Utilização das Plantas Medicinais por Diabéticos Integrantes do “Programa Saúde da Família” do Município de Mariluz – PR.

Marli Aparecida Defani, Luiza Raquel Russo Oliveira, Maria Rosângela Dias França

Resumo


O diabetes é uma síndrome de etiologia múltipla que apresenta alto índice de mortalidade, sendo, portanto, um importante problema de saúde pública. Apesar do desenvolvimento de novas metodologias e medicamentos sintéticos que aliviam os efeitos dessa doença, a população diabética ainda recorre a métodos alternativos, como as plantas medicinais, para aliviar os sintomas da doença. Isso ocorre devido aos efeitos colaterais desagradáveis que podem surgir das terapias convencionais, o que é mais comum em países em desenvolvimento, em que o tratamento é dispendioso. Tendo isso em vista, o objetivo para a concretização deste trabalho foi verificar a utilização de plantas medicinais pela população diabética do Município de Mariluz-PR. As entrevistas foram direcionadas a pacientes diabéticos atendidos pelo PSF, através de questionários contendo questões objetivas. A maioria dos entrevistados era do sexo feminino, na faixa etária entre 61 a 80 anos e baixo grau de escolaridade. Os pacientes citaram várias espécies comuns à região em que vivem, como por exemplo, a planta conhecida popularmente como insulina. Os pacientes acreditam que as plantas melhoram o diabetes ou diminuem os níveis de glicose sanguínea. A forma mais comum de utilização é a infusão das folhas sendo administradas duas vezes ao dia. Percebemos que essa população diabética recorre ou já recorreu às plantas medicinais como alternativa de tratamento para aliviar os sintomas desagradáveis desta patologia. No entanto, a maioria da plantas ainda não foi estudada, sendo necessária a orientação a esses pacientes, por profissionais da área da saúde, quanto à escolha da planta correta ou mesmo as formas e quantidades a serem utilizadas.

Palavras-chave


Plantas medicinais; população diabética, Programa Saúde da Família

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.