ANÁLISE COMPARATIVA DA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA DE PRIMIGESTAS NO PUERPÉRIO IMEDIATO DE PARTO NORMAL E DE NULIGESTAS

Caroline Schwingel Wagner, Gabriella Assmann, Ricardo Gass, Marciele Silveira Hopp, Grazielly Gass Cardoso, Dannuey Machado Cardoso, Dulciane Nunes Paiva

Resumo


Este artigo visa analisar a força muscular respiratória (FMR) de puérperas primíparas de parto normal e nulíparas. Trata-se de estudo do tipo caso-controle que avaliou 59 mulheres alocadas no grupo puérperas (GP) (primigestas, n=29) e no grupo controle (GC) (nuligestas, n=30). Foram avaliadas características antropométricas e FMR (PImax e PEmax) por meio da manovacuometria digital. O teste t Student comparou dados antropométricos e da FMR entre os grupos. A correlação de Pearson (p<0,05) avaliou a associação entre idade, índice de massa corporal (IMC) e FMR. Houve diferença significante na PImax (p<0,001) e na PEmax (p<0,001) entre GC e GP. A média da PImax (%predito) no GP e GC foi 39,1 ± 16,2 cmH2O e 82,3 ± 23,9 cmH2O e a da PEmax (%predito) foi 34,7 ± 14,6 cmH2O e 80,4 ± 18,4 cmH2O, respectivamente. Houve correlação negativa entre idade e PEmax no GP (r= -0,378; p= 0,043). Evidenciou-se, sem distinção entre grupos, uma correlação negativa de pequena a moderada entre IMC e PImax (r=-0,380; p=0,003) e PEmax (r= -0,525; p<0,001). Foi evidenciada uma FMR menor que pode estar relacionada às alterações decorrentes da gestação na configuração da parede torácica.

Palavras-chave


Gravidez; Parto normal; Período Pós-Parto; Força Muscular.

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN THORACIC SOCIETY/EUROPEAN RESPIRATORY SOCIETY. ATS/ERS Statement on respiratory muscle testing. Am J Respir Crit Care Med. 2002;166(4):518-624.

BARACHO, E. Fisioterapia aplicada à obstetrícia, uroginecologia e aspectos de mastologia. 4. ed., rev. e ampl. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

BEZERRA, M.A.B.; NUNES, P.C.; LEMOS, A. Força muscular respiratória: comparação entre nuligestas e primigestas. Fisioter Pesq. 2011;18(3):235-40.

BISHOP A.; HOLDEN, M.A.; OGOLLAH, R.O.; FOSTER, N.E. Current management of pregnancy-related low back pain: a national cross-sectional survey of UK physiotherapists. Physiotherapy. 2015; 102(1):78-85.

CHUMLEA, W.C.; ROCHE, A.F.; STEINBAUGH, M.L. Estimating stature from knew height for persons 60 to 90 years of age. J Am Geriatr Soc. 1985;33(2):116-20.

CORTEZ, P.J.; FRANCO, T.A.; SENE, T.M.; CARVALHO, T.D.; TOMAZINI, J.E. Correlação entre a dor lombar e as alterações posturais em gestantes. Arq Bras Ciênc Saúde. 2012; 37(1):30-5.

COSTA, A.S.M.; LUSTOSA, J.B.; JÚNIO, J.M.M.; COELHO, N.P.M.F.; SHIMIZU, I.S. Estudo comparativo da força muscular respiratória no puerpério imediato. Rev Bras Fisioter. 2010;14(Supl 1): 417.

COSTA, A.S.M.; LUSTOSA, J.B.; JÚNIO, J.M. DE M; MACHADO, N.P.; NOGUEIRA, V.C.; MAIA FILHO, A.L.M. et al. Influência do tipo de parto na função respiratória. Teresina, PI, 2009. XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba.

LEMOS, A.; CAMINHA, M.A.; MELO JR E.F.; DORNELAS DE ANDRADE, A. A avaliação da força muscular respiratório no terceiro trimestre de gestação. Rev Bras Fisioter. 2005;9(2):151-6.

LEMOS, A.; SOUZA, A.I.; DORNELAS DE ANDRADE, A.; FIGUEIROA, J.N.; CABRAL FILHO, J.E. Força muscular respiratória: comparação entre primigestas e nuligestas. J Bras Pneumol. 2011;37(2):193-9.

LOPES, G.G.; BELAN, D.F.N.; CASTRO, T.M. Análise da Pressão Inspiratória Máxima de grávidas e não grávidas. Medicina Acadêmica. 2012;1(1).

NEDER, J.A.; ANDREONI S; LERARIO, M.C.; NERY, L.E. Reference values for lung function tests. II. Maximal respiratory pressures and voluntary ventilation. Braz J Med Biol Res. 1999;32(7):19-27.

NOVAES, F.S.; SHIMO, A.K.; LOPES, M.H. Low back pain during gestation. Rev Lat Am Enfermagem. 2006;14(4):620-4.

OMS – Organização Mundial da Saúde. Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas. Organização Mundial da Saúde, 2015. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.

PINTO, A.V.A.; SCHLEDER, J.C.; PENTEADO. C.; GALLO, R.B.S. Avaliação da mecânica respiratória em gestantes. Fisioter e Pesq. 2015; 22 (4): 348-54.

SANTOS, M.D.; SILVA, R.M.; VICENTE, M.P.; PALMEZONI, V.P.; CARVALHO, E.M.; RESENDE, A.P.M. A dimensão da diástase abdominal tem influência sobre a dor lombar durante a gestação? Rev Dor. 2016; 17(1):43-6.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/1983-1870.2017v10n2p325-330

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
Contato: naep@unicesumar.edu.br
ISSN 1983-1870 Impressa
ISSN 2176-9206 On-line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.