Comentários do leitor

Direto Da Estante

por Maria Lorena Silveira (2018-06-23)


estantes colecionadorMauricio de Souza é sem dúvida um dos meus autores preferidos de todos os tempos, foi graças a ele que eu tinha com que me entreter nas tardes tediosas de domingo, lendo gibis ou fazendo as atividade do Almanaque da Turma da Mônica e mesmo agora com 33 anos continuo conectada com os personagens do autor, seja pelos vídeos do Mônica Toy (que sou viciadíssima) ou pelas excelentes Graphic Novels. Ler a história de vida desse homem incrível foi uma experiência gratificante e muito bom para entender um pouco da personalidade e perseverança de Maurício.

Houve tempos quando coleção era coisa dos extremos da vida: ou matéria de crianças com seus bonés, álbuns de figurinhas e bolinhas de gude; ou distração de aposentados atrás de relíquias como moedas antigas e, ápice dos ápices, selos, muitos selos. Desde há muito tempo eu tinha desejo de comprar uma cristaleira. Ao pesar as questões levantadas acima sobre segurança, proteção e extensão das coleções eu logo decidi por essa opção. Eu vinha expondo as peças em uma estante aberta que logo se mostrou inadequada devido ao grande acúmulo de poeira sobre as figuras. Isso fez com que eu as guardasse e partisse à procura de uma cristaleira. Após rodar várias lojas em São Paulo (capital) pude perceber que os preços variavam grandemente e não eram tão atrativos. Depois de muito procurar decidi por um modelo que agregasse preço, estilo e proteção. Alguns critérios eram imprescindíveis para mim, dentre eles a possibilidade de se enxergar as peças de vários ângulos, ou seja, seria necessário a presença de vidros anteriores, laterais e se possível posteriores. Percebi, no entanto que a presença de "vidro" encarecia grandemente a cristaleira. Sendo assim tive que ajustar esse meu desejo ao preço.

Talvez a forma mais clássica de se guardar quadrinhos seja nos famosos saquinhos. Os ideais são os de Polipropileno, que apesar do nome esquisito, são bem fáceis de se encontrar hoje em dia. Esses saquinhos podem ser comprados em lojas especializadas, ou até no Mercado Livre. Eles existem em diversos formatos. Então você já pode comprar exatamente os que você precisa.

Já li um bocado de coisa nessa vida, já tive algumas respostas diferentes pra essa pergunta e talvez minha opinião ainda venha a se renovar um dia. Ler um romance é uma experiência bem diferente de uma hq, ritmo de leitura é outro, as sensações de ler só letras e imaginar todo resto é diferente de ver ilustrações e balões de fala em diferentes formatos e cores e, apesar de serem narrativas, os dois universos são diferentes demais. Não tem melhor ou pior, tem apenas diferentes. Não sei que vou querer ler amanhã, sei que minha estante para carrinhos hot wheels tem de tudo. Concordo com Paulo Ramos, história em quadrinhos é uma mídia à parte da literatura.

Este é um dos suportes mais utilizados na hora de guardar gibis, pois permite poupar espaço e conseguir uma arrumação fácil. As caixas de papelão, por serem porosas, têm a vantagem de deixar as revistas "respirar", mas deverão ser bem vedadas para impedir a entrada de pó e insetos.

A ideia da caixa-estante foi implementada ao Viagem pela Literatura, em 2002, com uma unidade. A partir de 2006, número foi aumentando até chegar às cinco atuais. De 2005 a 2011, as caixas-estantes foram responsáveis por 7730 empréstimos de livros em comunidades de Vitória que não possuem biblioteca.

Nome: Fazendo meu filme em quadrinhos: Antes do filme começar. - Case acrílico: constitui uma ótima opção para bonecos loose, por ser em forma cilindrica e transparente, com uma base preta, permitindo que boneco fique bem protegido e em posição de pé. Para que boneco fique melhor acondicionado ideal é utilizar este case juntamente com stands circulares. Como desvantagens vale ressaltar que não é possivel utilizar stands retangulares devido ao pequeno diâmentro. Eventualmente também algum acessório pode não caber dentro do case com boneco. Outra desvantagem é custo, esses cases tem um custo relativamente alto por peça, inviabilizando a compra de muitas peças. Mas ainda é vantajoso para guardar aquela rara figura loose, de forma a proteger sua coleção.

Ela absorve umidade (em locais úmidos como regiões de praia ou montanha) ou fica seca (em regiões agrestes) e é difícil controlar essa mudança viva que ela passa. Ela é mais bonita sim, e bem mais cara. Geralmente é do que se faz aqueles móveis rústicos de fazenda. Serve para isso, mas não para a estante de quadrinhos. Quanto ao aglomerado, ele é horrível. É mais barato, mas nunca use. Pode lascar e soltar toda a parte interna dele, mais fácil de pegar cupim e menos resistente. Quanto ao acabamento, prefira os que imitam madeira. Os pintados com tinta laca (fosca, brilhante ou envernizada) costumam riscar fácil. Se não tiver muito cuidado quando for varrer sua sala e esbarrar nele, pode ter certeza que logo ele estará cheio de arranhões. Repito novamente, prefira MDF e com acabamento de madeira fosca.