Qualidade de Vida de Hipertensos Usuários da Rede Pública de Saúde

Cassia Leticia Pereira, Mariana Sirote Borges, Janete Lane Amadei

Resumo


Qualidade de vida é um conceito novo na área de saúde. Em hipertensos, a presença de doença crônica, a necessidade de tratamento contínuo por um longo período e a presença de comorbidades são fatores que podem interferir na qualidade de vida. Realizou-se estudo descritivo com abordagem quantitativa com o objetivo de verificar a qualidade de vida de portadores de hipertensão arterial em tratamento medicamentoso, atendidos na rede pública de saúde do município de Atalaia – Paraná. O estudo constou de entrevista com aplicação do SF-36 traduzido e validado no Brasil, coleta de dados demográficos e socioeconômicos, de dados de hábitos de vida e de uso de medicamentos. Foram entrevistados 50 hipertensos sendo 64% eram do sexo feminino, com faixa etária prevalente entre 60 e 69 anos (32%). A população estudada apresentou comprometimento nos domínios: capacidade funcional, desempenho físico, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos emocionais, saúde mental e evolução do estado de saúde, exceto no domínio aspectos sociais. Conclui-se que a organização de uma assistência bem orientada e direcionada a esta população, visando fortalecer a importância de mudanças de hábitos, pode melhorar os escores de qualidade de vida.

Palavras-chave


Fatores de Risco; Hipertensão; Qualidade de Vida.

Texto completo:

PDF


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.