EPIDEMIOLOGIA DO TRAUMA EM ATENDIMENTOS DO SAMU NOVO HAMBURGO/RS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015

Acza Mirian Araujo da Silva, Solange Fatima Mohd S. Shama

Resumo


O trauma é considerado um problema de importância epidemiológica no cenário brasileiro e mundial, constitui-se num dos principais desafios à saúde pública e aos gestores. Trata-se de um estudo epidemiológico, documental, composto por 444 boletins de atendimento de trauma realizados pelo Samu no município de Novo Hamburgo/RS no primeiro trimestre de 2015, com o objetivo de determinar os motivos de ocorrência e sua correlação com as variáveis clínico-epidemiológicas. Os dados apontam que o principal motivo de trauma se deu em função de colisão, seguido por queda e atropelamento, além disso foram caracterizadas as variáveis relacionadas ao tipo de suporte de vida, desfecho, horário, dias e locais. Os resultados mostram a importância de estabelecer maiores estudos sobre o trauma nesse município e ações estratégias a partir de indicadores que subsidiem a gestão e contribuam para a melhoria da assistência à saúde.

Palavras-chave


Serviços médicos de emergência; Ferimentos e lesões; Estudos epidemiológicos

Texto completo:

PDF

Referências


BAGHI, I. et al. Mechanism of Injury, Glasgow Coma Scale, Age, and Systolic Blood Pressure: A New Trauma Scoring System to Predict Mortality in Trauma Patients. Trauma Monthly, Tehran, v. 20, n. 3, p. 1-4, Ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

BRASIL. Portaria GM/MS n.2048, de 5 de novembro de 2002. Aprova o Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de Urgência e Emergência. Diário Oficial da União, Brasília, 12 nov. 2002. Seção 1, p. 32-54. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

BRASIL. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Saúde Brasil 2011: uma análise da situação de saúde e a vigilância da saúde da mulher. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

BRASIL. Portaria n. 1365, de 8 de julho de 2013. Aprova e institui a Linha de Cuidado ao Trauma na Rede de Atenção às Urgências e Emergências. Diário Oficial da União, Brasília, 12 jul. 2013. Seção 1, p. 166. Disponível em: . Acesso em 03 dez. 2017.

CARVALHO, I. C. C. M.; SARAIVA, I. S. Perfil das vítimas de trauma atendidas pelo serviço de atendimento móvel de urgência. R. Interd., Teresina, v.8, n.1, p. 137-148, jan. fev. mar, 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

CHAMPION, H. R. et al. A revision of the Trauma Score. The Journal of Trauma, Baltimore, v. 29, n. 5, 1989. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

DATASUS. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância. TABNET. Informações de Saúde: Mortalidade Rio Grande do Sul. Município Novo Hamburgo. Brasília, DF, 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

DETRAN-RS. Departamento Estadual de Trânsito. Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Estatística: Estatísticas de Trânsito. Porto Alegre, 2015. Disponível em:. Acesso em: 03 dez. 2017.

FERREIRA, M. A. F.; FELIZZARI, C. T. Correlação entre a epidemiologia do trauma e o atendimento de enfermagem em uma unidade de pronto-socorro. Revista Eletrônica da Faculdade Evangélica do Paraná, Curitiba, v. 1, n.1, p.2-12, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

GARBIN, C. A. S. et al. Desafıos do profıssional de saúde na notifıcação da violência: obrigatoriedade, efetivação e encaminhamento. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 6, p. 1879-1890, Jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

IBGE. Projeções e estimativas da população do Brasil e das unidades da federação. Brasília, 2015. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2015.

MALTA, D. C. et al. Características e fatores associados às quedas atendidas em serviços de emergência. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.46, n.1, p.128-137, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

MARTINS, J. G. Perfil de pacientes vítimas de trauma torácico atendidos por um servico de atendimento móvel de urgência de um município da região do Vale dos Sinos/RS. 2014. 58f Monografia (Conclusão do Curso de Enfermagem) - Feevale, Novo Hamburgo-RS, 2014. Disponível em : . Acesso em: 03 jan 2016.

MARQUES, G. Q.; LIMA, M. A. D. S.; CICONET, R. M. C. Agravos clínicos atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Porto Alegre – RS. Acta Paul Enferm, v. 24, n. 2, p. 18591, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2017.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Associação de cirurgia do trauma e terapia intensiva; Sociedade Internacional de Cirurgia. Diretrizes para o desenvolvimento de programas de qualidade no atendimento ao trauma. Bogotá: Distribuna, 2009. 147 p. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

PARREIRA, J. G. et al. Análise comparativa entre as lesões encontradas em motociclistas envolvidos em acidentes de trânsito e vítimas de outros mecanismos de trauma fechado. Rev Assoc Med Bras, v. 58, n. 1, p. 76-81, 2012. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

NAEMT. PHLTS Atendimento pré-hospitalar ao traumatizado. Comitê do PHTLS da National Association of Emergency Medical Technicians (NAEMT) em cooperação com o Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. 618 p.

REICHENHEIM, M. E. et al. Violência e lesões no Brasil: efeitos, avanços alcançados e desafios futuros. The Lancet. Londres, p. 75-89, 2011. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

SANCHES, S.; DUARTE, S. J. H.; PONTES, E. R. J. C. Caracterização das vítimas de ferimentos por arma de fogo, atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência em Campo Grande-MS. Saúde Soc. São Paulo, v.18, n.1, p. 95-102, 2009. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

SEMENSATO, G.; ZIMERMAN, L.; ROHDE, L. E. Avaliação Inicial do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência na Cidade de Porto Alegre. Arq Bras Cardiol, v. 96, n.3, p. 196-204, 2011. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

SES-RS. Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. Urgência e Emergência - SAMU e UPAs: Informações para os Gestores e Equipes do SAMU. Porto Alegre, 2015a. (Nota Técnica n.º 13). Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

TAVARES, F. L.; COELHO, M. J.; LEITE, F. M. C. Homens e acidentes motociclísticos: caracterização dos acidentes a partir do atendimento pré-hospitalar. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro , v. 18, n. 4, p. 656-661, Dec. 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.

VILELA, L. F. Manual para Atendimento às Vítimas de Violência na Rede de Saúde Pública do Distrito Federal. Brasília: Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, 2008. 68 p. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n3p539-548


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.