O uso de tecnologias digitais em uma instituição de ensino superior: apontamentos sobre a saúde do jovem

Ana Luisa Martins Rosa, Eduardo Chierrito de Arruda, Ana Beatriz Tozzo Martins, Rute Grossi Milani

Resumo


O estudo buscou caracterizar o comportamento de uso das tecnologias digitais por jovens universitários e tecer apontamentos sobre as possíveis inferências em sua saúde. Participaram 361 jovens, com idade entre 17 e 24 anos, matriculados em uma instituição de ensino no norte do Paraná. Aplicou-se um questionário contendo questões sobre: idade do primeiro acesso, frequência e finalidade do uso. A análise estatística, por meio de regressão logística, mostrou que as tecnologias de informática são usadas para fins de trabalho ou jogo, nos períodos vespertino e noturno, por um intervalo de até quatro horas diárias, enquanto as de telefonia são usadas mais de oito horas, em todos os períodos do dia, para fins de relacionamentos sociais. Tais resultados mostram que elas estão imersas no cotidiano dos jovens, especialmente na dimensão afetiva e social, porém o uso prolongado pode indicar alterações em hábitos cruciais à saúde integral do jovem, como o sono e atividades físicas. Conclui-se que as tecnologias são um importante meio de interação e aprendizado dos jovens, o que deve ser explorado pelas políticas públicas para assegurar o cuidado ao desenvolvimento sadio da juventude.

Palavras-chave


Adulto jovem; Promoção da saúde; Tecnologia da informação Tecnologia da Informação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2016v9n3p537-545

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.