Prevalência de Streptococcus pyogenes em Secreção de Orofaringe de Acadêmicos da Área da Saúde

Elaine Sciunite Benites Mansano, Edivan Rodrigo de Paula Ramos

Resumo


Este trabalho realizou a cultura de secreção de orofaringe de estudantes universitários da área de saúde visando determinar a prevalência de Streptococcus pyogenes. Amostras de secreção de orofaringe de 114 acadêmicos foram coletadas e inoculadas em meios de cultura ágar sangue de carneiro 5%. Colônias com padrão de hemólise do tipo beta foram submetidas aos testes da catalase, sensibilidade a bacitracina e Pyr. Os acadêmicos também preencheram uma ficha para identificação de características sociodemográficas e caracterização do histórico de faringites. Seis (5,2%) amostras mostraram padrão beta-hemolítico, porém nenhuma apresentou resultado positivo para catalase, Pyr e sensibilidade a bacitracina, indicando que as bactérias encontradas não são da espécie S. pyogenes. Sessenta estudantes relataram ter tido pelo menos uma faringite nos últimos 12 meses sendo que todos tomaram algum tipo de medicamento, na maioria das vezes indicado pelo farmacêutico ou farmacista. Dos 37 estudantes que procuraram o médico, apenas três realizaram cultura de orofaringe e um, a pesquisa de anticorpos antiestreptolisina O (ASLO). Apesar de não ter sido encontrado S. pyogenes na flora da faringe dos estudantes, os resultados deste trabalho mostram que o tratamento das faringites ainda é feito sem o diagnóstico correto e uso inadequado de antibióticos.

Palavras-chave


Streptococcus pyogenes; Estudantes Universitários; Prevalência.

Texto completo:

Artigo_Pdf


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.