EM DEFESA DE UMA SUSTENTABILIDADE SOCIAL COM FUNDAMENTO NA ÉTICA DA ALTERIDADE: UMA REFLEXÃO LITERÁRIA DA OBRA “PORTAS ABERTAS” DE LEONARDO SCIASCIA

Marilin Soares Sperandio, Sérgio Ricardo Fernandes de Aquino, Carolina Camargo

Resumo


A presente pesquisa tem por objetivo propor a alteridade como meio para viabilizar o aperfeiçoamento das relações no cotidiano dos juristas. Para tanto, propõe-se o seguinte problema de pesquisa: “Alteridade pode ser a condição de aperfeiçoamento do direito para se alcançar a sustentabilidade social?” A hipótese apresentada ao problema sugere que sim, a alteridade pode viabilizar a sustentabilidade social, propondo-se, então as políticas de humanidade, como meio para sua efetivação. Assim, inserido na tradição dos estudos em direito & literatura, o ponto de partida para as reflexões propostas é a obra Portas Abertas, de Leonardo Sciascia, na medida em que as narrativas literárias oferecem um vasto campo de estudos que auxiliam na compreensão de problemas jurídicos. O método utilizado para a construção da pesquisa foi o fenomenológico hermenêutico.

Palavras-chave


Direito e literatura; Ética da alteridade; Políticas de humanidade; Sustentabilidade social.

Texto completo:

PDF

Referências


ACERBI, Antonio. La chiesa e l’italia: per uma storia dei loro rapporti negli ultime due secoli. Vita e Pensiero: Milano, 2003.

AGUIAR E SILVA, Joana. Para uma teoria hermenêutica da justiça: repercussões jusliterárias no eixo problemático das fontes e da interpretação jurídicas. Coimbra: Almedina, 2011.

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes. Direito Humanos de alteridade: provocações estéticas para uma hermenêutica neoconstitucional. Direitos Culturais, v. 5, p. 105-130, 2010.

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes; Ética da autenticidade e da alteridade: critérios estéticos para a produção do direito na pós-modernidade. Revista Húmus, v. 2, p. 30-51, 2012.

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes. Elogio à Semiologia da Sustentabilidade. In: Empório do Direito. Disponível em: . Acesso em: 25 dez. 2015.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Elsevier: Rio de Janeiro, 2004.

CANNON, Joann. The Novel as Investigation: Leonardo Sciascia, Dacia Maraini, and Antonio Tabucchi. Toronto: University of Toronto Press, 2006.

CINTRÓN, Carmelo Delgado. Derecho Y Literatura: Visión literária del Derecho. Peru: Editorial San Marcos, 2014.

COUTINHO. Jacinto Nelson de Miranda. O lugar do poder do juiz em “Portas abertas”, de Leonardo Sciascia. In: STRECK, Lenio; TRINDADE, André Karam (Org.). Os modelos de juiz: ensaios de direito e literatura. São Paulo: Atlas, 2015. p. 211-225.

DIONÍSIO, Maia Amélia. Os movimentos indiciários de/em Leonardo Sciascia. 2013. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis ,2013.

ELIOT, George. The Essays of “George Eliot”. In: Sheppard, Nathan. The natural history of german life. The Project Gutenberg e Book.

GODOY, Arnaldo Sampaio de Moraes. Direito & Literatura: anatomia de um desencanto: desilusão jurídica em Monteiro Lobato. Curitiba: Juruá, 2002.

GONZÁLEZ, Calvo. Direito Curvo. Advogado: Porto Alegre, 2013.

GRILLI, Luigi. La procedura penale: guida pratica. Antonio Milani: Padova, 2009. Vol I.

LÉVINAS, Emmanuel. Ética e infinito. Trad. GAMA, João. Lisboa: Edições 70, 2000.

LÉVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito. Trad. RIBEIRO, José Pinto. Lisboa: Edições 70, 2000.

MAFFESOLI, Michel. A república dos bons sentimentos. Trad. GOLDBERGER, Ana de. São Paulo: Iluminuras/Itaú Cultural, 2009.

MAFFESOLI, Michel. Homo eroticus: comunhões emocionais. Tradução de Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense, 2014.

MARÍ. Enrique E. Derecho y literatura. Algo de lo que sí puede hablar pero em voz baja. Doxa. Cuadernos de Filosofia del Derecho, Alicante, n. 21, p. 251-287, 1998.

MARINI, Alessandro. Sciascia on screen, tra pamphlet e thriller. Due riletture postume: “Porte aperte” e “Una storia semplice”. Incontri. Rivista Europea di Studi Italiani, Amsterdam, v. 27, n. 2, p. 23-31, 2012.

MARTINS COSTA, César Vergara de Almeida. Direito e Literatura: a compreensão do direito como escritura a partir da tragédia grega. 2008. Dissertação. Unisinos, Porto Alegre. 2008.

