FRAGILIDADE DE IDOSOS RIBEIRINHOS AMAZÔNICOS: DAS TRAJETÓRIAS METODOLÓGICAS AOS DESAFIOS EM SAÚDE PÚBLICA

Rodolfo Gomes Nascimento, Ronald Oliveira Cardoso, Denise da Silva Pinto, Celina Maria Colino Magalhães

Resumo


Este estudo tem como objetivo descrever as particularidades teórico-metodológicas e discutir as experiências vivenciadas no processo de pesquisa sobre fragilidade biológica e condições de saúde de idosos ribeirinhos amazônicos. A pesquisa descritiva, de abordagem qualiquantitativa, realizada em 19 ilhas do município de Cametá, Pará, envolveu 108 idosos e permitiu alcançar tanto as proposições diretas sobre os marcadores de fragilidade e de saúde multidimensional, quanto os aspectos subjetivos referentes às particularidades do contexto histórico-cultural. A trajetória percorrida pelos pesquisadores nesse desafio foi marcada, especialmente, por uma arreigada estruturação metodológica, direcionada ao contexto peculiar da pesquisa, desde a inserção ecológica dos pesquisadores, ponto-chave para a concretização do arcabouço metodológico e do período de coleta de dados até a elaboração das propostas norteadoras em saúde pública considerando, sobretudo, as particularidades dos modelos de cuidado vigentes nessas comunidades amazônicas.

Palavras-chave


Métodos; Pesquisa empírica; Idoso fragilizado; Amazônia; Características culturais.

Texto completo:

PDF

Referências


Nascimento RG, Magalhães, CMC. Fragilidade e Condições de Saúde de Idosos Ribeirinhos da Amazônia: Indicadores epidemiológicos e aspectos subjetivos. Belém. Tese [Doutorado em Teoria e Pesquisa do Comportamento] - Universidade Federal do Pará; 2017.

Mello AC, Engstrom EM, Alves LC. Fatores sociodemográficos e de saúde associados à fragilidade em idosos: uma revisão sistemática de literatura. Cadernos de Pública. 2014; 30(6): 1-25.

Neri AL et al. Metodologia e perfil sociodemográfico, cognitivo e de fragilidade de idosos comunitários de sete cidades brasileiras: Estudo FIBRA. Cadernos de SaúdePública. 2013; 29(4): 778-792.

Fried LP et al. Frailty in older adults: evidence for a phenotype. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences. 2001; 56(3): M146-M157.

Ferrucci L et al. Designing randomized, controlled trials aimed at preventing or delaying functional decline and disability in frail, older persons: a consensus report. Journal of the American Geriatrics Society. 2004; 52(4): 625-634.

Fried LP et al. Untangling the concepts of disability, frailty, and comorbidity: implications for improved targeting and care. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences. 2004; 59(3): M255-M263.

Baltes PB. On the incomplete architecture of human ontogeny: Selection, optimization, and compensation as foundation of developmental theory. American psychologist. 1997; 52(4): 366.

Baltes PB. Theoretical propositions of life-span developmental psychology: On the dynamics between growth and decline. Developmentalpsychology. 1987; 23(5): 611.

Mendes LSA et al. Inserção ecológica no contexto de uma comunidade ribeirinha amazônica. InteramericanJournalofPsychology . 2008; 42(1):1-10.

Afonso T et al. O uso do diário de campo na inserção ecológica em uma família de uma comunidade ribeirinha amazônica. Psicologia & Sociedade. 2015; 27(1): 131-141.

Silva SSC et al. Avaliação de Famílias Ribeirinhas: Uma Proposta Adaptada ao Contexto. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 2011; 4(2): 253-263.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo Demográfico de 2010.

Silva SSC et al. Rotinas familiares de ribeirinhos amazônicos: uma possibilidade de investigação. Psic.: Teor. e Pesq. 2010; 26(2): 341-350.

Neri AL. Fragilidade e qualidade de vida na velhice. Campinas: Editora Alínea; 2013.

Rauchbach R, Wendling NMS. Evolução da construção de um instrumento de avaliação do nível de atividade física para idosos curitibativa. FIEP Bulletin online. 2009; 79: 543-47.

Araújo MPD. A organização do trabalho pedagógico em escolas multisseriadas no Município de Cametá [Dissertação]. Belém (PA): Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará; 2012.

Curcio CL, Henao GM, Gomez F. Frailtyamong rural elderlyadults. BMC geriatrics, 2014; 14(1): 1-9

Cohen-Carneiro et al. Oferta e utilização de serviços de saúde bucal no Amazonas, Brasil: estudo de caso em população ribeirinha do Município de Coari. Cadernos de Saúde Pública. 2009; 25(8):1827-1838.

Jung, HW et al. Prevalence of frailty and aging-related health conditions in older Koreans in rural communities: a cross-sectional analysis of the aging study of Pyeongchang rural area. Journal of Korean medical Science, 2016; 31(3): 345-352.

Reis Junior WM et al. Pré-fragilidade e fragilidade de idosos residentes em município com baixo Índice de Desenvolvimento Humano. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 2014, 22(4): 654-661.

Zazzetta MS et al. Identifying frailty levels and associated factors in a population living in the context of poverty and social vulnerability. Journal of frailty and aging, 2017, 6(1): 29-32.

Brito-Marques PRD, Cabral-Filho JE. Influence of age and scholing on the performance in a modified Mini-Mental State Examination version: a study in Brazil Northeast. Arquivos de Neuro-psiquiatria. 2005; 63(3A): 583-587.

Brito-Marques PRD, Cabral-Filho JE. The role of education in mini-mental state examination: a study in Northeast Brazil. Arquivos de Neuro-psiquiatria. 2004; 62(2A): 206-211.

Macuco CM et al. Cognição e fragilidade. In: Neri AL, Fragilidade e qualidade de vida na velhice. Campinas, SP: Editora Alínea; 2013. p. 85-98.

Bertolucci PH et al. O mini-exame do estado mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arquivos de Neuro-psiquiatria. 1994; 25(1):1-7.

Silva KRD. Prevalência de Síndrome da fragilidade em idosos da área urbana do município de Coari-Amazonas: um estudo de base populacional. [Dissertação]. Manaus (AM): Mestrado em saúde, sociedade e endemias na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas; 2016.

Ainsworth BE et al. Compendium of physical activities: an update of activity codes and MET intensities. Medicine and science in sports and exercise, 2000; 32(9): S498-S504.

Moraes END et al. Clinical-Functional Vulnerability Index-20 (IVCF-20): rapid recognition of frail older adults. Revista de saúde pública, 2016, 50(81): 1-10.

Maia FOM et al. Adaptação transcultural do VulnerableElders Survey-13 (VES-13): contribuindo para a identificação de idosos vulneráveis. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 2012, 46: 116-122.




DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n2p367-375

Saúde e Pesquisa
Unicesumar, Maringá (PR), Brasil
ISSN 2176-9206 On-line
Contato: naep@unicesumar.edu.br

ISSN 1983-1870 Versão impressa interrompido em 2019

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.