Evolução Ponderal de Crianças Nascidas com Peso Insuficiente

Tatiane Loidi de Santana Garbugio

Resumo


A Organização Mundial de Saúde estabelece o peso ao nascer como o melhor indicador nutricional nos primeiros anos de vida. Muitos bebês com baixo peso são acompanhados, neste período, para que não sofram déficit de crescimento. Mas, e as crianças que nascem com peso insuficiente? Este estudo tem como objetivo analisar se as crianças que nascem com peso insuficiente alcançam o peso de crianças que nascem com o peso adequado no primeiro ano de vida. Para isto, realizou-se estudo retrospectivo na cidade de Maringá, Estado do Paraná, em uma Unidade Básica de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde. Foram incluídos os prontuários de crianças até quatro anos completos, não-gemelares e sem anomalias congênitas. A amostra consistiu em 89 fichas de crianças, independente de seu peso. Pelas fichas, foram obtidos peso ao nascer, peso aos 12 meses de vida e se houve aleitamento materno exclusivo, misto ou aleitamento artificial. O resultado foi que, destas crianças, 4,54% nasceram com baixo peso; 36,36% nasceram com peso insuficiente; 31,81% nasceram com peso adequado; e 27,27% nasceram com sobrepeso. Das crianças que nasceram com peso insuficiente, 6,25% atingiram o nível de sobrepeso com um ano de vida, e 56,25%, conseguiram atingir o peso adequado. No entanto, 31,25% continuaram com peso insuficiente no primeiro ano de vida e 6,25% se tornaram crianças de baixo peso.

Palavras-chave


Peso ao nascer; Recém-nascidos; Estado nutricional; Birth weight; Newborn; Nutritional status.

Texto completo:

Artigo_PDF


Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.