Mestrado em Direito) - Faculdade de Direito daUniversidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

Disponível em:. Acesso em: 20 jun. 2016.

DWORKIN, Ronald. Uma questão de princípio. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

GARCIA, Maria. Desobediência Civil: direito Fundamental. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. 1997. v2.

HOBBES, Thomas. Leviatã: ou matéria, forma e poder de uma república eclesiástica e civil. São Paulo, Mandamentos, 2003.

LEHFELD, Lucas de Souza. Modalidades de Participação-Cidadã no Horizonte de Concreção do Direito. In. FERREIRA, Luiz Alexandre Cruz (Org.). Hermenêutica, Cidadania e Direito. Campinas: Millennium, 2005. p. 159-187.

PAUPÉRIO, Arthur Machado. O Direito político de resistência. Rio de Janeiro, Forense: 1978.

PRANDO, Felipe Cardoso. Desobediência civil: uma possibilidade para a realização dos Direitos Humanos. Ago. 2012. 130f. Dissertação (Mestrado em Direito). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 jun. 2015.

RAWLS, John. Uma teoria da justiça. Lisboa: Fundamentos, 1993.

REPOLÊS, María Fernanda Salcedo. Habermas e a desobediência civil. Belo Horizonte: Mandamentos, 2003.

RIBEIRO, Fernando Aramando. Conflitos no Estado Constitucional Democrático: por uma compreensão jurídica da desobediência civil. Belo Horizonte, Mandamentos, 2004.

ROXIN, Claus. Derecho Penal: Parte General. Tomo I. Fundamentos. La estructura de la teoría del delito.Madri: Civitas, 1997.

SANTOS, Juarez Cirino dos. Direito Penal: parte geral. 3. ed. Curitiba: Lumen Juris, 2008.

TAVARES, Geovani de Oliveira. Desobediência civil e direito político de resistência. Campinas: Edicamp, 2003.

TEOTÔNIO, Paulo José Freire. Normas jurídicas inconstitucionais. Leme: AM, 2011.

THOREAU, Henry David. A desobediência civil.Porto Alegre: L&PM, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9184.2017v17n2p351-373

Indexado
REDIB; Sumários.Org; DOAJ; Ulrich’s International Periodicals Directory; Latindex; RVBI

Revista Jurídica Cesumar - Mestrado
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1677-6402 Impressa
ISSN 2176-9184 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.