PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES EVITÁVEIS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Makcine Timm da Silva, Ligia Aparecida Palu, Tatiana Brusamarello

Resumo


O objetivo deste estudo foi conhecer as estratégias adotadas pela equipe de enfermagem para prevenção de complicações evitáveis nas unidades de terapia intensiva para adultos. Trata-se de uma revisão integrativa feita no mês de outubro de 2017, com análise de artigos indexados nas bases de dados LILACS, MEDLINE, CINAHL, Web of Science, entre 2007 e 2017. Foram selecionados nove estudos que correspondiam aos critérios de inclusão e exclusão. No que concerne aos principais resultados, as intervenções relacionadas à lesão por pressão correspondem a seis (66,6%) estudos, e a dosagens de medicamentos, hiper e/ou hipocalemia e cuidado de vias aéreas contribuíram com um (11,1%) estudo cada tema. Entre as estratégias, destacam-se o uso de protocolos institucionais, a implantação de equipamentos e sistemas de informática que contribuam para monitorar dosagens de medicamentos, identificação de reposicionamento do leito, entre outros. Os achados mostram carência de publicações da enfermagem relacionadas às demais complicações evitáveis na Unidade de Terapia Intensiva.

Palavras-chave


Prevenção de doenças; Unidade de terapia intensiva; Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


Mello JF, Barbosa SFF. Cultura de segurança do paciente em unidade de terapia intensiva: perspectiva da equipe de enfermagem. Rev. eletrônica enferm. [Internet]. 2017 [acesso em: 10 jul 2018];19:07. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/38760/22926

Organização Mundial de Saúde. Estrutura conceitual da classificação internacional sobre segurança do doente [Internet]. Lisboa: OMS; 2011.

World Health Organization. The conceptual framework for the international classification for patient safety: technical annex 2: glossary of patient safety concepts and references. [Internet]. Copenhagen: WHO; 2009 [acesso em 05 jul 2018]. Disponível em: http://www.who.int/patientsafety/taxonomy/icps_full_report.pdf

Moreira JB, Souza ICS. Complicações mais comuns em pacientes internados em terapias intensivas. Rev. Científica Univiçosa. 2016;8(1): 252-57. [acesso em 03 jul 2018];31(4). Disponível em : https://academico.univicosa.com.br/revista/index.php/RevistaSimpac/article/view/650/793

Cavalcante AC, Cardoso RR, Tolstenko NL, Dantas AF, Santiago RS. Cuidado seguro ao paciente: contribuições da enfermagem. Revista Cubana de Enfermería [Internet]. 2015 [acesso em 02 jul 2018];31(4). Disponível em: http://www.revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/907

Dias LB, Gritti CC, Lobo SM, Lamari NM, Bianchin MA. Funcionalidade e complicações em pacientes gravemente enfermos reinternados no hospital. Arquivos de Ciências da Saúde [internet]. 2017 [acesso em 04 fev 2018];24(2):60-64. Disponível em: http://www.cienciasdasaude.famerp.br/index.php/racs/article/view/633

Couto RC, Pedrosa TMG, Cunha AFA, Amaral DB. Infecção Hospitalar e outras Complicações Não Infecciosas da Doença: Epidemiologia, Controle e Tratamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Guanabara; 2009.

De Sousa AFL, Layze BO, Moura MEB. Perfil epidemiológico das infecções hospitalares causadas por procedimentos invasivos em unidade de terapia intensiva. Rev Prevenção Infecção e Saúde. [Internet]. 2017 [acesso em 02 jul 2018]:2(1):11-17. Disponível em: http://www.ojs.ufpi.br/index.php/nupcis/article/view/6048

Ganong LH. Integrative reviews of nursing research. Research in nursing & health. [Internet]. 1987 [acesso em 8 jul 2018];10(1):1-11. Disponível em: https://doi.org/10.1002/nur.4770100103

Costa IG, Caliri MHL. Validade preditiva da escala de Braden para pacientes de terapia intensiva. Acta Paulista de Enfermagem. [Internet]. 2011 [acesso em 08 jul 2018];24(6). Disponível em: http://www.redalyc.org/html/3070/307023880007/

Vasconcelos JDMB, Caliri MHL. Ações de enfermagem antes e após um protocolo de prevenção de lesões por pressão em terapia intensiva. Esc. Anna Nery. [Internet]. 2017 [acesso em 08 jul 2018];21(1):e20170001. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20170001

