CONCEITO AMPLIADO DE SAÚDE NA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Luciane Peter Grillo, Leonardo Sartório Ibarra, Tatiana Mezadri

Resumo


O estudo teve como objetivo avaliar 81 profissionais de educação física egressos de uma universidade comunitária sobre o conhecimento do conceito ampliado de saúde na sua formação. Trata-se de uma pesquisa quantitativa por meio da aplicação de um questionário online. Os resultados mostraram a predominância de profissionais do sexo masculino (56%), faixa etária de 20 a 25 anos (55%), carga horária de trabalho semanal de mais de 20 horas (67%), renda de até R$2.000,00 mensais (78%), dos quais 14% não apresentavam conhecimento do conceito ampliado de saúde. Além disso, verificou-se uma associação significativa entre a modalidade de formação e o conceito ampliado de saúde. Em vista dos achados observados, torna-se necessário consolidar a formação deste profissional na saúde coletiva para inserção nas equipes multiprofissionais.

Palavras-chave


Educação física e treinamento; Educação profissional em saúde pública; Saúde pública.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm [2018 set 26].

Ceccim RB, feuerwerker L. Mudança na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Cad Saude Publica, Rio de Janeiro, set/out 2004; 20(5); 34.

Brasil. Resolução nº 7/2004, de 31 de março de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física em nível superior de graduação plena. Disponível em http://portal.mec.gov.br/cne

arquivos/pdf/ces0704edfisica.pdf [2018 jun 26].

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância à Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNAPS: revisão da Portaria MS/GM nº 687, de 30 de março de 2006. Brasília (DF): 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Cadernos de Atenção Básica nº 39. Brasília (DF): 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 256, de 11 de março de 2013. Estabelece novas regras para o cadastramento das equipes que farão parte dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES). Brasília (DF): 2013.

Scabar TG, pelicioni AF, Pelicioni MCF. Atuação do profissional de Educação Física no Sistema Único de Saúde: uma análise a partir da Política Nacional de Promoção da Saúde e das Diretrizes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família - NASF. Journal Health Sci. Inst. 2012; 30(4): 411-418.

Salles WN, Farias GO, Nascimento JV. Inserção profissional e formação continuada de egressos de cursos de graduação em Educação Física. Rev Bras Educ Fis Esporte. 2015; 29(3): 475-486.

Melo CNM, Chagas MIO, Feijão JRP, Dias MSA. Programa de residência multiprofissional em saúde da família de Sobral: uma avaliação de egressos a partir da inserção no mercado de trabalho. SANARE. jan/jun 2012; 11(1): 18-25.

Guarda FRB, Silva RN, Correia Junior JLA, Freitas MIF, Santos Neto PM. Intervenção do profissional de educação física: formação, perfil e competências para atuar no Programa Academia da Saúde. Rev Panamazonica Saude. 2014; 5(4): 63-74.

Schwingel TCPG, Araújo MCP, Boff ETO. A educação em saúde nos currículos de formação de professores. Transmutare. 2016; 1(1): 126-140.

Gentil N. Situação profissional de doutores egressos dos programas de pós-graduação em educação física. 2016. [Dissertação de Mestrado]. Florianópolis: Mestrado em Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina; 2016.

Both J, Nascimento JV, Sonoo CN, Lemos CAF, Borgatto AF. Bem-estar do trabalhador docente de educação física da região sul do Brasil de acordo com os ciclos vitais. Rev Bras Educ Fis. Esporte. jan/mar 2014; 28(1): 77-93.

Schuh LX, Brand C, Krug SBF, Garcia EL, Gaya AR, Roth MA. Inserção do profissional de educação física nas equipes multiprofissionais da estratégia saúde da família. Saúde. 2015; 41(1): 29-36.

Carvalho Y. Práticas corporais e comunidade: um projeto de educação física no Centro de Saúde Escola Samuel B. Pessoa. In: FRAGA AB, WACHS F, organizadores. Educação Física e saúde coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2007. p. 63-72.

Mendes VM, Carvalho YM, Brandão FFF. Nós, com os outros e o SUS: uma perspectiva micropolítica do cuidado para além da atenção básica. In: WACHS F, ALMEIDA UR, BRANDÃO FFF, organizadores. Educação Física e Saúde Coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais. Porto Alegre: Rede UNIDA; 2016. p. 23-46.

Wachs F, Almeida UR, Brandão FFF, organizadores. Educação Física e Saúde Coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais. Porto Alegre: Rede UNIDA; 2016. 379 p.

Gomes IMG, Fraga AB, Carvalho YM, organizadores. Práticas Corporais no Campo da Saúde: uma política em formação. Porto Alegre: Rede UNIDA; 2015. p. 258.

Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria Interministerial nº 421, de 3 de março de 2010. Institui o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET Saúde) e dá outras providências. Brasília (DF): 2010. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/pri0421_03_03_2010.html [2018 jun 26].




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n2p265-273

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.