MELO, Nélio Vieira de. A ética da alteridade em Emmanuel Lévinas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

MEREU, Italo. La morte como pena: Saggio sulla violenza legale. Donzelli: Roma, 2000.

MORIN, Edgar. A Via para o futuro da humanidade. Trad. CARVALHO, Edgard de Assis; BOSCO, Mariza Perassi. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

NUSSBAUM, Marta. Il giudizio del poeta. Imagginazione letteraria e vita civile. Milano: Feltronelli, 1996.

ONOFRI, Massimo. Storia di Sciascia. Roma, Bari: Laterza, 2004.

PALMIERI, Giseli. A investigação do crime em “O dia da Coruja” e “A cada um o seu”, de Leonardo Sciascia, e em “A forma da água” e “O ladrão de merendas”, de Andrea Camilleri. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Letras, 2011.

PELIZZOLI, Marcelo Luiz. Lévinas: a reconstrução da subjetividade. Porto Alegre: EDIPUC, 2002.

SCIASCIA, Leonardo. Portas Abertas. Rocco: Rio de Janeiro, 1990.

SIMONE, Giulia. Il guardasigilli del regime: L’itinerario politico e culturale di Alfredo Rocco. Francoangeli: Milano, 2012.

STRECK, Lenio. A revelação das “obviedades” do sentido comum e o sentido (in)comum das “obviedades” reveladas. In: OLIVEIRA JUNIOR, José Alcebíades de (Org.). O poder das metáforas: homenagem aos 35 anos de docência de Luis Alberto Warat. Porto Alegre, Livraria do Advogado, 1998.

STRECK, Lenio. Hermenêutica jurídica em crise: uma exploração hermenêutica da construção do direito. Livraria do Advogado: Porto Alegre, 2014.

TESSITORE, Giovanni. Fascismo e pena di morte: Consenso e informazione. Milano 2000.

TODOROV, Tzevetan. Memória del Mal e Tentacion del Bien: Indagación sobre el siglo XX. Barcelona: Ediciones Penísula, 2002.

TOMAZ DE OLIVEIRA, Rafael. Decisão Judicial e o Conceito de Princípio: a hermenêutica e a (in)determinação do Direito. Porto Alegre, RS: Livraria do Advogado, 2008.

TRINDADE, André Karam; GUBERT, Roberta Magalhães. Direito e Literatura: Aproximações e perspectivas para se repensar o direito. In: TRINDADE, André Karam; GUBERT, Roberta Magalhães; COPETTI NETO, Alfredo (Org.). Direito e Literatura: reflexões teóricas. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.

TRINDADE, André Karam; SPERANDIO, Marilin Soares. Garantismo e literatura: a lição de Leonardo Sciascia sobre o papel dos princípios na construção das decisões. Revista Quaestio Iuri, v. 9, n. 4, Rio de Janeiro, 2016. p. 2124-2149.

TRINDADE, André Karam; GUBERT, Roberta Magalhães; COPETTI NETO, Alfredo (Org.). Direito e Literatura: discurso, imaginário e normatividade. Porto Alegre: Fabris, 2010.

TRINDADE, André; ROSENFIELD, Luis. Réquiem para Ivan Ilicht: O problema da interpretação do direito na literatura de Tolstoi. Revista da Faculdade de Direito – UFPR, Curitiba, v. 60, n. 2, maio/ago. 2015, p. 157-176.

VESPAZIANI, Alberto. Il potere del linguaggio e le narrative processuali. Anamorphosis. Revista Internacional de Direito e Literatura, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 69-84, jan./jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 15.

VIVA, Samantha Agata. La polemica e l’incognita Courier. Tesi di Dottorato di Ricerca. Università Degli Studi di Catania, Dipartimento di Filosofia Moderna, Catania, 2011.

WARAT, Luis Alberto. O monastério dos sábios. In: WARAT, Luis Alberto. Introdução geral ao direito II. Porto Alegre: Fabris, 1995.

WARAT, Luiz Alberto. A rua grita Dionísio! direitos humanos de alteridade, surrealismo e cartografia. Trad. Vívian Alves de Assis, Julio Cesar Marcellino Júnior e Alexandre Morais da Rosa. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2010.

WOOD, James. Como funciona a ficção. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

ZAMBAM, Neuro José; AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes de. Tolerância: reflexões filosóficas, políticas e jurídicas para o século XXI. Revista da AJURIS. Porto Alegre, v. 142, n. 137, março de 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9184.2017v17n2p483-510

Indexado
REDIB; Sumários.Org; DOAJ; Ulrich’s International Periodicals Directory; Latindex; RVBI

Revista Jurídica Cesumar - Mestrado
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1677-6402 Impressa
ISSN 2176-9184 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.