Relação entre Aleitamento Materno Exclusivo e a Prevenção Primária a Reações Alimentares Adversas em Crianças

Maria Thereza Ghelere dos Santos, Carmem Patrícia Barbosa

Resumo


O aleitamento materno é uma prática fundamental de nutrição à criança dando proteção e melhorando o desenvolvimento. Porém, é comum a mãe cessar a amamentação antes do tempo correto e introduzir, de forma precoce, outros alimentos na dieta da criança. Tal fato pode levar ao aparecimento de reações alimentares adversas, pois a criança perde benefícios dos componentes do leite materno e entra em contato com outros alimentos que não são bem processados pelo organismo, que ainda é imaturo. O presente estudo teve como objetivo investigar a relação entre o aleitamento materno exclusivo e a prevenção primária de reações alimentares. Foi aplicado um questionário contendo perguntas relacionadas à amamentação, desenvolvimento de doenças, reações alimentares e história familiar. Das 48 crianças que participaram deste estudo, 39,58% (19) eram do sexo feminino e 60,42% (29) eram do sexo masculino, com média de idade de 4,42± 1,2 anos. A análise dos resultados identificou que 100% das crianças amamentadas exclusivamente até os 6 meses não apresentaram reações alimentares adversas enquanto que, dentre aqueles que não recebem leite materno exclusivo, 11,43% tiveram reações alimentares. Desta forma, apesar de serem necessários mais estudos para comprovação da eficácia do aleitamento materno exclusivo como prevenção primária a reações alimentares, a amamentação deve ser incentivada devido a todos os benefícios que traz à saúde da criança.

Palavras-chave


Aleitamento Materno; Reações Alimentares; Crianças.

Texto completo:

Artigo_Pdf

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.