A Associação Entre a Ocorrência de Quedas e a Alteração de Equilíbrio e Marcha em Idosos

Thais Lucena Silva, Edson Zangiacomi Martinez, Antonio Pereira de Souza Junior, Amábile Rodrigues Xavier Manço, Mauricio Ferraz Arruda

Resumo


O presente trabalho, trata-se de um estudo descritivo transversal, que teve como objetivo estudar as alterações de equilíbrio e marcha em idosos e as associações com a ocorrência de quedas. Foram incluídos 200 idosos de ambos os sexos, com idade igual e superior a 60 anos. Foi realizada uma entrevista contendo perguntas abertas e fechadas; para avaliação cognitiva foi aplicado o mini-exame do estado mental (MEEM) e a escala de avaliação de desempenho físico de membros inferiores (SPPB), com o intuito de avaliar o equilíbrio, marcha e a força destes membros. Os resultados mostraram que 51% dos idosos sofreram quedas nos últimos 6 meses e os fatores de risco associados à ocorrência de quedas são, idade de 70 a 74 anos (p=0,04) e de 75 a 79 anos (p=0,01), residir sozinho (p=<0,01), não possuir companheiro (p=0,01) uso de medicamentos (p+0,05), número de medicamentos superior a 3 a 4 (p=0,04) e 5 ou mais (p=0,01), presença de fraqueza muscular (p=,0,01), largura pequena dos passos (p=0,08), assimetria da marcha (p=0,09), presença de problemas nos pés (p=0,07), uso de aparelho de audição(p=0,01). Os resultados indicam a importância de uma equipe multidisciplinar no atendimento ao idoso, desenvolvimento de medidas preventivas, visando diminuir as quedas e possibilitando uma melhora das atividades básicas da vida diária (ABVDs), dessa forma tornando o idoso mais independente.

Palavras-chave


Equilíbrio; Idoso; Marcha; Quedas

Texto completo:

PDF


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.