Comentários do leitor

Histórias Em Quadrinhos São Tema Do Na Estante

por Leonardo Farias (2018-05-10)


As peças são separadas como um quebra-cabeças e você monta da maneira que quiser, obedecendo determinadas larguras, alturas e encaixes que já vem prontos. Pode-se, por exemplo, regular a altura das prateleiras (veja na foto que as laterais da estante têm vários furos brancos para que se possa determinar a altura da prateleira).

Às vezes me bate a vontade de entender a psicologia do colecionismo. que leva pessoas a quererem juntar, e geralmente ostentar que juntaram, todas as coisas que fazem parte de uma série, um conjunto, um agrupamento. motivo de aquilo ser uma coleção pode ser evidente - todos os números de uma coleção de gibis - ou só existir na cabeça da pessoa. Como fui afetado pelo colecionismo desde cedo, queria entender inclusive por que tem pessoas que não fazem coleção de nada.

Recomendo a HQ que é garantia de diversão, e aos que se interessarem, também há uma versão adaptada para cinema que eu adorei de paixão. No filme, Scott é interpretado pelo ator Michael Cera, e a história é retratada de maneira fiel e igualmente divertida.

Se você ainda não está convencido, uma curiosidade: Os irmãos Cafaggi encontrar uma forma muito criativa de justificar fato de só Cebolinha usar sapatos. Mas não darei detalhes sobre enredo para não irritar quem odeia spoiler, mas adianto que você vai querer ler, reler e guardar na estante para hot wheels com todo carinho. E finalmente, penso que é uma forma de ilustrar quanto as histórias em quadrinho são importantes como meio de comunicação e mostrar que HQ é sim, uma forma de literatura e até mesmo jornalismo.

Colecionador de livros e objetos de viagem? Há coisas que tem tanto valor sentimental que não podem ficar guardados em caixas. Uma boa opção para torná-los parte da decoração é expor em prateleiras ou em uma estante de ferro, com a vantagem que a estante não precisa de buracos na parede. Basta encontrar um lugarzinho pra ela e pronto. Disponha nas prateleiras da estante ferro objetos que tragam boas lembranças e terá não apenas um ambiente bem decorado, mas interessante e cheio de histórias para contar para seus amigos que visitarem sua casa.

Bom, um último comentário importante agora sobre a Evolukit. Ao entrar no site dela vocês podem acabar tomando um susto com os preços beirado R$ 1.000,00, mas calma, aquelas são estantes já prontas. que eu recomendo é que vocês façam como eu, entrem em contato com a central de vendas, eles vão iniciar uma negociação pelo whatsapp e ai vocês passam exatamente que precisam. Eu peguei uma prateleira de 116 x 38, mas vocês podem optar por uma menor de 60 x 23 que já é boa para mangás. Também podem pegar colunas menores, as minhas de 33cm são pensando nas HQ's que tem mais de 25 cm de altura, agora, uma estante apenas de mangás não precisa ser tão alta, então podem pedir por colunas de 28 ou 25 centímetros. Tudo é montável, vocês entram com as medidas e eles lhe passam a melhor opção.

A Mari, que padece do mesmo problema, com um pouco mais de entusiasmo por causa da sua organização, um dia desses me disse que estava pensando em doar seus livros da Chimamanda Ngozi Adichie para fazer a coleção nova da Companhia das Letras, com imagens de mulheres negras com cabelo trançado, em cores vivas (ainda não sabemos desfecho dessa história).

A participação em eventos de encontro de colecionadores também é uma boa forma de encontrar aquele item que está faltando em sua coleção, e também claro, fazer um Networking com outros apaixonados pelo hobby, que vão poder te dar muitas outras dicas valiosas.

Para organizar sua coleção de miniaturas, Erica comprou uma estante com um número fixo de nichos. Enfim, a novidade não tão nova agora é que a história de Fani e Leo irá parar nos quadrinhos em breve, sim, teremos um Graphic Novel da série. Vale lembrar, que a história dos HQs não estará na ordem cronológica dos livros, ou seja, não irá contar a história de Fazendo Meu Filme 1, e sim falará apenas da festa surpresa que Fani organiza para Leo, da qual não sabemos muita coisa, pois não é um acontecimento muito citado no livro. Apenas sabemos.

Moacy Cirne, professor aposentado, escritor e autor do primeiro livro brasileiro sobre quadrinhos (A explosão criativa dos quadrinhos", de 1970), vê como uma necessidade natural essa desmitificação dos quadrinhos. Mais cedo ou mais tarde, esse processo seria desencadeado. As HQs têm uma linguagem que dialoga com várias áreas, e a produção brasileira não deixa a desejar para nenhum mercado. Mas, como a coisa é muito dinâmica, a tal globalização contribui para quadrinho perder um pouco a personalidade, a característica de determinado lugar", disse Moacy.

diário de Anne Frank foi publicado pela primeira vez em 1947 e faz parte do cânone literário do Holocausto. E agora, pela primeira vez, vem à luz esta edição em quadrinhos. roteirista e diretor cinematográfico Ari Folman e ilustrador David Polonsky demonstram com essa adaptação a dimensão e a genialidade literárias da jovem autora. Eles tornam visual, contemporâneo documento histórico de Anne Frank e traduzem contexto da época no qual foi escrito. Baseada na edição definitiva do diário, autorizada por Otto Frank, pai de Anne, esta versão em quadrinhos torna tangível destino dos oito habitantes do Anexo durante seus dias no esconderijo.