ATIVIDADE EDUCATIVA PARA A PROMOÇÃO DO CUIDADO COM O RECÉM-NASCIDO

Suianny Christina Soares Santos Ribeiro, Rebeca Silveira Rocha, Lia Maristela da Silva Jacob, Herla Maria Furtado Jorge, Reginaldo Roque Mafetoni, Cláudia Jeane Lopes Pimenta

Resumo


O presente estudo buscou avaliar a influência de uma atividade educativa para a promoção do cuidado com o recém-nascido. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e quantitativo, realizado no Alojamento Conjunto de uma maternidade em Mombaça-CE, com 61 puérperas. Para coleta de dados, utilizaram-se da observação informal e de um questionário adaptado, em que foram registrados as informações pessoais e os dados sobre os cuidados com o recém-nascido e aleitamento materno pré e pós-atividade educativa, para avaliar as principais dificuldades das puérperas. Uma parte relevante das mulheres apresentava conhecimentos errôneos sobre os cuidados com o recém-nascido e sobre o aleitamento materno. A realização da atividade educativa proporcionou a orientação adequada das mulheres e o esclarecimento de dúvidas existentes. Assim, torna-se necessária a prática constante de educação em saúde às gestantes e puérperas, tanto na assistência pré-natal como na Unidade de Alojamento Conjunto, associado à distribuição de material educativo de fácil compreensão.

Palavras-chave


Educação em saúde; Aleitamento materno; Cuidado do lactente

Texto completo:

PDF

Referências


Cassiano ACM, Carlucci SEM, Gomes CF, Bennemann. Saúde materno infantil no Brasil: evolução e programas desenvolvidos pelo Ministério da Saúde. Rev Serv Públ. 2014;65(2):227-44.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área Temática de Saúde da Criança e Aleitamento Materno. Gestões e gestores de políticas públicas de atenção à saúde da criança: 70 anos de história. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Mendes, PDG, Carvalho Filha FS, Silva RSA, Vilanova JM, Silva FL. O papel educativo e assistencial de enfermeiros durante o ciclo-gravídico-puerperal: a percepção de puérperas. R Interd. 2016;9(3):49-56.

Dodou HD, Oliveira TODA, Oriá MOB, Rodrigues DP, Pinheiro PNC, Luna IT. Educational practices of nursing in the puerperium: social representations of puerperal mothers. Rev Bras Enferm. 2017;70(6):1250-8.

Paula Júnior JD, Lucas ES, Cunha LMC, Machado MGM, Pedrosa RL. Perfil da mortalidade neonatal no município de Ubá/MG, Brasil (2008-2010). Rev Bras Pesq Saúde. 2016;18(3):24-31.

Silva RM, Sousa AKA, Abreu RMSX, Silva RA, Farias MCAD. Atuação da enfermagem em alojamento conjunto: percepção de puérperas. REBES. 2015;5(3):35-44.

Faria AC, Magalhães L, Zerbetto SR. Implementação do Alojamento Conjunto: dificuldades enfrentadas na percepção de uma equipe de enfermagem. Rev Eletr Enf. 2010;12(4):669-77.

Glashan QR. Manual de cuidados do recém-nascido. [S.L] 2008.

Levy L, Bértolo H. Manual de Aleitamento Materno. Ed. da UNICEF, 2012. Disponível em: https://www.unicef.pt/docs/manual_aleitamento_2012.pdf

Menezes CH. Vale à pena Crescer em Segurança. 3. ed. Editora: Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI), 2003.

Von Seehausen MP, Oliveira MIC, Boccolini CS. Fatores associados ao aleitamento cruzado. Ciênc Saúde Colet. 2017;22(5):1673-82.

Broilo MC, Louzada ML, Drachler ML, Stenzel LM, Vitolo MR. Maternal perception and attitudes regarding healthcare professionals’ guidelines on feeding practices in the child’s first year of life. J Pediatr. 2013;89(5):485-91.

Lamounier JA, Moulin ZS, Xavier CC. Recommendations for breastfeeding during maternal infections. J Pediatr. 2004;80(suppl 5):181-8.

Boccolini CS, Boccolini PMM, Carvalho ML, Oliveira MIC. Exclusive breastfeeding and diarrhea hospitalization patterns between 1999 and 2008 in Brazilian State Capitals. Ciên Saúde Colet. 2012;17(7):1857-63.

Giugliani, ERJ. O aleitamento materno na prática clínica. J Pediatr. 2000;76(Suppl 3):238-52.

Costa R, Salomão A, Araújo C, Bezerra K. Dificuldades encontradas pelas mães ao amamentar em uma unidade de referência em atenção primária. DêCiência em Foco. 2017;1(1):48-63.

Carvalho MS, Santana MDA, Oliveira SJGS. Educação em saúde durante o pré-natal com foco nos cuidados relacionados ao recém-nascido. Cadernos de Graduação. 2016;3(3):195-208.

Xavier ACA, Jesus MGR, Pereira AS, Santos KA, Ferreira DAS, Sales SNV. Cuidados com o recém-nascido. RITEC. 2015;1(1):168-72, 2015.

Chemello RML, Giugliani ERJ, Bonamigo RR, Bauer VS, Cecconi MCP, Zubaran GM. Breastfeeding and mucosal and cutaneous colonization by Staphylococcus aureus in atopic children. An Bras Dermatol. 2011;86(3):435-9.

Barros SMO. Enfermagem Obstétrica e Ginecológica: guia para prática assistencial. 2ed. São Paulo: Roca, 2009.

Rocha SK, Ravelli APX. Práticas culturais de puérperas no aleitamento materno: problemas mamários. Rev Triang. 2014;7(1):140-57, 2014.

Zorzi NT, Bonilha ANL. Práticas utilizadas pelas puérperas nos problemas mamários. Rev Bras Enferm. 2006;59(4):521-6.

Barcelos RS, Santos IS, Matijasevich A, Barros AJ, Barros FC, França GV, Silva VL. Falls, cuts and burns in children 0-4 years of age: 2004 Pelotas (Brazil) birth cohort. Cad Saúde Pública. 2017;33(2):e00139115.

Miranda JOF, Santos DV, Camargo CL, Rosa DOS, Nascimento Sobrinho CL, Mussi FC. Evidence for umbilical stump care practices: integrative review. J Nurs UFPE on line. 2016;10(Supl 2):821-9.

Almeida JM, Linhares EF, Dias JAA, Lôbo MP, Reis ASF, Nery PIG. Educational practice in the care for umbilical cord stump: experience report. J Nurs UFPE on line. 2016;10(Supl 5):4383-8.

Carrascoza KC, Possobon RF, Ambrosano GMB, Costa Júnior AL, Moraes ABA. Determinants of pacifier use among infants attending an interdisciplinar breastfeeding promotion program. Rev CEFAC. 2014;16(2):582-91.

Antunes DK. Perfil fonoaudiológico da comunidade do Dendê: perspectiva para ações futuras. Rev Soc Bras Fonaudiol. 2010;15(2):264-69.

Frederico P, Fonseca LMM, Nicodemo AMC. Atividade educativa no alojamento conjunto: relato de experiência. Rev Latino-Am Enferm. 2000;8(4):38-44.

Siqueira FPC, Santos BA. Livre demanda e sinais de fome do neonato: percepção de nutrizes e profissionais da saúde. Saúde e Pesquisa. 2017;10(2):233-41.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2018v11n3p545-553

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.