CÂNCER DE PELE EM IDOSOS RURAIS: PREVALÊNCIA E HÁBITOS DE PREVENÇÃO DA DOENÇA

Denise Somavila Przylynski Castro, Celmira Lange, Carla Alberici Pastore, Lígia Carreira, Andressa Hoffmann Pinto, Leticia Pilotto Casagranda

Resumo


O objetivo do estudo é avaliar a prevalência e hábitos de prevenção do câncer de pele em idosos rurais. Estudo quantitativo e transversal. Amostra composta por 820 idosos rurais. Utilizou-se instrumento com questões estruturadas. O período de coleta dos dados foi de julho a outubro de 2014. As variáveis foram analisadas utilizando-se o pacote estatístico Stata®11.1 e, utilizados os testes Qui-quadrado e teste exato de Fisher, adotando-se 5% para o nível de significância. A prevalência de câncer de pele foi de 4,8% nesta amostra. Considerando-se os hábitos de exposição solar, 83,5% deles estão expostos ao sol neste estudo, 66,2% estão expostos durante o período em que a radiação ultravioleta é mais intensa e 73,0% nunca usaram protetor solar. Os resultados do estudo reforçam a necessidade de investimentos em prevenção e educação para este tipo de câncer.

Texto completo:

PDF

Referências


Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Câncer de pele não melanoma. [Acesso em 2018 jul 20]. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma. INCA 2018a.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Câncer de pele não melanoma. [Acesso em 2018 jul 20]. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma. INCA 2018b.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Estimativa 2018: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro; 2017. 128 p.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Radiação Solar. [Acesso em 2018 jul 20]. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=21

Fartasch M, Diepgen TL, Schmitt J, Drexler H. The relationship between occupational sun exposure and non-melanoma skin câncer. Rev. Deutsches Ärzteblatt International. 2012; 43(109):715-20.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Tábua completa de mortalidade para o Brasil 2013. [Acesso em 2018 jul 20]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/00000019794312112014432701710507.pdf.

Focchesatto A, Rockett FC, Perry IDS. Fatores de risco e proteção para o desenvolvimento de doenças crônicas em população idosa rural do Rio Grande do Sul. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2015; 18(4):779-95.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Distribuição da população por sexo segundo os grupos de idade Brasil (RS) -2010. [Acesso em 2018 jan 13]. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/webservice/frm_piramide.php?codigo=431440&corhomem=3d4590&cormulher=9cdbfc.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. População. [Acesso em 2018 jul 21] Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/pelotas/panorama.

Llano PMP, Lange C, Nunes DP, Pastore CA, Pinto AH, Casagranda LP. Fragilidade em idosos da zona rural: proposta de algoritmo de cuidados. Acta Paul Enferm. 2017; 30(5):520-30.

Vaz MRC, Bonow CA, Piexak DR, Kowalczk S, Vaz JC, Borges AM. Câncer de pele em trabalhadores rurais: conhecimento e intervenção de enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP. 2015;49(4):564-71.

Simões TC, Souza NVDO, Shoji S, Peregrino AAF, Silva D. Medidas de prevenção contra câncer de pele em trabalhadores da construção civil: contribuição da enfermagem. Rev. gaúch. enferm. 2011; 32(1): 100-6.

Pompeu GF, Bortolança PC, Grignoli CRE, Simionato MIV, Grignoli LCE. Estudo comparativo sobre a conscientização o dos hábitos de foto proteção o e dos fatores de risco da carcinogênese de pele em trabalhadores de rua. Revista Científica da UNIARARAS. 2013;1(2).

Margotto FS, Silva HP, Meireles RS, Neugebauer MGFP, Abrahão GF, Rauber JL. Fotoexposição e fatores de risco para câncer de pele: avaliação de hábitos e conhecimentos da população participante da campanha de prevenção ao câncer de pele em Morro Redondo/RS. Rev. AMRIGS. 2016;60(1).

Firmino Bezerra ST, Lemos AM, Souza SMC, Carvalho CML, Fernandes AFC, Alves MDS. Promoção da saúde: A qualidade de vida nas práticas da enfermagem. Enferm. glob. 2013;(32):270-9.

Malak AT, Yildirim P, Yidiz Z, Bektas M. Effects of Training about Skin Cancer on Farmers’ Knowledge Level and Attitudes. Asian Pacific Journal of Cancer Prevention. 2011;12.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2013. 95 p.

Couto MT, Pinheiro TF, Valença O, Machin R, Silva GSN, Gomes R, Schraiber LB, Figueiredo WS. O homem na atenção primária à saúde: discutindo (in)visibilidade a partir da perspectiva de gênero. Interface comum. saúde educ. 2010;14(33):257-70.

Bonita R. Epidemiologia básica. 2. ed. São Paulo, Santos; 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2018v11n3p495-503

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.