EDUCAÇÃO PERMANENTE E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA ATENÇÃO BÁSICA

Kênia Souto Moreira, Cássio de Almeida Lima, Maria Aparecida Vieira, Simone de Melo Costa

Resumo


Objetivou-se analisar a avaliação das equipes de saúde da família quanto aos itens educação permanente e qualificação profissional para Atenção Básica. Pesquisa quantitativa, transversal e analítica, realizada em município polo ao norte de Minas Gerais. Os dados de 75 equipes foram coletados a partir da autoavaliação para melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica, em 2014. Consideraram-se dois itens de padrão de qualidade em educação permanente e qualificação. A análise estatística foi realizada no Software IBM SPSS 22.0. Processaram-se análises bivariadas considerando o nível de significância p<0,05. Predominou a autoavaliação positiva, com média de 15,2 pontos, sendo 53,3% das equipes classificadas no padrão muito satisfatório, 26,7% satisfatório e 20,0% regular, com melhor classificação para as equipes da zona urbana comparadas às rurais (p<0,05). A educação permanente ainda não se efetivou no cotidiano dos pro¬fissionais. Sugere-se incentivar a qualificação profissional para aquisição de competências e habilidades na atenção básica.

Palavras-chave


Desenvolvimento de pessoal; Avaliação de serviços de saúde; Qualidade da assistência à saúde; Atenção primária à saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, L. J.; SHIMIZU, H. E.; MERCHÁN-HAMANN, E. The benefits and challenges of the Family Health Strategy in Brazilian Primary Health care: a literature review. Ciênc Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, p. 1499-1510, 2016.

AURÉLIO PINTO, H.; FERLA, A. A.; CECCIM, R. B.; FLORÊNCIO, A. R.; MATOS, I. B.; BARBOSA, M. G.; STÉDILE, N. L. R.; ZORTEA, A. P. Atenção Básica e Educação Permanente em Saúde: cenário apontado pelo Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). Divulg Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 51, p. 145-160, 2014.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Cidades@. Minas Gerais: Montes Claros. Rio de Janeiro (RJ): Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 ago 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. AMAQ: autoavaliação para melhoria do acesso e da qualidade. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2013.

BRASIL. Portaria n. 198/GM, de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2004.

CARDOSO, A. V. L.; CHAIN, A. P. N.; MENDES, R. I. P.; FERREIRA E FERREIRA, E.; VARGAS, A. M. D.; MARTINS, A. M. E. B. L.; FERREIRA, R. C. Assessment of the management of the Family Health Strategy via the tool Assessment for Quality Improvement in municipalities of Minas Gerais, Brazil. Ciênc Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 1267-1284, 2015.

CECCIM, R. B. Educação Permanente em Saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface, Botucatu, v. 9, n. 16, p. 161-168, 2005.

COSTA, S. M.; SOUZA E SOUZA, L. P.; SOUZA, T. R.; CERQUEIRA, A. L. N.; BOTELHO, B. L.; ARAÚJO, E. P. P.; RODRIGUES, C. A. Q. Práticas de trabalho no âmbito coletivo: profissionais da equipe Saúde da Família. Cad Saúde Colet, Rio de Janeiro, v. 22, n. 3, p. 292-299, 2014.

FONSECA SOBRINHO, D.; MACHADO, A. T. G. M.; LIMA, A. M. L. D.; OLIVEIRA, J. A.; REIS, C. M. R.; ABREU, D. M. X.; ARAÚJO, L. H. L.; EVANGELISTA, M. L. F.; ESCOBAR, A. L.; SANTOS, C. R. I.; SANTOS, A. F. Compreendendo o apoio matricial e o resultado da certificação de qualidade nas áreas de atenção à criança, mulher, diabetes/hipertensão e saúde mental. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 38, n. especial, p. 83-93, 2014.

GONÇALVES, C. R.; CRUZ, M. T.; OLIVEIRA, M. P.; MORAIS, A. J. D.; MOREIRA, K. S.; RODRIGUES, C. A. Q.; LEITE, M. T. S. Recursos humanos: fator crítico para as redes de atenção à saúde. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 38, n. 100, p. 26-34, 2014.

LEITE, M. T. S.; SENA, R. R.; VIEIRA, M. A.; MENDONÇA, J. M. G.; DIAS, O. V.; SANTOS, M. I. P.; SOUZA E SOUZA, L. P. Perspectivas de educação permanente em saúde no Norte de Minas Gerais. REME - Rev Min Enferm, Belo Horizonte, v. 16, n. 4, p. 594-600, 2012.

LEMOS, C. L. S. Educação Permanente em Saúde no Brasil: educação ou gerenciamento permanente? Ciênc Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 913-922, 2016.

MATTOS, L. B.; DAHMER, A.; MAGALHÃES, C. R. Contribuição do curso de especialização em Atenção Primária à Saúde à prática de profissionais da saúde. ABCS Health Sci, v. 40, n. 3, p. 184-189, 2015.

PINTO, H. A.; SOUSA, A.; FLORÊNCIO, A. R. The National Program for Improving the Access and Quality of Primary Care: reflections on the program design and deployment process. Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde, v. 6, n. 2, 2012. Disponível em:

PORTELA, L. R.; DIAS, M. S. A.; VASCONCELOS, M. I. O. Programa Nacional da Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica: análise da Autoavaliação em Sobral, Ceará. Sanare, Sobral, v. 12, n. 1, p. 40-45, 2013.

RAMOS, M. N. Referências teórico-metodológicas da educação permanente em saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

RIZZOTTO, M. L. F.; GIL, C. R. R.; CARVALHO, M.; FONSECA, A. L. N.; SANTOS, M. F. Força de trabalho e gestão do trabalho em saúde: revelações da Avaliação Externa do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica no Paraná. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 38, n. especial, p. 237-251, 2014.

SEIDL, H.; VIEIRA, S. P.; FAUSTO, M. C. R.; LIMA, R. C. D.; GAGNO, J. Gestão do trabalho na Atenção Básica em Saúde: uma análise a partir da perspectiva das equipes participantes do PMAQ-AB. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 38, n. especial, p. 94-108, 2014.

TURCI, M. A.; LIMA-COSTA, M. F.; MACINKO, J. Influência de fatores estruturais e organizacionais no desempenho da atenção primária à saúde em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, na avaliação de gestores e enfermeiros. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 31, n. 9, p. 1941-1952, 2015.

UCHOA, A. C.; SOUZA, E. L.; SPINELLI, A. F. S.; MEDEIROS, R. G.; PEIXOTO, D. C. S.; SILVA, R. A. R., ROCHA, N. S. P. Avaliação da satisfação do usuário do Programa de Saúde da Família na zona rural de dois pequenos municípios do Rio Grande do Norte. Physis, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 1061-1076, 2011.

UCHÔA, S. A. C.; ARCÊNCIO, R. A.; FRONTEIRA, I. S. E.; COÊLHO, A. A.; MARTINIANO, C. S.; BRANDÃO, I. C. A.; YAMAMURA, M.; MAROTO, R. M.; SILVA, A. K. F. Potential access to primary health care: what does the National Program for Access and Quality Improvement data show? Rev Latino-Am Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 24, p. e2672, 2016.

YAMAMOTO, T. S.; MACHADO, M. T. C.; SILVA JUNIOR, A. G. Educação permanente em saúde como prática avaliativa amistosa à integralidade em Teresópolis, Rio de Janeiro. Trab Educ Saúde, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p. 617-637, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n1p101-109

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.