Starks B, Harbert C. Aspiration prevention protocol: decreasing postoperative pneumonia in heart surgery patients. Critical care nurse. [Internet]. 2011 [acesso em 08 jul 2018];31(5):38-45. Disponível em: http://ccn.aacnjournals.org/content/31/5/38.short

Hoekstra M, Vogelzang M, Drost JT, Janse M, Loef BG, Van der Horst IC et al. Implementation and evaluation of a nurse-centered computerized potassium regulation protocol in the intensive care unit-a before and after analysis. BMC medical informatics and decision making. [Internet]. 2010 [acesso em 08 jul 2018];10(1):5. Disponível em: https://doi.org/10.1186/1472-6947-10-5

Estilo MEL, Angeles A, Perez T, Hernandez M, Valdez M. Pressure ulcers in the intensive care unit: new perspectives on an old problem. Critical care nurse. [Internet]. 2012 [acesso em 08 jul 2018];32.3:65-70. Disponível em: http://ccn.aacnjournals.org/content/32/3/65.short

Cooper KL. Evidence-based prevention of pressure ulcers in the intensive care unit. Critical care nurse. [Internet]. 2013 [acesso em 08 jul 2018];33(6):57-66. Disponível em: http://ccn.aacnjournals.org/content/33/6/57.short

Swafford K, Culpepper R, Dunn C. Use of a comprehensive program to reduce the incidence of hospital-acquired pressure ulcers in an intensive care unit. American Journal of Critical Care. [Internet]. 2016 [acesso em 08 jul 2018]; 25(2):152-55. Disponível em: http://ajcc.aacnjournals.org/content/25/2/152.short

Blois HD, Begnini JT, Carvalho MP, Nunes BB, Zilli JB. Deslizes, lapsos e enganos no uso de equipamentos por enfermeiros na Unidade de Terapia Intensiva. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2016 [acesso em 09 jul 2018];50(3):419-426. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000400007

Pickham D, Ballew B, Ebong K, Shinn J, Lough ME, Mayer B. Evaluating optimal patient-turning procedures for reducing hospital-acquired pressure ulcers (LS-HAPU): study protocol for a randomized controlled trial. Trials. [Internet]. 2016 [acesso em 08 jul 2018]; 17(1):190. Disponível em: https://doi.org/10.1186/s13063-016-1313-5

Silverthorn, DU. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 7. ed. Artmed; 2010.

Sales CB, Bernardes A, Gabriel CS, Brito MFP, Moura AA, Zanetti ACB. Protocolos Operacionais Padrão na prática profissional da enfermagem: utilização, fragilidades e potencialidades. Revista Brasileira de Enfermagem. [Internet]. 2018 [acesso em 09 jul 2018];71(1):138-146. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0621

Santos KC. Repercussões hemodinâmicas das mudanças de posicionamento do paciente com infarto agudo do miocárdio: uma revisão integrativa. 2016 [acesso em 08 jul 2018].110f. UFF. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3478

Magnus LM. Mudança de decúbito para pacientes em cuidados intensivos neurológicos e neurocirúrgicos: guia de boas práticas de enfermagem. [Dissertação]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2015. 144p.

Lima GS, Soares MI, Resck ZMR, Camelo SHH. A pesquisa como fio condutor para a produção do cuidado em enfermagem: revisão integrativa da literatura. Revista Eletrônica Gestão e Saúde. [Internet]. 2015 [acesso em 08 jul 2018];6(1):591-605. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/13755

Noveletto F, Leal AB, Bertemes Filho P. Modelagem e controle de um sistema automatizado para prevenção de úlceras por pressão. In Anais XXIV Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica – CBEB 2014. Out. 13-17. Uberlândia. MG. CBEB: 1506-1509.

Nuss S, Medeiros K, Alonso M, Gomes N, Fumian L. “Importância da abordagem multidisciplinar no tratamento da úlcera por pressão em pacientes com sequelas incapacitantes: relato de caso” Acta Biomedica Brasiliensia. [Internet]. 2015 [acesso em 08 jul 2018];6(1):78-83. Disponível em: http://www.actabiomedica.com.br/index.php/acta/article/view/102

Sousa AOB, Albernaz MP. Practical nursing assistants and pneumonia prevention associated with mechanical ventilation in icu. Journal of Nursing UFPE [Internet]. 2015 [acesso em 09 jul 2018];9(12):1069-77. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/10809




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2018v11n3p613-621

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.