Fatores Ambientais e Psicológicos que Influenciam na Obesidade Infantil

Carolina Penteado Silva, Cléria M. L. Bittar

Resumo


A obesidade é definida como o acúmulo excessivo de gordura corporal derivada de um desequilíbrio crônico entre a energia ingerida e a energia gasta. Neste desequilíbrio podem estar implicados diversos fatores relacionados com o estilo de vida (dieta e exercício físico), alterações neuroendócrinas, juntamente com um componente hereditário. A obesidade em crianças é preocupante devido ao risco aumentado de sua persistência na idade adulta e pelos riscos de doenças a ela relacionadas. Há influência de fatores biológicos e ambientais no desenvolvimento do sobrepeso e obesidade infantil, confirmando o seu caráter multifatorial. A obesidade infantil alcança índices preocupantes e sua ocorrência na população brasileira tem adquirido grande significância na área da saúde, principalmente devido ao impacto que causa na vida das crianças, trazendo consequências físicas, sociais, econômicas e psicológicas. O aumento da prevalência da obesidade em quase todos os países durante os últimos anos parece indicar que existe uma predisposição ou susceptibilidade genética para a obesidade, sobre a qual atuam os fatores ambientais relacionados com os estilos de vida, em que se incluem principalmente os hábitos alimentares e a atividade física. A obesidade se apresenta não apenas como problema científico e de saúde pública, porém como grande indústria que envolve o desenvolvimento de fármacos, de alimentos modificados e estratégias governamentais estimulando a prática regular de atividade física e a orientação alimentar a fim de promover melhores hábitos. A presente revisão de literatura tem como objetivo enfatizar os aspectos ambientais na obesidade em crianças, como importante agravo no âmbito da saúde pública.

Palavras-chave


Obesidade; Fatores psicológicos; Fatores ambientais

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo