VIOLÊNCIA CONTRA A EQUIPE DE ENFERMAGEM ADVINDA DE PESSOAS COM TRANSTORNO MENTAL

Ângela Gonçalves da Silva Pagliace, Mariluci Alves Maftum, Tatiana Brusamarello, Armando Pagliace Junior

Resumo


Este artigo trata da pesquisa descritiva exploratória com abordagem qualitativa desenvolvida com 38 profissionais da equipe de enfermagem do pronto atendimento de um hospital geral e de ensino da cidade de Curitiba, estado de Paraná. Seu objetivo é verificar as formas de violências causadas por pacientes com transtorno mental a profissionais de enfermagem. Os dados foram coletados através de entrevista semiestruturada. Foi utilizada a técnica de análise temática categorial e os dados foram organizados em categorias. A violência vivenciada pela equipe de enfermagem provocada por pacientes com transtorno mental foi, na maioria das vezes, autoinfligida, com atos de machucar-se, tentar suicídio e contra suas famílias devido a conflitos familiares, seguida de violência verbal e, em menor proporção, de violência física contra a equipe. Há que se desenvolver e divulgar novas pesquisas com o mesmo escopo para que seja comprovado cientificamente que atribuir o caráter de violento a pacientes com transtorno mental é um mito socialmente construído.

Palavras-chave


Enfermagem; Violência; Saúde Mental

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n2p205-212


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.