Comentários do leitor

A Paixão Pelos Quadrinhos

por João Rafael Pires (2018-06-04)


estantesTodos os colecionadores tem uma grande estima por seus itens de coleção e especialmente aqueles raros e exclusivos. A CCXP é um momento único para que trabalho de muito tempo - para alguns, até anos - possa ser valorizado pelas pessoas que cultuam próprio meio. A realidade do quadrinista independente no Brasil ainda é muito complicada. A maioria das pessoas tem um outro trabalho de onde tiram sustento", diz Marcio Goti - que vem à feira lançar HQs e sketchbooks -, que num tom otimista completa, (mas) mercado vem numa ascendente, futuramente a gente pode viver numa realidade como a da França, em que os autores vivem de quadrinhos autorais".

Há colecionadores que fazem que é chamado no meio de garimpar". Garimpar é sair pela cidade, em feiras, sebos e antiquários em busca de determinados discos. Poucos são os sentimentos tão prazerosos quanto de encontrar um vinil que há muito se buscava. E, com esforço que é despendido nessas incursões, que algumas vezes podem acabar infrutíferas, é de grande importância adquirir um produto que seja capaz de armazenar muito bem sua coleção.

colecionador Casual normalmente nunca vai atrás de um jogo antigo para sua coleção, somente se tal jogo marcou sua infância e gostaria de revelo. Este tipo de colecionador é bem mais comum entre os fans Nintendo, pois guardarem um maior importância pelos jogos da empresa.

Como guardar? Os volumes de lombada quadrada são mais simples de guardar e mais apresentáveis em uma estante. Podem ser armazenados empilhando todos no mesmo sentido ou vertical. Quando esse modelo possui a capa cartão (sendo mais resistente) ele pode ser armazenado das duas formas.

Eu sou obcecado por organização, então eu gosto de fazer com que a minha coleção tenha um estilo de nomenclatura de arquivos que seja unificado, sequencial e de fácil acesso. Quando os seus quadrinhos vêm de tudo quanto é lugar, isso pode ser um pouco difícil. Alguns programas permitem que você atribua metadados aos seus seus arqivos de quadrinhos, assim como iTunes faz com as suas músicas para organizá-las, mas meu método favorito ainda é de organizá-las usando os nomes de arquivos e uma arquitetura de pastas que faça sentido.

Todos os colecionadores tem uma grande estima por seus itens de coleção e especialmente aqueles raros e exclusivos. Porém, os gibis ou histórias em quadrinhos sofreram grandes alterações na forma como a história é contada. Técnicas narrativas diversas, temas que já não se adaptam para uma audiência infantil e histórias cada vez mais complexas. Tudo isso fez com que os gibis do século XX se tornassem coisa de gente grande também. E, além disso, os gibis são objetos clássicos de coleção.

É com satisfação que a Livraria Cultura anuncia a compra da plataforma online estante para discos de vinil Virtual, líder em marketplace de livros na América Latina. A aquisição desta empresa de e-commerce, com 4 milhões de clientes cadastrados e 17,5 milhões de livros vendidos, vem ao encontro do atual movimento de expansão da Livraria Cultura, iniciado com a aquisição da Fnac no Brasil, em julho de 2017.

Lembre-se, comprar miniaturas pela internet é só em último caso, pois você tem que pagar frete, corre risco da peça vir quebrada por causa do transporte, etc. Faça uma lista com que você quer comprar e que já saiu das bancas e compre apenas essas, deixe as demais para comprar conforme forem chegando às bancas e economize a grana do frete e aborrecimento de ter que devolver uma peça quebrada pelos correios.

Evite deixar seus quadrinhos empoeirados. Isso favorece a deterioração do papel e, caso more perto de avenidas, fábricas, centros urbano-industriais, podem também amarelar papel. Para retirá-la use espanador ou uma flanela limpa. Esse trabalho pode ser feito, dependendo do tamanho de sua coleção, toda semana.

Só que aquele cara na banca falou que não ia ler boa parte do que comprou. A função da maioria daquelas capas duras ia ser, imagino, decorar a estante. Ou completar numeração de uma série, só pela necessidade de completar a numeração. Não era uma pilha para ler depois. Era uma pilha para atender a algum desejo particular, que não de ler.

Esta é uma decisão muito particular de cada colecionador. Alguns (não é meu caso) guardam seus carrinhos nas embalagens originais. Existe inclusive um termo para definir as miniaturas que são negociadas sem embalagem: elas são chamadas de loose (solto, em inglês).

Qualquer espaço da casa quando bem projetado pode abrigar nossos "companheiros" (na solidão ou junto àquele namorado que você NÃO emprestou) de forma prática e charmosa - como no quarto, em estantes fechadas para os alérgicos, ou até mesmo em ambientes antes impensáveis como a sala de jantar.

Uns dias depois, comentaram que as editoras dessas capas duras de super-herói foram das poucas do mercado livreiro que conseguiram ficar no azul no pior da krize no ano passado. Tem bastante editor querendo entender e copiar fenômeno. Imaginei centenas de cenas iguais à da banca se repetindo por aí - provavelmente mais em versão virtual, no carrinho de compras da Amazon. É algo recente no Brasil. Entre várias coisas curiosas do fenômeno está essa predileção pelas capas duras, que rende umas analogias entre quem liga colecionismo a buscar solidez no mundo. Pode ser também que as capas duras formam blocos TOC-friendly na estante. Vai saber transtorno obsessivo de cada um.