Comentários do leitor

Prateleira Estrela Da Morte Para Action Figures

por Leonardo Farias (2018-06-06)


Fundada como uma empresa de bobbleheads" em 1998, não demorou em perceberem mercado em rápida expansão de itens de coleção de diversos tipos de fontes, como por exemplo, filmes de popularidade mundial como Star Wars ou desenhos animados de sucesso. Desde então, a Funko vem adquirindo cada vez mais licenças para criar seus incríveis produtos, atualmente trabalhando até mesmo com utensílios para casa e diversos tipos de colecionáveis que são revendidos em dezenas de países.

media5.<a href=picsearch.com/is?yyTP8AxRE-g-_FTlHVxALz7-A481bnvl4lJSyP-0jgM&height=238" alt="estantes" title="estantes (c) revistacasalinda.uol.com.br" style="max-width:400px;float:left;padding:10px 10px 10px 0px;border:0px;">Se optar por esse investimento, não seja econômico, utilize um saquinho por volume, isso é muito importante. Colocar duas HQs em uma mesma embalagem pode prejudicar suas edições. Por estarem fechadas elas acabam criando um calor dentro dos sacos e a temperatura fará as capas se colarem desbotando ou machucando seu amado quadrinho.

Clássico ou não, no meu caso é manter as intenções do autor. Penso que estou a serviço dele, de seus personagens. Minha regra básica é: posso cortar, mas não posso acrescentar. Adaptações não são espaços para que eu coloque minhas próprias ideias. Para isso tenho meus livros e roteiros originais. Para que isso funcione sem sofrimento basta manter um critério: só adaptar de sua autores e obras que admiro.

Se você, além de livros, também gosta de colecionar mangás e quadrinhos é bom que eles tenham um espaço na estante, não é? Eu tenho uma prateleira só para eles e deixo organizado por editora e por coleção. Por exemplo: mangás da JBC ficam todos juntos, os da Panini a mesma coisa e por aí vai.

Guardadas as comparações, poderia ser um armário de quadrinhos com diferentes nichos e prateleiras ocupando este mesmo espaço. Me despeço aqui, e quem tiver dúvidas em relação à matéria pode fazer os comentários aqui no blog. A medida que Leo for liberando-os, eu tentarei responder às dúvidas mais pertinentes e dar outros conselhos.

Dias se passaram, comigo pensando em como abordar novo conflito editorial da moda, Estética versus Qualidade, e em como Brasil está passando por isso nos quadrinhos, quando assunto são os encadernados. As parcerias entre roteiro e arte nessa coleção da Ática partem do editor, Fabrício Waltrick, que tem dom de acertar sempre. Eu e Rodrigo Rosa já fizemos três HQs juntos e nosso trabalho flui com uma naturalidade espantosa. Ele tem uma habilidade impressionante para mostrar os sentimentos dos personagens olhares, além de acrescentar detalhes e humor em cada quadro. É uma pessoa que claramente gosta do que faz. Mas nada disso daria certo se não contássemos com amparo dos editores, revisores, diagramadores… Estão todos lá na ficha técnica.

Talvez a forma mais clássica de se guardar quadrinhos seja nos famosos saquinhos. Os ideais são os de Polipropileno, que apesar do nome esquisito, são bem fáceis de se encontrar hoje em dia. Esses saquinhos podem ser comprados em lojas especializadas, ou até no Mercado Livre. Eles existem em diversos formatos. Então você já pode comprar exatamente os que você precisa.

A biblioteca infantil disponibiliza obras infantis e juvenis, gibis, revistas, em um ambiente alegre e acolhedor. Guilherme Mattje é analista de sistemas por profissão e um apaixonado por miniaturas desde sempre. Idealizador e autor do blog sobre miniaturas mini Ás, também faz parte do time ColeçãoVirtual. Enquanto toma café e escreve seus artigos, gosta de contribuir para facilitar a vida dos colecionadores.

estantesDias se passaram, comigo pensando em como abordar novo conflito editorial da moda, Estética versus Qualidade, e em como Brasil está passando por isso nos quadrinhos, quando assunto são os encadernados. legal na coleção (para muitos, inclusive eu) é poder retirar a mini da embalagem e poder tocá-la, girar as rodas, e claro, deixá-la a vista dos olhos - de preferência na parede. Tradicionalmente a melhor maneira de fazer isso é através de um modelo de expositor chamado estante para hot wheels, que normalmente é formada por uma série de espaços devidamente separados para acomodar a quantidade de minis que for possível.

Só que aquele cara na banca falou que não ia ler boa parte do que comprou. A função da maioria daquelas capas duras ia ser, imagino, decorar a estante. Ou completar numeração de uma série, só pela necessidade de completar a numeração. Não era uma pilha para ler depois. Era uma pilha para atender a algum desejo particular, que não de ler.

Colecionador é um daqueles personagens que pouco aparecem em uma história, mas todo enredo gira em torno dele. Fã de carteirinha dos gibis, estudante Leonardo Polch, 26 anos, lamenta não ter mais tanto tempo para ler suas histórias favoritas. Antes de entrar na faculdade, ele comprava, em média, oito HQs por mês. Agora, precisa priorizar seus estudos. universitário relembra que foi irmão mais velho que emprestou a ele seu primeiro gibi - As aventuras do Superman. Mesmo com a vida corrida, Leonardo mantém um acervo de cerca de 3 mil quadrinhos. E avisa: Apesar de muita gente não acreditar, gibi é cultura", garante Leonardo. Fã de Batman e de quadrinhos adultos como Constantine, universitário lembra de uma aquisição que fez através da Estante Virtual. Comprei um HQ que procurava há tempos, A Morte do Superman. Gibis raros como este são difíceis de encontrar. As lojas não deixam disponível nas prateleiras por medo das pessoas deteriorarem a revista".