Comentários do leitor

13 Sinais Que Mostram Que És Um Bibliófilo

por Pedro Pedro Henrique Pires (2018-05-18)


Recentemente comecei com a ideia colecionar jogos antigos. Como estamos numa fase econômica ruim, e importar está saindo mais caro, estou indo devagar. Meu interesse atual é comprar os jogos 8-bit e 16-bit que marcaram minha infância, originais e bem conservados.

estantes colecionadorPlaymobil já tem uma parte de minha história de vida, também, pois quando era mais novo, minha mãe gostaria muito de presentear a mim e meu irmão com algumas figuras dessas, mas eram um pouco caras. Hoje, tenho um carinho especial pela coleção e vez ou outra adquiro algumas. Fora as que já dei de presente: pra meus pais, meus irmãos, cunhadas e esposa. No meu aniversário eu ganhei uma dupla de faroeste do meu filho.

A experiência de leitura de uma HQ é diferente da de um livro, como é diferente a forma de percebê-lo através de um filme ou uma peça de teatro. Cada justamente essa diferença que se procura usufruir nas adaptações. Essas novas formas de leitura não afetam original. Ele continuará sempre lá, preservado em seu formato, sem correr nenhum perigo.

Talvez a forma mais clássica de se guardar quadrinhos seja nos famosos saquinhos. Os ideais são os de Polipropileno, que apesar do nome esquisito, são bem fáceis de se encontrar hoje em dia. Esses saquinhos podem ser comprados em lojas especializadas, ou até no Mercado Livre. Eles existem em diversos formatos. Então você já pode comprar exatamente os que você precisa.

clássico de Himoru Arakawa também aparece na lista dos mais comprados. Foi 2º mangá mais vendido na Estante Virtual em setembro, 34º título na lista geral de quadrinhos. recente relançamento do mangá deve ter contribuído para isso, já que mais pessoas devem estar se desfazendo das edições antigas para comprar a nova, enquanto pessoas que não querem a nova versão (ou mesmo não sabem que existe uma nova) devem estar começando a adquirir a antiga.

Se optar por esse investimento, não seja econômico, utilize um saquinho por volume, isso é muito importante. Colocar duas HQs em uma mesma embalagem pode prejudicar suas edições. Por estarem fechadas elas acabam criando um calor dentro dos sacos e a temperatura fará as capas se colarem desbotando ou machucando seu amado quadrinho.

estantes colecionadorAcredito ser completamente irrelevante discutir se histórias em quadrinhos são ou não literatura. Além de servirem, em muitos casos, como porta de entrada para gosto pela leitura em crianças e adolescentes, há uma evidente evolução de técnicas, temáticas e abordagens que não pode ser ignorada. Há Graphic Novels que são infinitamente melhores que algumas dezenas de aclamados best-sellers.

Suas prateleiras são ideais para acomodar livros, louças, utensílios e até mesmo bebidas e objetos de colecionador. Já suas portas deslizantes em vidro, permitem que conteúdo interno fique à vista; garantindo assim, maior praticidade e aproveitamento de espaço.

Meu jeito de colecionar é que me preocupo em comprar jogos de qualidade, procurando conhecer vários tipos de jogos e franquias escolhendo-os de forma cautelosa, e ao mesmo tempo, quando gosto de determinada franquia, procuro obter tudo sobre ela, claro, à medida do meu orçamento.Eu piro com edições limitadas, mas também não saio que nem louca procurando obter tudo, até mesmo porque dinheiro não dá.

Ibáñez é um livro bem representativo e importante em qualquer coleção de HQs argentinas. É a única colaboração de dois grandes nomes dos quadrinhos, Robin Wood e Enrique Breccia. Esta edição de 2006 da Doedytores reúne pela primeira vez em livro as histórias dos autores em seu formato original preto e branco. É que nos anos 1980 a editorial Columba coloriu os originais de Breccia em uma tentativa de popularizar as histórias, mas tratamento foi horrível e bem aquém dos traços do desenhista argentino.

Acho que este é um dos fatores que pode pesar em trazer esta coleção para cá, já que as que saem atualmente no Brasil são coloridas. Ademais, infelizmente Conan anda injustamente esquecido por aqui, porém tem um filme vindo por aí e a coisa pode mudar um pouco caso ele tenha uma boa divulgação e se torne bem aguardado.

As estantes são as mais utilizadas pelos colecionadores, mas outros equipamentos podem ser utilizados como racks, armários, mesas, prateleiras e que mais lhe vier a cabeça, importante nesse caso é estar atento a alguns cuidados que terá com as minis, os principais deles são a poeira e a umidade que podem comprometer a pintura e outras partes. Regiões com pluviosidade alta deve-se tomar cuidado também com a proliferação de fungos no expositor que acaba atingindo objeto da coleção.

Quadrinhos, HQs, Comics, Graphic Novels, Encadernados, Mensais, Gibis, Histórias em Quadradinhos, entre outros são os nomes dados a estas (Nem sempre) maravilhosas histórias ilustradas. Já as tivemos em diversos tamanhos diferentes, formatinho, gigante, especial, americano, entre um monte de outros tamanhos estranhos que só servem para dificultar a vida e a estante do colecionador de quadrinhos. Ah, colecionador de quadrinhos. Aquela figura que gosta tanto de uma história que não basta apenas lê-la uma única vez, ele precisa tê-la, abraça-la, ama-la e acaricia-la sempre que possível. Uma história, quando fascina, desperta verdadeiro amor e desejo, indiferente se a lombada está torta ou a ponta de uma página está dobrada. fã de quadrinhos os coleciona por gostar da história, dos personagens ou até mesmo do artista responsável pelo mesmo, não porque aquela edição valerá triplo do preço daqui a 20 ou 30 anos.