<b>Efeito Modulador da Ocitocina sobre o Prazer

  • Ocimar Aparecido Dacome UEM
  • Rosângela Fernandes Garcia UEM
Palavras-chave: Ocitocina, Prazer, Emoção, Sexualidade, Oxytocin, Pleasure, Emotion, Sexuality.

Resumo

O hormônio ocitocina vem sendo propalado como o hormônio do amor. A partir de uma revisão bibliográfica, procuramos investigar sua ação envolvendo fortes emoções, como é o caso dos relacionamentos amorosos e do ato sexual. A atuação periférica da ocitocina produzindo contrações da musculatura lisa no momento do parto e na ejeção do leite durante a amamentação são comumente descritas, por isso a proposta é investigar sua atuação central. Inicialmente, os trabalhos revelam que níveis plasmáticos de ocitocina encontram-se significativamente elevados durante a relação sexual. Regiões do sistema límbico, como hipotálamo, amígdalas e septo, recebem inervações de vias ocitocinérgicas; essas regiões estão envolvidas na produção de emoções básicas nos animais inferiores e superiores, como medo, ansiedade, fome, saciedade, prazer e desejo sexual. Interessante constatação é a relação da ocitocina, CRH e vasopressina, hormônios produzidos no núcleo paraventricular do hipotálamo, no qual a ocitocina parece atuar indiretamente, produzindo ação antiestressora. As ações centrais da ocitocina devem ter uma atuação neuromoduladora, propiciando ao SNC envolver- se em situações de grande excitabilidade, como é o caso da relação sexual, de maneira adaptativa e positiva. Ainda que os mecanismos de ação não estejam elucidados, de imediato, podemos supor que sentimentos considerados mais evoluídos na espécie humana possam ser mais bem entendidos por meio de estudos e experimentos fisiológicos, ampliando, assim, o conceito de sexualidade e, porque não dizer, de amor.

Biografia do Autor

Ocimar Aparecido Dacome, UEM
Psicólogo Clínico da Unidade de Psicologia Aplicada (UPA) da Universidade Estadual de Maringá – UEM; Especialista em Saúde Coletiva Universidade Estadual de Maringá – UEM; Especialista em Fisiologia: funcionamento do organismo humano no contexto interdisciplinar. E-mail: oadacome@uem.br
Rosângela Fernandes Garcia, UEM
Docente adjunta do Centro de Ciências Biológicas - Departamento de Ciências Morfofisiológicas da Universidade Estadual de Maringá – UEM; Doutora em Ciências Biológicas (Biologia Celular) pela Universidade Estadual de Maringá – UEM; Docente e orientadora do Curso de Pós-graduação latu sensu em Fisiologia: funcionamento do organismo humano no contexto interdisciplinar do Departamento de Ciências Morfofisiológicas da Universidade Estadual de Maringá - UEM. E-mail: rfgarcia@uem.br
Publicado
2008-09-25
Seção
Artigos de Revisão